CompararComparando ...

Audi A1 Sportback 30 TFSI S tronic S line

Artigo
Audi A1 Sportback 30 TFSI S tronic S line

Visão geral
Marca:

Audi

Modelo:

A1 Sportback

Versão:

30 TFSI S tronic S line

Ano lançamento:

2019

Segmento:

Utilitários

Nº Portas:

5

Tracção:

Dianteira

Motor:

1.0 Turbo

Pot. máx. (cv/rpm):

116/5000-5500

Vel. máx. (km/h):

203

0-100 km/h (s):

9,4

Consumos (l/100 km):

4,2/4,8/5,9 (Extra-urbano/Combinado/Urbano)

CO2 (g/km):

110

PVP (€):

28 949/37 849 (Unidade testada)

Gostámos

Imagem, Comportamento, Motor e prestações, Qualidade geral

A rever

Preço elevado, Conforto em mau piso (com suspensão desportiva e pneus 215/45)

Nosso Rating
Rating Leitor
Para avaliar, registe-se ou inicie sessão
Qualidade geral
8.0
Interior
8.0
Segurança
9.0
Motor e prestações
8.0
Desempenho dinâmico
9.0
Consumos e emissões
8.0
Conforto
7.0
Equipamento
7.0
Garantias
7.0
Preço
5.0
Se tem pressa...

O novo A1 Sportback 30 TFSI S tronic S line arrisca-se a ser uma das mais procuradas vaiantes da mais recente geração do utilitário da Audi. Faz quase tudo bem, e decerto convencerá um público mais alargado, embora também se faça pagar bem por isso…

7.6
Nosso Rating
Rating Leitor
You have rated this
Velocidade máxima anunciada (km/h) 203
Acelerações (s)
0-100 km/h 9,6
0-400 m 17,1
0-1000 m 31,6
Recuperações 60-100 km/h (s)
Em D 4,4
Recuperações 80-120 km/h (s)
Em D 6,9
Distância de travagem (m)
100-0 km/h 36,8
Consumos gasolina (l/100 km)
Estrada (80-100 km/h) 4,7
Auto-estrada (120-140 km/h) 5,4
Cidade 6,8
Média ponderada (*) 6,10
Autonomia média ponderada (km) 655
(60% cidade+20% estrada+20% AE)
Medidas interiores (mm)
Largura à frente 1380
Largura atrás 1350
Comprimento à frente 1090
Comprimento atrás 740
Altura à frente 1010
Altura atrás 950

Única marca de prestígio a competir no segmento dos utilitários, a Audi deposita (fundadas) esperanças na nova geração do seu representante na classe para aí ganhar ainda maior protagonismo – algo que o A1 Sportback 30 TFSI S tronic S line aqui em avaliação, sem dúvida uma das mais apelativas versões do modelo para o nosso país, não deixa de confirmar. Isto mesmo tendo em conta que a oferta não contempla motorizações a gasóleo, e que esta passa a ser a única variante de carroçaria da família.

Impossível não iniciar a análise do novo A1 Sportback pela componente estilística, por via quer da sua valia, quer da importância que assume para as novas identidade e postura assumidas pelo modelo. Se, na anterior geração, o A1 terá ficado excessivamente conotado com as preferências de um público mais feminino, agora assume um visual bem mais dinâmico e desportivo, que a Audi espera pague dividendos na sua aceitação por parte de uma clientela mais abrangente.

Inegável é que as linhas exteriores, mais angulosas, estão muito mais agressivas, marcando a diferença não só face à concorrência, mas também no seio da própria gama da Audi – algo patente, por exemplo, na inconfundível assinatura visual por LED expressa pelas ópticas dianteiras. A marca afirma, até, que os designers foram beber inspiração em modelos emblemáticos da sua história, sendo o elemento que mais o comprova as aberturas existentes entre o capot e a grelha frontal, evocativas no inesquecível Sport Quattro. Na unidade testada, por via a adopção do nível de equipamento e acabamentos S line, a tão almejada “masculinidade” é reforçada por soluções como as entradas de ar e o deflector de maiores dimensões, que casam na perfeição com a cor vermelha da carroçaria.

