Random Article


 
Últimos vídeos
 

Alfa Romeo Stelvio 2.2D Q4 Super

 
Alfa Romeo Stelvio 2.2D Super
Alfa Romeo Stelvio 2.2D Super
Alfa Romeo Stelvio 2.2D Super

 
FICHA TÉCNICA
 

Marca:
 
Modelo:
 
Versão:
 
Ano De Lançamento:
 
Segmento:
 
Número De Portas:
 
Tracção:
 
Motor:
 
Potência máxima (cv/rpm): 210/3750
 
Velocidade máxima (km/h): 215
 
0-100 km/h (s): 6,6
 
Consumos Extra-urbano/combinado/urbano (l/100 km): 4,4/4,8/5,5
 
Emissões de CO2 (g/km): 127
 
PVP/Preço da unidade testada (€): 57 650/66 600
 
Qualidade geral
8.0


 
Interior
8.0


 
Segurança
8.0


 
Motor e prestações
9.0


 
Desempenho dinâmico
9.0


 
Consumos e emissões
8.0


 
Conforto
8.0


 
Equipamento
7.0


 
Garantias
6.0


 
Preço
9.0


 
Total Score
8.0


User Rating
26 total ratings

 

Gostámos


Comportamento, Preço competitivo, Prestações e consumos, Qualidade geral, Capacidade da mala, Estética

A rever


ESP não desligável, Ecrã e interface do sistema de infoentretenimento


Se tem pressa...

Na sua mais dotada versão turbodiesel, o Alfa Romeo Stelvio alia a uma soberba dinâmica a economia do motor a gasóleo, voltando a provar ser uma das mais interessantes propostas da sua classe

0
PostedOutubro 30, 2017 by

 
ARTIGO COMPLETO
 
 

Ficha de Medições

Velocidade máxima anunciada (km/h) 215
Acelerações (s)
0-100 km/h6,8
0-400 m14,9
0-1000 m27,9
Recuperações 60-100 km/h (s)
Em D4,2
Recuperações 80-120 km/h (s)
Em D5,3
Distância de travagem (m)
100-0 km/h35,7
Consumos (l/100 km)
Estrada (80-100 km/h)4,6
Auto-estrada (120-140 km/h)6,2
Cidade8,9
Média ponderada (*)7,50
Autonomia média ponderada (km)853
(60% cidade+20% estrada+20% AE)
Medidas interiores (mm)
Largura à frente1480
Largura atrás1440
Comprimento à frente1180
Comprimento atrás780
Altura à frente1020
Altura atrás965

Tendo sido as melhores as impressões deixadas pela versão 2.0 turbo a gasolina de 280 cv do Stelvio (saiba tudo aqui), redobrava o interesse em avaliar uma mais vendável (sobretudo em Portugal) variante do primeiro SUV da Alfa Romeo. É o caso do Stelvio 2.2D Q4 Super aqui em apreço, o mais dotado da família, em termos mecânicos como de equipamento, entre os animados por motores Diesel – por ora, ainda os preferidos entre os consumidores lusos neste segmento.

Porventura porque o factor novidade ainda se não esgotou, é impossível evitar que seja a estética a causar o primeiro impacto na novel criação da Alfa Romeo. Como que a confirmar a asserção de muitos, de que o Stelvio também tem que assumir as funções da versão carrinha que já se sabe a gama Giulia não vai conhecer, são vários os elementos que evocam o topo de gama da marca transalpina, em especial os grupos ópticos dianteiros. O que não implica, contudo, que o modelo seja menos encantador, ou não possua uma personalidade própria, e, porventura tão importante, permite-lhe demarcar-se notoriamente, neste particular, dos seus rivais alemães, que continuam a dominar o segmento na Europa, assim lhe garantindo um toque extra de distinção e exclusividade.

Um dos atributos incontornáveis do Stelvio é continuar a encantar a esmagadora maioria daqueles que com ele se cruzam

Um dos atributos incontornáveis do Stelvio é continuar a encantar a esmagadora maioria daqueles que com ele se cruzam

Interiormente, nada de novo face ao já conhecido do Stelvio 2.0 Turbo de 280 cv. Decoração a preceito, fazendo jus à desportividade das linhas exteriores e aos próprios pergaminhos da Alfa Romeo, e qualidade geral equivalente, merecendo menção a simplicidade das soluções utilizadas, o rigor dos acabamentos e a robustez e agrado ao tacto da maioria dos materiais utilizados. Não obstante, nalguns pormenores, o SUV milanês ainda fica, nesta matéria, algo aquém dos seus melhores concorrentes, e o elemento que melhor o comprova será o plástico absolutamente vulgar utilizado pelo punho do joystick de comando da caixa de velocidade automática –decididamente, um pormenor a rever tão breve quanto possível.

