CompararComparando ...

Ford Focus 1.5 EcoBlue 120 cv ST-Line 5p Auto

Artigo
Ford Focus 1.5 EcoBlue 120 cv ST-Line 5p Auto

Visão geral
Marca:

Ford

Modelo:

Focus

Versão:

1.5 EcoBlue 120 cv ST-Line 5p Auto

Ano lançamento:

2018

Segmento:

Familiares compactos

Nº Portas:

5

Tracção:

Dianteira

Motor:

1.5 Diesel

Pot. máx. (cv/rpm):

120/3600

Vel. máx. (km/h):

193

0-100 km/h (s):

10,2

Consumos (l/100 km):

4,1/4,4/5,0
(Extra-urbano/Combinado/Urbano)

CO2 (g/km):

116

PVP (€):

26 005/31 519 (unidade testada)

Gostámos

Comportamento dinâmico, Suspensão, Direcção, Caixa de velocidades, Habitabilidade, Posicionamento comercial

A rever

Qualidade interior perfectível, Pormenores de ergonomia

Nosso Rating
Rating Leitor
Para avaliar, registe-se ou inicie sessão
Qualidade geral
7.0
Interior
8.0
Segurança
8.0
Motor e prestações
8.0
Desempenho dinâmico
10
Consumos e emissões
7.0
Conforto
8.0
Equipamento
8.0
Garantias
7.0
Preço
8.0
Se tem pressa...

Em duas décadas, é o primeiro familiar compacto da Ford a montar (nalgumas versões…) um eixo traseiro semi-rígido, mas nem por isso o novo Focus 1.5 EcoBlue de 120 cv deixa de ser brilhante em termos dinâmicos, sem dúvida a escolha perfeita para quem valoriza o prazer ao volante, mesmo que os seus trunfos estejam longe de aí se esgotarem!

7.9
Nosso Rating
Rating Leitor
You have rated this

Passaram vinte anos desde que o Escort cedeu o seu lugar ao Focus na gama da Ford, tendo sido esse o momento escolhido pela marca da oval azul para lançar no mercado a quarta geração do modelo. Tendo em conta o seu preço, e a recém-criada fobia ao gasóleo potenciada pelo Dieselgate e pelo poder político (estando ainda por contabilizar as reais consequências das atitudes e decisões tomadas por uns e outros…), é de esperar que, entre os particulares, em Portugal, seja a variante 1.0 EcoBoost de 125 cv do novo Focus a que maiores preferências reunirá, e à qual será aqui dedicada, em breve, a necessária e merecida atenção.

Contudo, por ora, atenções centradas no novo Focus 1.5 EcoBlue 120 cv ST-Line 5p Auto, a versão de acesso à oferta Diesel. Seguramente a mais procurada pelas empresas e pelos que, por percorrerem grandes quilometragens, são obrigados a prestar especial atenção à economia de utilização, e que aqui se apresenta com o sempre muito apetecido nível de equipamento ST-Line e com caixa de velocidades automática.

No plano estético, o novo Focus é, muito provavelmente, o mais apelativo e convincente de sempre, e um dos modelos mais atraentes do momento na sua classe, e mesmo quem nunca foi grande apreciador do estilo do compacto da Ford tende a ficar seduzido. A aparência exterior é dominada pelas formas fluídas e dinâmicas, capazes de conjugar uma certa dose de distinção com uma evidente agressividade, naturalmente mais notória nas versões S-Line, por isso, ainda mais atraentes. É, até, possível, identificar alguns laivos evocativos das linhas típicas da Aston Martin, porventura reminiscências herdadas dos tempos em que a marca de Gaydon fez parte do conglomerado norte-americano, o que, verdade seja dita, está longe de ser um handicap.