Não restam dúvidas de que a nova geração do A1 Sportback ganhou uma imagem bastante mais dinâmica e agressiva do que o seu antecessor, agora capaz de cativar para a Audi um público mais abrangente

Não restam dúvidas de que a nova geração do A1 Sportback ganhou uma imagem bastante mais dinâmica e agressiva do que o seu antecessor, agora capaz de cativar para a Audi um público mais abrangente

Assente na plataforma modular MQB A0, o novo A1 Sportback é 56 mm mais comprido, 11 mm mais alto, 6 mm mais estreito e 94 mm maior entre eixos do que o seu antecessor, o que ajuda a explicar a muito interessante habitabilidade, um pouco mais generosa do que a do Seat Ibiza, e muito semelhante à do VW Polo, excepto na altura à frente, favorável, por reduzida margem, ao representante da Audi. Comum a todos os modelos assentes nesta base é o desafogo com que se viaja atrás (para um automóvel desta categoria, e pese embora o túnel central acabar por condicionar um pouco o conforto de um eventual terceiro passageiro traseiro), a que há que juntar uma bagageira generosa, cuja capacidade aumentou 65 litros, variando entre 335 litros e 1090 litros com o banco traseiro totalmente rebatido.

Domínio em que a casa de Ingolstadt não deixa os seus créditos por mãos alheias é o do apelo interior, desde logo devido a um design e uma decoração soberbos, em que pontificam as arestas dos elementos em forma de triângulo ou losango, como as saídas ventilação ao lado painel de instrumentos, ou as cavas dos puxadores das portas. Elementos estes que combinam muito bem com um conjunto globalmente elegante, e conferem ao habitáculo originalidade, distinção e desportividade, sendo tudo isto é encimado por uma apreciável qualidade geral, garantida por uma construção e montagem de nível superior, e por materiais, na sua maioria, bons, conjugados com revestimentos não menos convincentes, como a faixa a imitar carbono aplicada ao centro tablier, capaz de conferir ao conjunto um toque extra de desportividade e sofisticação.

Por teu turno, o recurso a evoluídas soluções de conectividade quase permitiu dispensar os botões físicos, praticamente inexistentes no novo A1 Sportback. Excepção feita às tarefas essenciais relacionadas com a condução, a interacção com o veículo é, no essencial, assegurada pelo painel de instrumentos digital (com 10,25” na versão mais simples, ou com 12,2” e maior número de possibilidades de configuração quando instalado, como sucedia na unidade testada, o excelente Audi Virtual Cockpit), e pelo ecrã do completo sistema de infoentretenimento MMI, que apenas peca por estar longe de ser o mais intuitivo ou rápido a responder. Pelo contrário, a qualidade sonora do sistema de som é tão bom (ou melhor ainda) atrás do que na frente.

Senhor de uma apreciável habitabilidade, à frente como atrás, o interior conta, ainda, com uma qualidade geral sem paralelo na classe, acabando por distanciar o A1 Sportback, neste capítulo, dos seus "primos" no Grupo VW que fazem uso da mesma plataforma

Senhor de uma apreciável habitabilidade, à frente como atrás, o interior conta, ainda, com uma qualidade geral sem paralelo na classe, acabando por distanciar o A1 Sportback, neste capítulo, dos seus “primos” no Grupo VW que fazem uso da mesma plataforma

O posto de condução, esse, é muito correcto, e, até, envolvente, merecendo aqui destaque os bancos dianteiros com um apreciável encaixe, e dotados de múltiplas regulações (tal como o volante), assim como o excelente tacto de todos os comando. No novo A1 Sportback quase tudo está orientado para o condutor, inclusivamente a consola central e, com ela, o próprio ecrã do MMI.

Da actual oferta do novo A1 Sportback constam mais duas motorizações a gasolina (1.0 de 95 cv, e 1.5 de 150 cv), sendo a aqui em apreço, porventura, a que melhor se ajusta à realidade nacional. Um três cilindros de 999 cc, com 116 cv e um binário máximo de 200 Nm, constante entre as 2000-3500 rpm, que prima pelo seu funcionamento suave e pouco ruidoso, e por uma elogiável solicitude, que se faz sentir na resposta franca e linear logo a partir das 1500 rpm. De tal ordem, que até parece tratar-se de uma unidade com mais cilindrada, sendo este um trunfo que, conjugado com o bom auxílio prestado pela rápida caixa pilotada S tronic de dupla embraiagem e sete velocidades, também não deixa de contribuir de modo decisivo para as boas prestações alcançadas pelo A1 Sportback 30 TFSI S tronic S line.