Já o espaço oferecido a passageiros e respectivas bagagens está acima de críticas. Quatro adultos viajam com todo o desafogo a bordo do Stelvio, sendo particularmente meritório o espaço disponível para as pernas dos ocupantes do banco traseiro. Também a mala, com 525 litros de capacidade com uma lotação para cinco passageiros, é uma das maiores da classe, e conta ainda com a vantagem de oferecer um óptimo acesso.

A habitabilidade e a capacidade da bagageira são óptimas, a decoração honra os pergaihos da Alfa Romeo e a qualidade geral marca um assinalável progresso face ao padrões habituais da marca

A habitabilidade e a capacidade da bagageira são óptimas, a decoração honra os pergaihos da Alfa Romeo e a qualidade geral marca um assinalável progresso face ao padrões habituais da marca

Mas como, até aqui, este Stelvio 2.2D Super em muito pouco se distingue dos outros membros da sua gama com idêntico nível de equipamento, é tempo de avaliar as suas competências mecânicas, aquilo que, realmente, faz a diferença nesta versão. Para isso, é necessário ocupar o lugar mais apetecido a bordo, o que também constitui a oportunidade ideal para confirmar que o posto de condução, apesar de elevado e dominante, é óptimo, fruto da adequada posição relativa entre pedais e volante, do volante soberbo em termos de dimensões e pega, da excelente legibilidade do painel de instrumentos, da correcta ergonomia. Referência, ainda, para o bom apoio e conforto oferecidos pelos opcionais bancos dianteiros em pele com regulações eléctricas.

A animar o mais potente dos Stelvio a gasóleo está o quatro cilindros turbodiesel de 2,2 litros, apto a disponibilizar 210 cv de potência e um binário máximo de 470 Nm logo às 1750 rpm. Uma unidade que, também por via da excelente afinação da caixa automática ZF de oito velocidades, extremamente rápida e suave, e de operação muito fluída em todos os seus modos de operação, acaba por revelar-se um poderoso aliado do Stelvio 2.2D Super.

O conjunto motor/transmissão é um dos principais aliados da mais dotada versão a gasóleo do Stelvio para garantir uma excelente dinâmica, prestações de bom nível e consumos muito apelativos

O conjunto motor/transmissão é um dos principais aliados da mais dotada versão a gasóleo do Stelvio para garantir uma excelente dinâmica, prestações de bom nível e consumos muito apelativos

O motor começa por impor-se pela sua resposta pronta em qualquer circunstância, revelando uma pujança e uma linearidade notáveis, muito contribuindo para a facilidade e agrado de condução proporcionados por este Stelvio. Em particular nos modos de condução All Weather e Normal (elegíveis através do tradicional selector DNA), os consumos são por demais apelativos em estrada, enquanto que em cidade acabam por não ser mais do que aceitáveis. Em compensação, as prestações são, no mínimo, excelentes para a categoria em que o modelo se inscreve, com a aceleração 0-100 km/h a nem ficar muito aquém do valor registado pela versão a gasolina de 280 cv.

Quando se opta por ritmos mais empenhados, e seleccionado o modo de condução Dynamic, o Stelvio 2.2D Super volta a dar muito boa conta de si. O motor oferece uma resposta ainda mais célere às solicitações do acelerador, e se bem que, próximo do regime máximo de funcionamento, acaba por fazer ouvir-se, a sonoridade que chega ao habitáculo nem é desagradável, ou excessivamente impositiva, o que atesta da qualidade dos cuidados dispensados pelos técnicos à insonorização do habitáculo.

Para os atributos do Stelvio nos capítulos das prestações, consumos e comportamento dinâmico contribuem, igualmente, a plataforma modular Giorgio estreada pelo Giulia, as portas e o capot em alumínio, e o veio de transmissão em fibra de carbono. Por aqui se explica, em boa parte, um peso de 1659 kg, idêntico ao da versão a gasolina de 280 cv, e uma muito favorável relação peso potência de 7,9 kg/cv.