O novo Focus não só é o melhor de sempre, como o mais apelativo da história do popular familiar compacto da Ford

O novo Focus não só é o melhor de sempre, como o mais apelativo da história do popular familiar compacto da Ford

Num interior em que é da mais elementar justiça referir o progresso registado em termos da qualidade dos materiais utlizados, assim como dos respectivos acabamentos e montagem, também não é menos verdade que este é um capítulo em que o Focus continua a ficar aquém dos melhores exemplos da classe, sendo demasiado evidente, embora mais ao tacto do que à vista, a diferença de nobreza entre vários dos materiais utilizados. O design e a decoração interiores, não obstante interessantes, são menos marcantes que as linhas exteriores, acabando por criar um ambiente sóbrio, em que se destaca a correcta ergonomiae o completo e muito nítido head-up display, mas em que o grafismo do ecrã computador de bordo, instalado no painel de instrumentos, apesar de claro e legível, é menos refinado do que o desejável, padecendo, de igual mnodo, de uma melhor organização dos menus, que contribuísse para uma utilização mais intuitiva do dispositivo – especialmente quando se navega, por via dos botões existentes no volante, através das inúmeras informações prestadas pelo computador de bordo.

Face ao seu antecessor, o novo Focus cresceu apenas liminarmente em termos de dimensões exteriores, mas não significa isso que a evolução ao nível da habitabilidade seja desprezível, bem pelo contrário, até porque a distância entre eixos oferecida pela nova plataforma aumentou 53 mm. Também por isso, o espaço disponibilizado aos passageiros é amplo, e particularmente generoso no que às pernas dos ocupantes do banco posterior diz respeito, ao que há que aliar os bancos cómodos, assim como o posto de condução extremamente correcto e deveras envolvente. A capacidade da bagageira também cresceu, e está perfeitamente dentro da média do segmento.

Mesmo pouco tendo crescido exteriormente face ao seu predecessor, o melhor aproveitamento do espaço e o aumento da distância entre eixos permitem que, no novo Focus, o espaço para pernas traseiro seja dos melhores da classe

Mesmo pouco tendo crescido exteriormente face ao seu predecessor, o melhor aproveitamento do espaço e o aumento da distância entre eixos permitem que, no novo Focus, o espaço para pernas traseiro seja dos melhores da classe

Só que, por muitos que pudessem ser os atributos do novo Focus em qualquer outra área, seria sempre o capitulo dinâmico a dominar as atenções, seja porque esta tem sido a referência do segmento nas últimas duas décadas neste particular, seja porque este é o primeiro modelo da saga a recorrer a um mais económico eixo semi-rígido traseiro nas versões menos potentes (as outras montam uma suspensão posterior do tipo multilink), como é o caso da aqui em apreço. E, por isso, talvez o melhor seja começar pelo motor.

Em termos práticos, saliente-se que o quatro cilindros turbodiesel de 1500 cc mostra-se suficientemente lesto, disponível e responsivo para garantir uma utilização fácil e agradável q.b. para o que se espera de um veículo de vocação familiar e económica, mas que não dispensa algum prazer de condução – beneficiando, aqui, do importante contributo dado pela caixa automática de oito velocidades, suave e suficientemente rápida na generalidade das situações, e oferecendo as patilhas do volante para contornar aquelas solicitações mais exigentes em que se revela algo hesitante. E não sendo esta unidade motriz a mais silenciosa da sua categoria, o bom trabalho operado no isolamento acústico do habitáculo garante que que também não incomoda na esmagadora maioria das situações, dando-se pela sua presença somente nas solicitações mais exigentes, mormente de maior carga ou quando de afloram os mais elevados regimes de funcionamento.

Também é um facto que os consumos não mais do que aceitáveis para a categoria, e que a utilização deste propulsor acaba por estar limitado a uma faixa de regimes que se inicia pouco antes das 1750 rpm a que é atingido o binário máximo, e termina por volta das 3600 rpm a que é alcançada potência máxima. Ainda assim, o seu principal óbice, mais do que as limitações ou os defeitos intrínsecos, é os seus limites tenderem a tornar-se bastante mais evidentes devido à excelência do châssis, que parece estar sempre a impelir o condutor a adoptar ritmos mais dinâmicos, demonstrando que esta unidade motriz acaba por ser um pouco “curta” para uma condução mais empenhada, e que fica muito aquém das capacidades da suspensão.

