CompararComparando ...

Lexus LS 500h Luxury

Artigo
Lexus LS 500h Luxury

Visão geral
Marca:

Lexus

Modelo:

LS

Versão:

500h Luxury

Ano lançamento:

2017

Segmento:

Luxo

Nº Portas:

4

Tracção:

Integral

Motor:

3.5-V6 Híbrido

Pot. máx. (cv/rpm):

359/6600

Vel. máx. (km/h):

250

0-100 km/h (s):

5,5

Consumos (l/100 km):

6,7/7,1/8,3
(Extra-urbano/Combinado/Urbano)

CO2 (g/km):

161

PVP (€):

149 150/150 550 (unidade testada)

Gostámos

Qualidade geral, Arrojo estilístico, Sofisticação mecânica, Conforto, Facilidade de condução, Luxo

A rever

Envolvência dinâmica, Prestações modestas, Ruído artifical do motor em modo Sport/Sport+

Nosso Rating
Rating Leitor
Para avaliar, registe-se ou inicie sessão
Qualidade geral
10
Interior
9.0
Segurança
10
Motor e prestações
7.0
Desempenho dinâmico
8.0
Consumos e emissões
8.0
Conforto
10
Equipamento
10
Garantias
8.0
Preço
8.0
Se tem pressa...

Não há no mercado como o novo Lexus LS 500h. Capaz de se bater com os omnipotentes rivais germânicos na generalidade dos parâmteros de avaliação, e até de os superar em determinadas áreas, pode não ser tão dinamicamente eficaz, mas é, seguramente, uma alternativa válida e que, decididamente, marca a diferença num dos segmentos mais exigentes do mercado

8.8
Nosso Rating
Rating Leitor
You have rated this

 

 

Se há casos em que a história de um modelo se confunde com a da própria marca, este é um deles, pois foi justamente com o LS que, em 1990, a Lexus se lançou no mercado, então apenas na América do Norte. O tempo foi passando, a divisão de luxo da Toyota foi não só consolidando o seu prestígio, como globalizando-se, mas sempre com a sua berlina de luxo a servir de montra do melhor que sabe fazer.

E assim se chega ao tempo presente e à quinta geração do LS, assente na plataforma GA-L estreada pelo coupé LC e, no essencial, dotada da mesma mecânica. Pelo caminho ficou a disponibilização de duas versões de châssis, sendo o modelo actual proposto apenas num formato, por sinal, 35 mm mais comprido entre eixos do que a variante longa do seu antecessor, o que diz bem da sua postura e ambições…

Em Portugal também só existe uma opção de motorização, o grupo motopropulsor híbrido que conjuga o motor 3.5-V6 atmosférico com um motor eléctrico, com a chamada tramsmissão multiestágio e com a tracção integral permanente (noutras paragens também exiete o LS 500, com motor 3.5-V6 biturbo de 416 cv e tracção apenas traseira). Pelo que aqui em avaliação está o LS 500h Luxury, no nível de equipamento e acabamentos mais refinado da família à excepção do Superlative, já dotado de algum “exotismo”, inclusivamente no que ao preço diz respeito, fazendo pleno jus ao nome.

Não há como negá-lo, o Lexus LS 500h é mesmo uma proposta única na sua categoria, e até a sua estética o confiram de imediato

Não há como negá-lo, o Lexus LS 500h é mesmo uma proposta única na sua categoria, e até a sua estética o confiram de imediato

O primeiro impacto causado pelo LS 500h é, decididamente, visual. Mesmo que a opcional cor da unidade ensaiada possa não ser a preferida da maioria em mercados como o nacional, é inequívoco que a estética é verdadeiramente impressionante, e não só pela indubitável imponência que lhe é conferida por um porte assente num comprimento de mais de 5,2 metros por praticamente dois de largura, e uma distância entre eixos de mais de três metros. As formas futuristas e sofisticadas, em que nenhum detalhe, por ínfimo que seja, parece ter sido descurado, não só são radicalmente diferentes de qualquer outra coisa que exista no segmento, como conferem ao modelo uma aparência extremamente dinâmica e de um arrojo invulgar a este nível.

Porventura ainda mais convincente é o soberbo e sumptuoso habitáculo, em que o difícil é não adjectivar. O espaço é impressionante, em especial atrás (onde existem mais 100 mm em largura do que na frente), como se espera de uma berlina de luxo de distância entre eixos longa (pena que a capacidade da bagageira não vá além dos 430 litros, contra os 500 litros oferecidos pelo Mercedes Classe S); a decoração é simplesmente primorosa; a qualidade de construção é soberba; e os materiais e acabamentos são verdadeiramente de excelência, com todas as superfícies a oferecerem um toque excepcional. Os cuidados dispensados pela Lexus a este particular foram de tal ordem, que só por via dos materiais eleitos para o interior (tipo de pele e madeiras), e de algumas mordomias mais especiais (como os bancos traseiros com massagem e regulações eléctricas, o da esquerda com 18 vias, o da direita com 28!), o preço final do LS pode variar mais de 30 mil euros…

