Random Article


 
Últimos vídeos
 

Volvo XC60 D5 Inscription

 
Volvo XC60 D5 Inscription
Volvo XC60 D5 Inscription
Volvo XC60 D5 Inscription

 
FICHA TÉCNICA
 

Marca:
 
Modelo:
 
Ano De Lançamento:
 
Segmento:
 
Número De Portas:
 
Tracção:
 
Motor:
 
Potência máxima (cv/rpm): 235/4000
 
Velocidade máxima (km/h): 220
 
0-100 km/h (s): 7,2
 
Consumos Extra-urbano/combinado/urbano (l/100 km): 5,2/5,5/6,1
 
Emissões de CO2 (g/km): 144
 
PVP/Preço da unidade testada (€): 68 395/85 257
 
Qualidade geral
9.0


 
Interior
9.0


 
Segurança
9.0


 
Motor e prestações
9.0


 
Desempenho dinâmico
8.0


 
Consumos e emissões
8.0


 
Conforto
7.0


 
Equipamento
9.0


 
Garantias
6.0


 
Preço
6.0


 
Total Score
8.0


User Rating
no ratings yet

 

Gostámos


Motor, Prestações e consumos, Qualidade geral, Segurança activa, Estética, Equipamento, Desempenho dinâmico

A rever


Preço, Jantes de 20" condicionam conforto em mau piso e desempenho TT, Pormenores de equipamento


Se tem pressa...

A mais potente versão a gasóleo do SUV de médio porte da Volvo é, também, a mais competente e apetecível da gama O investimento do XC60 D5 face ao seu “irmão” D4 não é excessivo, até porque os consumos pouco se ressentem

1
PostedDezembro 20, 2017 by

 
ARTIGO COMPLETO
 
 

Ficha de Medições

Velocidade máxima anunciada (km/h) 220
Acelerações (s)
0-100 km/h7,8
0-400 m15,6
0-1000 m28,5
Recuperações 60-100 km/h (s)
Em D4,4
Recuperações 80-120 km/h (s)
Em D5,5
Distância de travagem (m)
100-0 km/h37,6
Consumos (l/100 km)
Estrada (80-100 km/h)5,5
Auto-estrada (120-140 km/h)6,9
Cidade8,7
Média ponderada (*)7,70
Autonomia média ponderada (km)922
(60% cidade+20% estrada+20% AE)
Medidas interiores (mm)
Largura à frente1480
Largura atrás1450
Comprimento à frente1200
Comprimento atrás770
Altura à frente950
Altura atrás960

aqui analisado na sua (para já) mais acessível versão D4, o novo SUV de médias dimensões da Volvo é também proposto numa variante mais potente do mesmo motor turbodiesel de 2,0 litros: o XC60 D5 de 235 cv, aqui avaliado quando em combinação com o nível de equipamento mais dotado e completo da família. Um automóvel que, não obstante o investimento acrescido a que obriga, acaba por contar com louváveis argumentos e algumas vantagens face ao seu “irmão” de 190 cv.

Não no plano estético. Aqui, os XC60 com idêntico nível de equipamento e acabamentos são absolutamente idênticos, limitando-se as diferenças entre as duas versões ensaiadas ao emblema identificativo do motor colocado no portão traseiro, e às opcionais jantes que qualquer deles montava (19” no D4; 20” no D5, sendo imperioso reconhecer o quanto contribuem para o apelo visual do modelo). O que está longe de ser um handicap num SUV que prima por ser esteticamente muito bem conseguido, e que, mesmo já alguns meses passados sobre o seu lançamento, continua a despertar cobiça junto da maioria, poucos sendo os que lhe ficam indiferentes.