O pequeno três cilindros de 999 cc e 116 cv garante ao A1 Sportback uma facilidade de condução e um dinamismo que só surpreenderão quem insa não teve oportunidade de experimentá-lo noutras propostas do grupo germânico. E ainda é bastante comedido nos consumos

O pequeno três cilindros de 999 cc e 116 cv garante ao A1 Sportback uma facilidade de condução e um dinamismo que só surpreenderão quem insa não teve oportunidade de experimentá-lo noutras propostas do grupo germânico. E ainda é bastante comedido nos consumos

Já os consumos conseguem ser soberbos numa condução moderada e a velocidades estabilizadas, e mesmo em cidade são mais do que apelativos. A ritmos mais intensos a média tenderá a aproximar-se dos 8,5 l/100 km, sendo melhor contar com valores próximos dos 10,0 l/100 km naquelas alturas em que o objectivo é explorar na plenitude o potencial dinâmico do A1 Sportback 30 TFSI S tronic S line.

Como é apanágio de todos os modelos que fazem uso desta plataforma, o comportamento dinâmico é muito são e eficaz, e o conforto, as mais das vezes, elevado (embora amiúde perturbado pelo elevado ruído de rolamento dos pneus). Curvando de forma muito competente e segura, este é um daqueles automóveis tão fáceis de conduzir que até permitem, mesmo aos que não sejam sobredotados da condução, andar rápido e usufruir de algum divertimento ao volante.

Os mais exigentes, esses, decerto apreciarão uma configuração semelhante à da unidade ensaiada, que, por via do pacote S line, montava suspensão desportiva, e dispunha, ainda, das opcionais jantes de 17” com pneus 215/45. Soluções que penalizam um pouco o conforto em mau piso e nos ressaltos mais acentuados (como tampas desniveladas), mas também sublimam factores como a elevada motricidade ou o óptimo controlo dos movimentos da carroçaria.

No plano dinâmico, a Audi volta a puxar dos galões, criando um dos utilitários mais eficazes do mercado. Na versão Sport line, a suspensão desportiva aumenta a eficácia e o prazer ao volante, mas também condiciona o conforto nas irregularidades mais acentuadas, para o que também contribuem as opcionais jantes de 17" com pneus 215/45

No plano dinâmico, a Audi volta a puxar dos galões, criando um dos utilitários mais eficazes do mercado. Na versão Sport line, a suspensão desportiva aumenta a eficácia e o prazer ao volante, mas também condiciona o conforto nas irregularidades mais acentuadas, para o que também contribuem as opcionais jantes de 17″ com pneus 215/45

Tudo isto, juntamente com a direção directa e suficientemente precisa, com o bloqueio electrónico do diferencial, e com o ESP desligável em duas fases, ajuda a extrair do A1 Sportback 30 TFSI S tronic S line o melhor que este tem para oferecer em termos de agilidade, permitindo aumentar a velocidade de passagem em curva e o nível de emoção de quem ocupa o melhor lugar a bordo. Nos percursos realmente mais exigentes, é possível que a transmissão robotizada não seja tão célere a decidir e actuar quanto o ideal – nesses casos, nada como recorrer ao comando manual em sequência, mesmo estando este disponível apenas na alavanca de comando da caixa, já que não existem patilhas no volante.

Tudo somado, não será por falta de atitude, ou de soluções de validade indesmentível, que a mais recente geração do utilitário da Audi alcançará um público mais alargado, como é pretensa da casa germânica, já que regista um significativo progresso face ao seu predecessor em praticamente todos os domínios. Mais problemático poderá ser o preço a que é proposto: sem extras, e até com algumas lacunas no equipamento de série de conforto, o A1 Sportback 30 TFSI S tronic S line custa praticamente 29 mil euros (ou seja, quase sete mil euros mais do que um Seat Ibiza FR animado pelo mesmo motor…), aproximando-se dos 38 mil euros depois de somados todos os extras de que dispunha a unidade ensaiada!. Não é pouco…