Simplesmente brilhante no plano dinâmico, o Ford Focus continua a ser a escolha ideal para quem é verdadeiro apreciador da eficácia e do prazer de condução, mas tem que se cingir a um familiar compacto

Simplesmente brilhante no plano dinâmico, o Ford Focus continua a ser a escolha ideal para quem é verdadeiro apreciador da eficácia e do prazer de condução, mas tem que se cingir a um familiar compacto

Parte da responsabilidade por este resultado deve-se à nova plataforma C2, com uma rigidez torsional substancialmente incrementada relativamente à do modelo da anterior geração. A que há que adicionar, no caso do “nosso” Focus 1.5 EcoBlue, o acréscimo de eficácia proporcionado pelo nível de equipamento ST-Line, que inclui a suspensão desportiva com molas, amortecedores e barras estabilizadoras específicos, mais firme e 10 mm rebaixada face à das restantes versões da gama – beneficiando a unidade de testes também dos Michelin Pilot Sport 3 de medida 235/40, que revestiam as bonitas jantes de 18″ incluídas no opcional pacote ST-Line Plus.

Tudo isto faz do novo Focus um automóvel extremamente ágil, preciso e reactivo, muito progressivo e intuitivo nos imites, e deveras competente em curva, graças ao óptimo controlo dos movimentos carroçaria, ao eixo dianteiro incisivo e com muita motricidade, e ao eixo traseiro que a electrónica permite rode e escorregue o suficiente, de forma controlada, para garantir um acréscimo de agilidade determinante para a forma como o Focus muda de direcção de forma mais célere e precisa do que qualquer concorrente. Junte-a a isto a direcção mais precisa e bem calibrada da classe, e, nos traçados sinuosos, mesmo com este motor, o Focus é um modelo capaz de oferecer grande satisfação a quem vai ao volante, com a versão ST-Line a assumir-se como quase obrigatória para quem valoriza a dinâmica, tanto mais que o conforto nem sequer é excessivamente penalizado, inclusive quando se enfrentam pisos menos bem conservados.

Brilhante e, inquestionavelmente, o alvo a abater na classe nesta área, ainda assim é pena que o Focus não inclua, no seu selector de modos de condução, uma opção que permita definir os parâmetros ao gosto de cada qual, dado que situações há, mormente à chuva, em que seria bom usufruir apenas da direcção mais “pesada” do modo Sport, mas sem alterar a resposta do motor ou da caixa – até porque, numa condução convencional, é o modo Eco o que se revela o mais competente, pela progressividade da resposta a baixa rotação que assegura uma condução mais suave e confortável, além de beneficiar os consumos. Os mais exigentes também não desdenhariam a possibilidade de inibir por completo o funcionamento do ESP, já que apenas é possível desligar o controlo de tracção, o que raras vezes assegura vantagem a não ser, de facto nos arranques sobre pisos de diminuta aderência.

São vários os opcionais que a Ford conjugou em pacotes propostos a muito bom preço, caso da câmara de estacionamento traseira, do sistema de estacionamento automática e das protecções basculantes nas portas; ou do cruise-control adaptativo, do assistente de máximos, do sistema de detecção de obstáculos e do sistema de leitura de sinais de transito

São vários os opcionais que a Ford conjugou em pacotes propostos a muito bom preço, caso da câmara de estacionamento traseira, do sistema de estacionamento automática e das protecções basculantes nas portas; ou do cruise-control adaptativo, do assistente de máximos, do sistema de detecção de obstáculos e do sistema de leitura de sinais de transito

Não subsistindo dúvidas quanto às principais competências do novo Focus, nem por isso é menos importante realçar, igualmente, a sua postura comercial competitiva, até porque aos preços praticados se associam lista de equipamento de série recheadas. No caso do Focus 1.5 EcoBlue 120 cv ST-Line 5p Auto aqui avaliado, nesta fase lançamento, em que é possível usufruir de um desconto directo de €3200, da oferta de €800 em equipamento e do apoio à retoma de €1000, prova-se que é possível adquirir a variante a gasóleo com o nível de equipamento mais apetecido por pouco mais de 26 ml euros – ou dispor de um muito generoso lote de extras gastando o chamado “preço de tabela”, na casa dos €31 500.

