0
Posted Julho 12, 2017 by António de Sousa Pereira in |Notícias
 
 

40 anos depois Renault lança a autêntica chaleira amarela…

Foi no Grande Prémio da Grã-Bretanha, disputado em Silverstone, a 16 de Julho de 1977, que se inaugurou uma nova era da história da Renault: a estreia na Fórmula 1 com o monolugar baptizado RS01. Quatro décadas passadas, o acerto da aposta é confirmado pelos números: 11 campeonatos de pilotos, 12 campeonatos de construtores, 170 vitórias em GP com 24 pilotos diferentes e 481 pódios. Como equipa ou enquanto fornecedora de motores, a marca gaulesa conquistou  já o seu  lugar na história da disciplina.

Mas nem tudo foram rosas. Há quarenta anos, à marca do losangointroduzia na F1 os motores turbo E, como não é vulgar acontecer quando se adoptam soluções novas e revolucionárias, nos primeiros tempos, a fiabilidade não era, propriamente, a maior atributo desse V6 a 90° com 2,0 litros e mais de 500 cv.

Com uma decoração dominada pelo amarelo, o RS01 muitas vezes foi obrigado a entrar nas boxes envolto no fumo branco que lhe saía do escape, sinal de que algo não estava bem com o motor. E tantas foram, que Ken Tyrrel, dono da equipa com o mesmo nome, com o seu proverbial humor britânico, rapidamente baptizou o monolugar francês como “A chaleira amarela” (The Yellow Teapot”), o que rapidamente se espalhou pelo paddock… e não só!

Apesar disso, em 1979, no circuito de Dijon, Jean-Pierre Jabouille vencia o primeiro Grande Prémio para a Renault e para o RS01, no que seria, também, a confirmação da validade da tecnologia turbo na F1. E a que, rapidamente, todas as outras equipas aderiram, com a Tyrrel à cabeça…

Passadas quatro décadas, a Renault quis provar que os franceses também têm sentido de humor,  criando a verdadeira “chaleira amarela”. A  que faz jus ao nome, e vai equipar as cozinhas do restaurante do “Atelier Renault”, espaço que a marca detém nos Campos Elísios, em Paris. Esta autêntica “Yellow Teapot” é, também, uma forma divertida de celebrar o passado e o presente, graças a um design inspirado no famoso RS01 e no novo RS17 (o monolugar da equipa para a presente temporada de F1), naturalmente decorada com a pintura oficial deste último.


António de Sousa Pereira