Conduzir o Stelvio é uma tarefa bastante grata, seja no dia-a-dia, em calmos passeios em família e, muito particularmente, quando se adopta uma toada mais desportiva

Conduzir o Stelvio é uma tarefa bastante grata, seja no dia-a-dia, em calmos passeios em família e, muito particularmente, quando se adopta uma toada mais desportiva

Tudo isto, em conjunto com uma aposta da Alfa Romeo que vai nitidamente no sentido da máxima eficácia em asfalto, faz do Stelvio uma das referências incontornáveis do mercado em termos de eficácia dinâmica e prazer de condução. Mesmo nesta versão Diesel, a direcção muito directa e precisa é fantástica pela sua rapidez, precisão e feedback, não tendo paralelo no universo SUV. A preciosa afinação do châssis garante ao modelo uma grande estabilidade em linha recta, mesmo a velocidades mais elevadas, assim como um preciso controlo dos movimentos da carroçaria e uma notável precisão na inscrição em curva.

Nesta versão a gasóleo de 210 cv, o Stelvio monta de série o sistema de tracção integral Q4 apto a passar até 50% do binário para o eixo dianteiro, sempre que as circunstâncias assim o exigem (muito ajudando a reduzir a subviragem nas solicitações mais exigentes e a incrementar a tracção em pisos de baixa aderência), mas que, quando assim não é, funciona, essencialmente, como um tracção traseira. Algo que até permite que a traseira rode ligeiramente nas curvas descritas de forma mais impetuosa, só não conseguindo oferecer uma agilidade adicional ainda mais notória porque o controlo de estabilidade, a partir de determinado grau de deriva, acaba por intervir, lamentando-se, mais uma vez, que não seja possível desligá-lo.

Mas nada que impeça que o Stelvio seja um SUV que se conduz praticamente como se fosse uma berlina, dotado de um sistema de travagem muito competente, embora exigindo alguma virilidade na acção sobre o respectivo pedal, e que se assume como uma verdadeira referência do mercado, no seu género, brilhando a alta altura nos troços mais sinuosos, e oferecendo um prazer ao volante com que (muito) poucos automóveis deste tipo são capazes de ombrear. E sempre com um substantivo nível de conforto e uma grande facilidade de condução no dia-a-dia.

São poucos os SUV do mercado capazes de oferecer um prazer ao volante em asfalto equiparável ao do Stelvio, que se conduz quase como um automóvel convencional

São poucos os SUV do mercado capazes de oferecer um prazer ao volante em asfalto equiparável ao do Stelvio, que se conduz quase como um automóvel convencional

Já o fora de estrada não é, de todo, o habitat natural do Stelvio, qualquer que seja a sua variante, confirmando o pressuposto de que este não é o trunfo mais apreciado pelo cliente típico dos SUV . O sistema 4×4 e a altura ao solo mais elevada do que o normal naturalmente que lhe permitem enfrentar com à vontade relativo outros terrenos que não o asfalto, mas sempre de forma controlada, com as necessárias cautelas e desde que os obstáculos a superar não sejam muito exigentes. Mais do que um handicap, uma característica.

Assim sendo, mesmo este Stelvio 2.2D Super assume-se como um SUV para aqueles que não dispensam que o prazer de condução seja cerceado apenas porque estão ao volante de um automóvel de maior porte e versatilidade acrescida, ao mesmo tempo capaz de transportar com todo o conforto quatro, ou até cinco, passageiros com todo o conforto. Com eeste motor turbodiesel de 210 cv, custa €57 650 euros, uma verba que, não sendo acessível a todos, não deixa de ser bastante competitiva face ao praticado pela concorrência directa com mecânica equiparável – sendo que na gama existe ainda as versões Diesel de 250 cv e tracção traseira, desde €50 150, e de 180 cv e tracção total, a partir de €54 150. Todas pagando Classe 1 nas portagens nacionais.

Quanto ao equipamento de série, é bastante interessante, mas não deixa dw apresentar algumas lacunas, relegando para lista de opcionais alguns elementos que dificilmente um cliente de um automóvel deste calibre e preço dispensará. Também a rever, logo que possível, um sistema de Infoentretenimento com uma lógica de menus e um acesso a determinadas funções, no mínimo, perfectíveis, assim como a qualidade da imagem projectada pela câmara de estacionamento traseira.