O apelo dos lugares traseiros é tal, que acaba por ser difícil eleger o melhor lugar para ocupar a bordo do novo LS

O apelo dos lugares traseiros é tal, que acaba por ser difícil eleger o melhor lugar para ocupar a bordo do novo LS

Nesta versão Luxury, o único opcional disponível é a referida pintura metalizada especial  em castanho cobre (€1440), sendo incluído de série praticamente tudo o que se possa imaginar em termos de conforto, funcionalidade e segurança, activa como passiva. Impossivel não referir os bancos dianteiros com múltiplas regulações eléctricas (tal como o volante), aquecimento, ventilação e, muito provavelmente, o mais completo programa de massagem do momento – não serão verdadeiramente shiatsu, como anunciado pela Lexus, mas são absolutamente fantásticos. Os bancos traseiros também são eléctricos, aquecidos e ventilados, integrado no apoio de braços está um ecrã táctil para controlar as regulações e a climatização dos bancos traseiros, e tanto os passageiros traseiros como o condutor podem alterar a posição do banco do passageiro dianteiro deste que este esteja vago, graças a um sensor de ocupação que detecta se tal acontece, ou não.

O sistema de infoentretenimento, extremamente completo, será um dos raros elementos melhoráveis no habitáculo, não pelas funcionalidades que oferece, mas por um grafismo que fica bastante aquém da sofisticação estilística de todo o veiculo, por comparação com esta parecendo, até, algo datado, e, principalmente, pelo touchpad que o comanda, que melhorou face ao anterior, mas continua a estar longe de ombrear com as melhores soluções nesta matéria no que respeita a precisão, eficácia e, acima de tudo, facilidade de utilização enquanto se conduz, o que não é de somenos. Em compensação, o head up display, com nada menos do que 24” e uma impressionante nitidez, é um must.

Quem preferir conduzir o LS 500h Luxury, ao invés de usufruir do seu soberbo compartimento traseiro, pode, desde logo, contar com um excelente posto de condução. Ao seu dispor tem uma série de configurações do veiculo, nomeadamente as controláveis através dos selector colocados nos extremos da pala do painel de instrumentos: à esquerda as opções para o controlo de estabilidade (Normal, Snow e Off), à direita os modos de condução (Eco/Comfort/Normal/Custom/Sport/Sport+). No volante estão as pilhas para comando manual em sequência da caixa de velocidades, na consola central o botão EV, que acciona o modo totalmente eléctrico, e que só com extremo cuidado e destreza para com o pedal da direita permite percorrer pouco mais de um quilómetro sem que o motor de combustão seja activado.

Parece não ter havido pormenor que escapasse quando da definição do habitáculo, senhor de uma qualidade, de um requinte e de um luxo impressionantes

Parece não ter havido pormenor que escapasse quando da definição do habitáculo, senhor de uma qualidade, de um requinte e de um luxo impressionantes

Por difícil que possa parecer considerar 359 cv de potência máxima combinada um valor escasso, a verdade é que, a este nível, em que os padrões de exigência são os mais elevados, tudo tende a ser relativo. E o facto é que, face a um peso pouco inferior a 2400 kg, a mecânica não confere ao LS 500h Luxuruy prestações mais do que aceitáveis para a classe, com o modelo a registar nas nossas medições 6,0 segundos nos 0-100 km/h, a que se junta uma velocidade máxima de 250 km/h. Os consumos são bem mais convincentes, em estrada como em cidade, assim se tenha alguma contenção com o acelerador, pois a verdade é que, numa condução mais despreocupada, o melhor é mesmo contar com médias próximas dos 12,0 l/100 km, o que não assusta, mas também está longe de ser uma referência – não sendo, igualmente, difícil alcançar valores bem para lá dos 15,0 l/100 km se se impuserem ritmos para os quais o LS não está, nitidamente, fadado.

E nem tanto pela sua mecânica, mas, simplesmente, porque nada na sua concepção foi pensado nesse sentido. Bastante suave, e praticamente inaudível e imperceptível a regimes moderados, o grupo motopropulsor começa por impor a sonoridade esforçada e aguda do V6 acima das 4000 rpm, criando um ambiente a bordo em absoluto antagonismo com o luxo que este oferece. Pelo seu lado, a transmissão Multi Stage Hybrid System, composta por uma convencional caixa automática de quatro velocidades com conversor de binário, e um trem epicicloidal que adiciona seis relações simuladas às fisicamente existentes, para um total de dez “velocidades”, é pouco convincente numa condução mais dinâmica, pois o modo manual para pouco mais serve do que para antecipar as reduções (mesmo no modo de condução Sport+ e no modo manual da caixa, o sistema reduz sempre quando se efectuar o kickdown, e desmultiplica quando se atinge a red line), ao mesmo tempo que o  feeling da transmissão é sempre um tanto artificial, e a resposta da caixa acaba por ser mais lenta do que o ideal.