Apelo estético é o que não falta ao XC60, cuja aparência se mantém inalterada, independentemente da motorização, sempre que o nível de equipamento é o mesmo

Apelo estético é o que não falta ao XC60, cuja aparência se mantém inalterada, independentemente da motorização, sempre que o nível de equipamento é o mesmo

O mesmo raciocínio se aplica por inteiro ao interior. Com o mesmo nível de equipamento, não existem quaisquer diferenças entre um e outro membro da gama XC60. O que significa que o “nosso” XC60 D5 exibia todos os argumentos já conhecidos do seu “irmão” mais novo, como sejam o ambiente único e extremamente acolhedor, tipicamente Volvo e tipicamente nórdico; a superior qualidade geral, que em nada fica a dever à conhecida da poderosa concorrência germânica; a generosa habitabilidade, inclusive atrás; a ampla mala, embora sem oferecer um espaço para arrumar a chapeleira quando removida.

Nas versões Inscription, o equipamento de série é extremamente completo a todos os níveis, o que não significa que não possa ser complementado por uma multiplicidade de extras. Entre estes, e no que ao interior diz respeito, menção obrigatória para os soberbos bancos multireguláveis, aquecidos e ventilados presentes na unidade testada, que muito contribuem para a exemplar posição condução (para um SUV) oferecida pelo XC60, embora custando €2189.

A generosa habitabilidade traseira é um dos principais atributos do refinado habitáculo

A generosa habitabilidade traseira é um dos principais atributos do refinado habitáculo

Está bom de ver, por tudo isto, que acaba por ser o motor, e aquilo que com este se relaciona. o elemento mais diferenciador do XC60 D5. O mesmo bloco 2.0 de quatro cilindros com turbocompressor da versão D4, aqui apto a disponibilizar 235 cv, e um binário máximo de 480 Nm, constante entre as 1750-2250 rpm, em boa parte devido ao recurso ao sistema Power Pulse. Solução que, de forma simplista, consiste na adopção de um pequeno compressor eléctrico que comprime que é ar armazenado num depósito, posteriormente libertado no circuito de escape antes da entrada em funcionamento do turbo, para que a respectiva turbina comece de imediato a funcionar, assim eliminando quase na totalidade o atraso da respectiva resposta.

Na prática, esta unidade prima pela prontidão da resposta logo nos mais baixos regimes, inclusive nos modos de condução mais conservadores (Eco e Comfort), garantindo prestações de nível superior tendo em conta o peso de 1900 kg do XC60 D5. Não menos importante, os consumos são ainda melhores, tão ou mais apelativos do que os da versão D4 com 2somente” 190 cv, com a vantagem adicional de o depósito de combustível contar, neste caso, não com 60 litros, mas com 71 litros, o que garante uma autonomia acrescida, de quase um milhar de quilómetros em condições reais de utilização. Já numa condução mais dinâmica, sem grandes preocupações com o pedal da direita, a média de consumo rondará os 8,5 l/100 km.

A caixa automática de oito velocidades, muito suave e bem escalonada, conta com um funcionamento rápido e “inteligente”, capaz e selecionar, as mais das vezes, a relação ideal para cada situação, em função do modo de condução selecionado, e do estilo de condução praticado. Os mais exigentes podem sempre optar por comanda-la manualmente em sequência, embora as patilhas no volante sejam um extra, situação pouco compreensível num automóvel que custa mais de 68 mil euros, para mais porque o seu custo não vai além dos €166.

O comportamento sempre muito honesto e previsível transmite grande dose de confiança ao condutor. No XC60 D5, as prestações estão em alta sem que os consumos sejam penalizados

O comportamento sempre muito honesto e previsível transmite grande dose de confiança ao condutor. No XC60 D5, as prestações estão em alta sem que os consumos sejam penalizados

Assente na plataforma SPA, já conhecida dos modelos da Série 90 da Volvo (XC90, S90 e V90), o SUV de médio porte nórdico oferece um desempenho dinâmico mais caracterizado pelo rigor e pela previsibilidade, em que o condutor tem tudo permanentemente sob o seu controlo, mesmo quando dos erros mais grosseirios, do que pela envolvência ao volante ou pela eficácia pura. É uma opção assumida do construtor sueco, que já provou em anteriores oportunidades (mormente no anterior XC60) saber seguir por outra via, e há que reconhecer que este caminho, por muito que desiluda os adeptos de uma condução mais aguerrida, acaba por ser a mais racional das opções para um SUV, para mais com este porte e peso, e a que mais de acordo estará com o estilo de condução praticado pela maioria dos utilizadores de um veículo deste género.