A este propósito, é importante referir que a travagem autónoma de emergência, com reconhecimento de peões e ciclistas, e o assistente à manutenção na faixa rodagem já são de série, e que bastam pouco mais de 400 euros para se dispor do cruise-control adaptativo até aos 200 km/h (com função Stop&Go nas versões de caixa automática), do assistente de máximos, do sistema de detecção de obstáculos e do sistema de leitura de sinais de transito – sendo este mesmo valor o exigido para adquirir, em conjunto, o sistema de estacionamento automático, a câmara de visão traseira e as inteligentes protecções nas portas (como no Skoda Kodiaq, sempre que se abrem as portas, umas esguias réguas plásticas basculantes passam a envolver a respectiva secção central, na sua parte mais convexa, assim evitando que se causem danos nas mesmas, e em terceiros, caso esta embata ao de leve noutros veículos, ou outros obstáculos, algo bastante habitual quando se estaciona em locais mais apertados).

Airbag de duplo estágio para condutor e passageiro (desligável)
Airbags laterais dianteiros
Airbags de cortina
Controlo electrónico de estabilidade
Assistente aos arranques em subida
Alerta de saída involuntária da faixa de rodagem
Assistente à manutenção na faixa de rodagem
Cintos dianteiros com pré-tensores e limitadores de esforço
Fixações Isofix
Cruise control+limitador de velocidade
Selector de modos de condução
Ar condicionado
Computador de bordo
Bancos dianteiros desportivos
Banco do condutor com regulação em altura+apoio lombar
Banco traseiro rebatível 60/40
Volante desportivo em pele multifunções regulável em altura+profundidade
Alarme
Rádio  com leitor mp3+ecrã táctil de 8"+6 altifalantes+tomadas 2xUSB+comandos por voz Sync
Sistema de navegação
Mãos-livres Bluetooth
Vidros eléctricos dianteiros+traseiros
Retrovisores exteriores eléctricos+aquecidos
Sensor de luz
Sensores de estacionamento FR/TR
Luzes diurnas por LED
Faróis de nevoeiro com luzes e curva
Jantes de liga leve de 17"
Sistema de monitorização da pressão dos pneus

Pintura metalizada especial Ruby Red (€762)
Carregador por indução para smartphones (€152)
Sistema de navegação premium+sistema de som B&O Play
Head-up display (€407)
Pack Conforto (€381 – inclui: ar condicionado automático, sensor de luz+chuva, sistema de chave inteligente, retrovisor interior electrocromático, retrovisores exteriores eléctricos+aquecidos+rebatíveis electricamente)
Pack Interior ST-Line (€508 – incui: deflector traseiro desportivo, pinças de travão vermelhas, tapetes com detalhes em vermelho)
Pack Estilo ST-Line Plus (€1423 – inclui: jantes de liga leve de 18", vidros escurecidos, ópticas dianteiras por LED adaptativas com assistente de máximos)
Pack Driver (€407 – inclui: sistema de estacionamento automático, câmara de visão traseira, protecções nas portas)
Pack Parcial Couro ST-Line (€762 – inclui: estofos parcialmente revestidos a pele com pespontos vermelhos, banco do condutor com regulação eléctrica de quatro vias, bancos dianteiros aquecidos)
Pack Driver Plus (€407 – inclui: sistema de leitura de sinais de trânsito, assistente de máximos, sistema de detecção de obstáculos e cruise control adaptativo)

Qual é a sua reação?
Excelente
100%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

    Deixe uma resposta

    2 × 3 =

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.