CompararComparando ...

Mazda 2 1.3 75 cv Advanced Navi

Artigo
Mazda 2 1.3 75 cv Advanced Navi

Visão geral
Marca:

Mazda

Modelo:

2

Versão:

1.3 75 cv

Ano lançamento:

2014

Segmento:

Utilitários

Nº Portas:

5

Tracção:

Dianteira

Motor:

1.3

Pot. máx. (cv/rpm):

75/6000

Vel. máx. (km/h):

168

0-100 km/h (s):

13,6

CO2 (g/km):

119

PVP (€):

12 900

Gostámos

Equipamento, Comportamento dinâmico, Preço absolutamente imbatível

A rever

Consumo do motor 1.3, Nova geração já a caminho

Nosso Rating
Rating Leitor
Para avaliar, registe-se ou inicie sessão
Qualidade geral
6.0
Interior
6.0
Segurança
6.0
Motor e prestações
5.0
Desempenho dinâmico
7.0
Consumos e emissões
4.0
Conforto
7.0
Equipamento
9.0
Garantias
7.0
Preço
10
Se tem pressa...

Do ponto de vista do “negócio”, é difícil encontrar um melhor do que o Mazda 2 Advanced Navi. O preço é absurdamente baixo e a quantidade de equipamento é imensa. Se não se importar de ter um utilitário prestes a ser descontinuado, este é o negócio do ano.

6.7
Nosso Rating
Rating Leitor
You have rated this

 

 

O aparecimento da versão de equipamento Advanced Navi na gama do Mazda 2 faz-se em boa hora. A segunda geração do modelo – a primeira nestes prantos mais utilitários e menos monovolumescos – está prestes a sair de cena e isso significa que, mais que nunca, a Mazda quererá despachar o actual stock de viaturas a bom ritmo. Isto implica, regra geral, que se pratiquem excelentes preços e, claro, que se ofereça meio mundo de equipamento. Esta é exactamente a essência do Mazda 2 1.3 Advanced Navi, uma autêntica versão full-extras que coloca o 2 num patamar tecnologicamente assinalável, uma das principais lacunas face à concorrência: ele é sistema multimédia com bluetooth integrado, ele é cruise control, ar condicionado, assim como iluminação e limpa pára-brisas com activação automática. Estes são, hoje, pormenores essenciais num utilitário, e a Mazda oferece-os num bonito embrulho – jantes específicas, de 16 polegadas, retrovisores cromados -, que, por sinal, é altamente competitivo. E por competitivo, leia-se um preço de 12 900 euros, que sob qualquer perspectiva é uma maquia extremamente acessível e que, evidentemente, tem gerado um enorme interesse. É o carro anti-crise (quase) perfeito.

Onde o 2 já não está, claramente, em sintonia com a maioria dos colegas de segmento é na escolha de motores. Para esta edição especial há apenas o 1.3 com 75 cv movido a gasolina, que é mediano em praticamente todos os aspectos. A começar pelo arranque, que deve ser feito “com pinças”, correndo-se o risco de engasgar o motor ou de sobre-acelerar o motor sem necessidade, como se fosse um recém-encartado, muito por culpa do acelerador com gestão electrónica ditatorial. Isto converte-se, em termos práticos, numa utilização menos agradável do que seria de esperar de um utilitário no seu ambiente principal, a cidade, especialmente naqueles dias em que é dia de jogo da Liga dos Campeões e todos os acesso da Segunda Circular parecem parques de estacionamento. De todo o conjunto, a caixa manual de cinco velocidades é o elemento “mais” do conjunto: tem uma acção bastante mecânica, mas bem-oleada, e a embraiagem é leve. Mas o mais crítico deste motor é, sem dúvida, o consumo consideravelmente alto que se obtém em praticamente todos os ambientes, da cidade à auto-estrada. O consumo combinado de 6,6 l/100 km acaba por ser lisonjeiro face aos mais de sete litros que consome por cada cem quilómetros percorridos em cidade, e até esconde de certa forma os 6,5 l/100 km que gasta a uma velocidade a que a maioria dos rivais de segmento gasta, em média, menos de 5 l/100 km. Este motor 1.3 de 75 cv é, sem sombra de dúvida, gastador. A tendência gastadora é compensada por um regime de utilização relativamente alargado, e também por prestações aceitáveis atendendo ao restante parque automóvel com motores “mil e duzentos”.

As jantes de 16 polegadas e as capas dos retrovisores exteriores compõem o ramalhete estética desta versão Advanced Navi

No inteiror espera-nos uma panóplia de materiais relativamente soturnos, uma qualidade de construção aceitável e um design relativamente datado; é aqui, no habitáculo, que as maiores revolução têm sido operadas no segmento, e é precisamente aqui que o pequeno 2 está, mais que nunca, ultrapassado. Os 250 litros de bagageira estão abaixo da média do segmento (o Renault Clio tem 300 litros de capacidade e o Peugeot 208 tem 285 litros), mas não é uma diferença que seja suficientemente significativa para deixar – ou não – de passar aquele fim-de-semana no Algarve.

O que continua a surpreender no Mazda 2 é o seu comportamento dinâmico. É divertido, envolvente, e o facto da posição de condução ser muito correcta em termos de amplitude só ajuda a que toda a experiência seja exarcebada. Não tem a eficácia dinâmica de, por exemplo, a nova geração do Clio, mas continua a ser uma das propostas mais interactivas do segmento. A direcção tem uma cremalheira rápida, o posicionamento do manípulo da caixa de velocidades torna a acção mais rápida e o chassis pede para ser trabalhado com afinco, fruto de uma frente incisiva e de um eixo traseiro consideravelmente ajustável.

Tudo somado, os pequenos pormenores em “falha” colocam o 2 num patamar admitidamente abaixo dos actuais rivais de mercado. É certo. Mas é também por isso que a nova geração do Mazda 2 já está finalizada, e trará motores novos e muito mais tecnologia. Portanto, a versão Advanced Navi está longe de ser um caso de vender “gato por lebre”. Muito pelo contrário: se o preço é mais do justo e ajustado à realidade, também as expectativas o devem ser.

Airbag para condutor e passageiro (desligável)
Controlo electrónico de estabilidade
Assistente aos arranques em subida
Ar condicionado manual
Volante em pele regulável em altura+profundidade
Volante multifunções
Sistema multimédia com navegação e Bluetooth
Leitor de DVD
Vidros eléctricos FR/TR
Retrovisores eléctricos
Espelhos retrovisores exteriores em prateado
Luzes diurnas
Faróis de nevoeiro com luzes de curva estáticas
Sistema de monitorização da pressão de pneus
Pneu sobressalente com jante em aço

Qual é a sua reação?
Excelente
0%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

    Deixe uma resposta

    17 − 2 =

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.