 

Dados Técnicos e Equipamento

Dados Técnicos

Motor
Tipo4 cil. linha Diesel, longit., diant.
Cilindrada (cc)2143
Diâmetro x curso (mm)83,0×99,0
Taxa de compressão15,5:1
Distribuição2 v.e.c./16 válvulas
Potência máxima (cv/rpm)210/3750
Binário máximo (Nm/rpm)470/1750
Alimentaçãoinjecção directa common-rail
Sobrealimentaçãoturbocompressor VTG+intercooler
Dimensões exteriores
Comprimento/largura/altura (mm)4687/1903/1671
Distância entre eixos (mm)2818
Largura de vias fte/trás (mm)1613/1653
Jantes – pneus (série)9Jx18″ – 235/60
Jantes – pneus (instalados)9Jx20″ – 235/55 (Goodyear Eagle F1 Assymetric 3 SUV)
Pesos e capacidades
Peso (kg)1659
Relação peso/potência (kg/cv)7,9
Capacidade da mala/depósito (l)525/64
Transmissão
Tracçãointegral
Caixa de velocidadesautomática de 8+m.a.
Direcção
Tipocremalheira com assistência electrohidráulica
Diâmetro de viragem (m)12,0
Travões
Dianteiros (ø mm)discos ventilados (n.d.)
Traseiros (ø mm)discos maciços (n.d.)
 
Suspensões
DianteiraIndependente, com triângulos sobrepostos
TraseiraIndependente, com triângulos sobrepostos
Barra estabilizadora frente/trássim/sim
Garantias
Garantia geral2 anos sem limite de km
Garantia de pintura3 anos
Garantia anti-corrosão8 anos
Intervalos entre manutenções20 000 km

Equipamento de série

Airbag para condutor e passageiro (desligável)
Airbags laterais dianteiros
Airbags de cortina
Controlo electrónico de estabilidade
Cintos dianteiros com pré-tensores e limitadores de esforço
Fixações Isofix
Sistema de auxílio à manutenção na faixa de rodagem
Sistema de monitorização do ângulo morto
Sistema de travagem autónoma de emergência
Controlo automático de descidas (HDC)
Selector de modos de condução DNA
Travão de estacionamento eléctrico
Ar condicionado automático bizona
Computador de bordo TFT a cores de 7″
Bancos em pele+tecido
Banco traseiro rebatível 60/40
Volante multifunções em pele, regulável em altura+profundidade
Patilhas de comando da caixa no volante
Rádio com leitor de mp3+ecrã táctil de 6,5″+8 altifalantes+tomada Aux
Mãos-livres Bluetooth
Direcção com assistência eléctrica variável
Vidros eléctricos FR/TR
Retrovisores exteriores eléctricos+aquecidos
Cruise control+limitador de velocidade
Sensores de luz/chuva
Sensores de estacionamento traseiros
Faróis de nevoeiro
Portão traseiro com abertura/fecho eléctricos
Jantes de liga leve de 18″
Sistema de monitorização da pressão dos pneus
Kit de reparação de pneus

Extras da unidade testada

Jantes de 19″ com pneus 235/55 (€1100)
Kit fumador (€50)
Pintura Branco Alfa (€500)
Pack Business Alfa Plus (€2350 – inclui: Alfa XConncet Nav. 6,5″ com navegação; sensores de estacionamento dianteiros+traseiros; retrovisores exteriores e interior electrocromáticos; assistente de máximos; sistema de monotorização de veículos no ângulo morto)
Estofos em pele (€1100)
Pinças de travão Bremdo em alumínio vermelhas (€350)
Pack Lighting (€1550 – inclui: faróis Bi-Xenon adaptativos+lava-faróis aquecidos)
Pack Convenience (€650 – inclui: acesso/arranque sem chave+puxadores das portas iluminados+sensor da qualidade do ar+pára-brisas atérmico)
Pack Power Seats (€950 – inclui: banco dianteiros com regulação elétrica+memória para o condutor)
Pedaleira em alumínio (€350)

António de Sousa Pereira

 

0 Comments



Be the first to comment!


Leave a Response

(required)