E o facto é que o XC60 D5 é um modelo com uma atitude muito neutra em curva, fácil de controlar e honesto, que transmite grande confiança a quem se senta atrás do volante. Com a tracção integral a garantir vantagem também no asfalto, contribuindo para uma correcta descrição das trajectórias nas curvas mais exigentes, e sobre piso escorregadio, ao transferir binário para o eixo dianteiro por forma a manter uma atitude neutro ou ligeiramente subviradora, o que não deixa de contribur para a tal sensação de serenidade absoluta ao volante. Só é pena a direção ser um pouco “leve” demais, não ser modo no modo Dynamic, ou quando especificada em contrário no modo Individual.

Em matéria de conforto, nota mais para o óptimo isolamento acústico do habitáculo, que faz parecer silencioso um motor que nem o é assim tanto. Já o conforto de marcha não é referencial quando se impõe enfrentar pisos mais degradados, irregularidades mais acentuadas ou desníveis súbitos, e mais ainda com as opcionais jantes de 20”, revestidas por pneus de medida 255/45, montadas na unidade ensaiada. Um elemento que, no fora de estrada, acarreta prejuízos ainda mais óbvios, a juntar a ângulos característicos pouco vocacionados para a prática do TT, apesar da razoável altura ao solo de 216 mm, e de um modo Off-Road que até permite evoluir com razoável facilidade em outros pisos que não o asfalto.

As opcionais jantes de 20" não só condicionam o desempenho fora de estrada, como acabam por prejudicar o conforto em pisos mais irregulares

As opcionais jantes de 20″ não só condicionam o desempenho fora de estrada, como acabam por prejudicar o conforto em pisos mais irregulares

Em compensação, o XC60 continua a ser um dos modelos do seu segmento mais dotados no que aos sistemas avançados de auxilio condução diz respeito. Muitos são de série, outros opcionais, e é da mais elementar justiça mencionar o Pilot Assist, que, desde que se mantenham as mãos no volante, já consegue manter o veículo na faixa de rodagem, e acelerar e travar autonomamente para manter a distância (ajustável pelo utilizador) para o veículo da frente – se bem que seja mais efectivo e eficaz quando a circular na faixa da direita ou central, do que na esquerda, tenha a via separador central ou não.

Contas feitas, este XC60 D5 acaba por ser a mais interessante versão a gasóleo do novo SUV de médias dimensões da Volvo, por via das melhores prestações que oferece, e da maior aptidão dinâmica para transportar toda a família, e respectivos pertences, até porque os consumos não saem penalizados. Assim se esteja disposto a investir os cerca de €7000 que custa a mais do que a variante D4, isto num preçário que está longe de ser dos mais acessíveis deste segmento – embora com a vantagem de todos os XC60 pagarem Classe 1 nas portagens nacionais.

