0
Posted Junho 24, 2015 by António de Sousa Pereira in |Notícias
 
 

Novo Mini Clubman mais prático e versátil chega em Novembro

Chega a Portugal em Novembro e é anunciado pelo seu construtor como um modelo que, mantendo a dinâmica estilística de uma shooting brake, pela primeira vez cede às exigências de carácter prático de um automóvel compacto. E será essa a razão que explica que o novo Mini Clubman, embora mantendo o portão traseiro de abertura vertical bipartida, passe a contar com quatro verdadeiras portas, dispensando a porta direita de abertura invertida tão característica do seu antecessor.

Logo por aqui se prova que a mais recente carrinha da Mini assume uma personalidade mais prática e versátil, mesmo que à conta de um menor arrojo estético. Outro factor que o comprovará será o espaço interior mais generoso, em boa parte fruto do aumento das dimensões exteriores: face ao modelo de cinco portas, o novo Mini Clubman é 270 mm mais comprido, 90 mm mais largo e dispõe de uma distância entre eixos 270 mm mais generosa (4253 mm de largura, 1800 de largura, 1441 mm de altura e 2760 mm de distância entre eixos).

O habitáculo, totalmente novo, e com soluções que, na sua maioria, são já conhecidas do cinco portas, dispõe de um banco traseiro rebatível na proporção 40/20/40, oscilando a capacidade da bagageira entre 360 litros e 1250 litros. Os equipamentos de conforto e segurança, de série e opcionais, seguem também, no essencial, o conhecido do Mini de cinco portas, mas o novo Mini Clubman passa a ser o primeiro modelo da marca a propor um banco do condutor com regulação eléctrica e memórias. Naturalmente que também não faltam as inúmeras soluções de personalização típicas de qualquer Mini.

A gama de versões, na fase de lançamento, será composta pelo Cooper S Clubman (motor 2.0 de 192 cv, capaz de 7,1 segundos nos 0-100 km/h e 228 km/h de velocidade máxima); pelo Cooper Clubman (motor 1.5 de três cilindros com 136 cv, 9,1 segundos nos 0-100 km/h e 205 km/h de velocidade máxima); e pelo Cooper D Clubman (motor 2.0 de 150 cv, 8,6 segundos nos 0-100 km/h, 212 km/h de velocidade máxima e consumo combinado de 4,1 l/100 km). De série, a caixa é sempre manual de seis velocidades, sendo, pela primeira vez num Mini, proposta como opção a caixa automática Steptronic de oito relações para as versões Cooper S Clubman e Cooper D Clubman, podendo o Cooper Clubman ser combinado, opcionalmente, com a caixa Steptronic de seis velocidades.

Uma palavra, ainda, para o desempenho dinâmico, que a Mini promete ser de referência para a classe no binómio eficácia/conforto, até porque o modelo conta com uma afinação de suspensão específica e com a direcção Servotronic electromecânica de série. Da lista de opcionais fazem parte a suspensão desportiva e o sistema de amortecimento activo DDC.


António de Sousa Pereira