Motor
Tipo 3 cil. linha, transv., diant.
Cilindrada (cc) 999
Diâmetro x curso (mm) 74,5×76,4
Taxa de compressão 10,5:1
Distribuição 2 v.e.c./12 válvulas
Potência máxima (cv/rpm) 116/5000-5500
Binário máximo (Nm/rpm) 200/2000-3500
Alimentação injecção directa
Sobrealimentação turbocompressor+intercooler
Dimensões exteriores
Comprimento/largura/altura (mm) 4029/1740/1433
Distância entre eixos (mm) 2563
Largura de vias fte/trás (mm) 1524/1501
Jantes – pneus (série) 5 1/2Jx15″ – 185/65
Jantes – pneus (instalados) 7 1/2Jx17″ – 215/45 (Bridgestone Turanza)
Pesos e capacidades
Peso (kg) 1125
Relação peso/potência (kg/cv) 9,69
Capacidade da mala/depósito (l) 335-1090/40
Transmissão
Tracção dianteira
Caixa de velocidades pilotada de dupla embraiagem de 7+m.a.
Direcção
Tipo cremalheira, com assistência eléctrica variável
Diâmetro de viragem (m) 10,5
Travões
Dianteiros (ø mm) Discos ventilados (n.d.)
Traseiros (ø mm) Discos maciços (n.d.)
Suspensões
Dianteira MacPherson
Traseira Eixo semi-rígido
Barra estabilizadora frente/trás sim/sim
Garantias
Garantia geral 4 anos ou 80 000 km
Garantia de pintura 3 anos
Garantia anti-corrosão 12 anos
Intervalos entre manutenções 30 000 km ou 24 meses

Airbag para condutor e passageiro (desligável)
Airbags laterais dianteiros
Airbags de cortina
Controlo electrónico de estabilidade
Travagem autónoma de emergência com alerta de colisão frontal
Audi pre-sense dianteiro
Assistente à manutenção na faixa de rodagem
Assistente aos arranques em subida
Cintos dianteiros com pré-tensores e limitadores de esforço
Fixações Isofix
Assistente aos arranque em subida
Diferencial dianteiro de bloqueio electrónico
Limitador de velocidade
Ar condicionado manual
Painel de instrumentos totalmente digital
Computador de bordo
Bancos dianteiros reguláveis em altura
Banco traseiro rebatível 60/40
Volante em pele multifunções regulável em altura+profundidade
Direcção com assistência eléctrica variável
Rádio com leitor mp3+ecrã táctil de 8,8"+6 altifalante+tomada USB
Mãos-livres Bluetooth
Vidros dianteiros+traseiros eléctricos
Retrovisores exteriores eléctricos
Sensor de luz+chuva
Jantes de liga leve de 15″
Suspensão desportiva
Kit de reparação de furos
Sistema de monitorização da pressão dos pneus
Kit de primeiros socorros

Aplicações interiores em alumínio (€85)
Acabamentos interiores em em pele artificial (€175)
Aplicações decorativas diagonais (€85)
Pacote de contraste 1 (€120 – inclui retrovisores: exteriores em cinzento ou preto Mythos, em função da cor do tejadilho escolhida)
Pormenores interiores prateados (€35)
Pacote negro Audi exclusive (€525 – incluir: pormenores em preto na moldura da grelha frontal e nos pára-choques dianteiros e traseiros)
Pacote fumador (€35)
Ar condicionado automático (€465)
Audi smartphone interface (€620)
Audi virtual cockpit (€175)
Preparação para sistema de navegação (€935)
Sistema de som Audi (€300)
Bancos dianteiros desportivos com regulação do apoio lombar (€395)
Volante desportivo mutifunções em pele (€95)
Iluminação exterior integralmente por LED com "piscas" traseiros dinâmicos (€1140)
Iluminação interior por LED (€175)
Retrovisores eléctricos+aquecidos (€120)
Pára-brisas atérmico (€85)
Sensores de estacionamento dianteiros+traseiros (€800)
Jantes de liga leve  7 1/2Jx17" com pneus 215/45 (€1045)
Cruise control (€325)
Pacote de bagageira (€60 – inclui rede combinada para fixação da bagagem ao piso da mala)
Pintura metalizada (€640)
Tejadilho de cor contrastante (€465)

Qual é a sua reação?
Excelente
0%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

2 × 1 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.