Dados Técnicos e Equipamento

Dados Técnicos

Motor
Tipo4 cil. linha Diesel, transv., diant.
Cilindrada (cc)1969
Diâmetro x curso (mm)82,0×93,2
Taxa de compressão15,8:1
Distribuição2 v.e.c./16 válvulas
Potência máxima (cv/rpm)235/4000
Binário máximo (Nm/rpm)480/1750-2250
Alimentaçãoinjecção directa common-rail
Sobrealimentaçãoturbocompressor+intercooler
Dimensões exteriores
Comprimento/largura/altura (mm)4688/1902/1658
Distância entre eixos (mm)2865
Largura de vias fte/trás (mm)1649/1653
Jantes – pneus (série)9Jx19″ – 255/45
Jantes – pneus (instalados)9 1/2Jx20″ – 255/45 (Michelin Latitude Sport 3)
Pesos e capacidades
Peso (kg)1900
Relação peso/potência (kg/cv)8,46
Capacidade da mala/depósito (l)505-1432/71
Transmissão
Tracçãointegral
Caixa de velocidadesautomática de 8+m.a.
Direcção
Tipocremalheira com assistência electrohidráulica
Diâmetro de viragem (m)11,4
Travões
Dianteiros (ø mm)discos ventilados (345)
Traseiros (ø mm)discos ventilados (320)
Suspensões
DianteiraIndependente, com triângulos sobrepostos
TraseiraMultilink
Barra estabilizadora frente/trássim/sim
Aptidões TT
Ângulos de ataque/saída/ventral (º)23,1/25,5/20,8
Inclinação lateral máx./pendente máx.(º)n.d./n.d.
Altura ao solo/passagem a vau (mm)216/400
Garantias
Garantia geral2 anos sem limite de km
Garantia de pintura3 anos
Garantia anti-corrosão12 anos
Intervalos entre manutenções30 000 km

Equipamento de série

Airbag para condutor e passageiro (desligável)
Airbags laterais dianteiros
Airbags de cortina
Airbag para os joelhos do condutor
Controlo electrónico de estabilidade
Cintos dianteiros com pré-tensores e limitadores de esforço
Fixações Isofix
Alerta de saída de faixa de rodagem
Sistema de travagem autónoma de emergência com reconhecimento de peões
Assistente aos arranques em subida
Controlo automático de descidas (HDC)
Selector de modos de condução
Travão de estacionamento eléctrico
Ar condicionado automático bizona
Computador de bordo
Painel de instrumentos digital de 12,3″
Bancos em pele
Banco do condutor com regulação eléctrica
Bancos dianteiros com extensão manual do apoio de pernas
Banco traseiro rebatível 60/40
Volante multifunções em pele, regulável em altura+profundidade
Sistema multimédia com tomada USB
Mãos-livres Bluetooth
Direcção com assistência electrohidráulica variável
Vidros eléctricos FR/TR
Retrovisores exteriores eléctricos+aquecidos+rebatíveis electricamente
Retrovisor interior electrocromático
Cruise control+limitador de velocidade
Sensor de chuva
Ópticas dianteiras por LED
Barras de tejadilho
Jantes de liga leve de 19″
Kit de reparação de furos
Sistema de monitorização da pressão dos pneus

Extras da unidade testada

Pack IntelliSafe Pro (€1685 – inclui: cruise control adaptativo; monitorização do ângulo morto)
Pack Light (€1046 – inclui: faróis de nevoeiro; lava-faróis; espelhos retrovisores interior e exteriores electrocromáticos; ópticas por LED High)
Pack Winter (€369 – inclui: bancos dianteiros aquecidos; limpa pára-brisas aquecidos)
Pack Xenium Pro (€3444 – inclui: ar condicionado quatro zonas; tecto panorâmico eléctrico; inserções em pele no tablier)
Pack Business Connect Pro (€1956 – inclui: sistema de navegação; Volvo On Call; integração smartphone com ligação USB)
Pack Luxury Seats (€2189 – inclui: banco do passageiro dianteiro com regulação eléctrica; apoio lateral e extensão para as pernas dos bancos dianteiros com regulação eléctrica)
Pack Versatility II (€935 – inclui: rede de protecção de carga da bagageira; portão traseiro eléctrico)
Fecho de segurança eléctrico das portas traseiras (€98)
Volante desportivo (€123)
Patilhas de comando da caixa no volante (€166)
Sistema de som Bowers and Wilkins (€3075)
Sensores de estacionamento FR+TR (€418)
Porta luvas com trancamento (€25)
Roda suplente de emergência (€92)
Jantes de liga leve de 20″ com pneus 255/45 (€738)

António de Sousa Pereira

 

One Comment



    Leave a Response

    (required)