Extremamente fácil e seguro de conduzir, o LS 500h também é sempre condicionado pelo seu elevado peso, que o impede de oferecer uma maior envolvência e agilidade

Extremamente fácil e seguro de conduzir, o LS 500h também é sempre condicionado pelo seu elevado peso, que o impede de oferecer uma maior envolvência e agilidade

Para mais, e como é óbvio, quem pretenda tirar maior partido da condução sentir-se-á levado a seleccionar os modos Sport e Sport+, os quais tornam toda a mecânica mais reactiva (motor, transmissão, direcção e amortecimento), mas têm como desvantagem notória ter sempre associada aquela incompreensível sonoridade artificial do motor, emitida por um emulador, que se já soa um tanto estranha num coupé desportivo como o LC 500h, numa berlina de luxo faz ainda menos sentido.

Por seu turno, apesar do baixo centro de gravidade, o châssis foi nitidamente afinado a pensar mais no conforto e na facilidade de condução do que na eficácia, ficando o modelo japonês notoriamente aquém dos seus rivais germânicos neste capítulo. Quem desejar, pois, enfrentar traçados mais sinuosos a ritmos mais intensos deverá ter em conta que o importante peso do conjunto impõe a sua lei, condicionando de forma determinante a envolvência e o prazer de quem está volante. Já o conforto assegurado pelas evoluídas suspensões com amortecimento pneumático activo é simplesmente soberbo, com o LS 500h Luxury a passar com absoluto desprezo pelas irregularidades do piso, em especial nos modos de condução menos extremos.

Em termos de conforto, nada a apontar à mais recente geração do topo de gama da Lexus, que passa pelas irregularidades com invejável indiferença

Em termos de conforto, nada a apontar à mais recente geração do topo de gama da Lexus, que passa pelas irregularidades com invejável indiferença

Assim sendo, o mais aconselhável é tirar o melhor partido dos melhores atributos do LS nesta matéria, para os quais também concorrem de forma decisiva a boa direcção, o eixo traseiro direcional, a tracção integral permanente, o competente sistema de travagem e uma rigidez torsional que praticamente duplicou face à da anterior geração. E que são, além do já referido conforto de marcha inquestionável, uma condução extremamente fácil e segura, praticamente à prova de erro, como decerto será do agrado daquela boa parte dos seus clientes que, as mais das vezes, irão ocupar o banco traseiro.

Por tudo isto, o LS 500h Luxury é, decididamtente, uma alternativa por demais válida oas tradicionais dominadores do segmento, e mais ainda para quem queira fazer a diferença. Os preços, como sempre acontece a este nível, estão ao alcance de muito poucos, mas até acabam por ser competitivos face aos praticados pelos seus rivais, com esta versão a orçar em €149 150, sendo possível aceder ao nível Executive+ por €130 150, custando o F Sport €141 550 e obrigando o ainda mais exclusivo Superlative ao desembolso de €163 350.

Airbag para condutor e passageiro (desligável)
Airbags laterais
Airbags de cortina
Airbag para os joelhos dos passageiros dianteiros
Cintos dianteiros/traseiros com pré-tensores+limitadores de esforço
Fixações Isofix
Controlo electrónico de estabilidade
Sistema de leitura de sinais de trânsito
Sistema de auxílio à manutenção na faixa de rodagem
Sistema de travagem autónoma de emergência com alerta de colisão dianteira e detecção de peões
Sistema de pré-colisão PCS
Sistema de monitorização do ângulo morto com alerta de tráfego transversal
Sistema de capot activo para protecção dos peões
Assistente aos arranques em subidas
Cruise control adaptativo
Travão de estacionamento eléctrico
Alarme
Ar condicionado automático de quatro zonas com sistema de purificação de ar
Computador de bordo
Head up display
Bancos em pele semi-anilina
Bancos dianteiros com regulação eléctrica de 28 vias+memória para o condutor+função Easy Entry+aquecidos+ventilados
Bancos dianteiros com função de massagem
Bancos traseiros com regulação eléctrica de 18 vias+aquecidos+ventilados
Volante multifunções em pele e madeira com regulação em altura+profundidade (eléctrica)
Aplicações em madeira artesanal
Revestimento do tejadilho em Alcantara
Direcção de assistência eléctrica
Mãos-livres Bluetooth (telemóvel+streaming de áudio)
Sistema de som Mark Levinson com DAB + leitor de DVD + 23 altifalantes +tomadas 2xUSB/Aux/HDMI
Sistema de navegação com ecrã de 10,25"+serviços conectados
Monitor de visão panorâmica 360°
2 tomadas USB na traseira
3xtomada de 12 Volt
Acesso+arranque sem chave
Vidros eléctricos
Vidros traseiros escurecidos
Retrovisores exteriores eléctricos+electrocromáticos+aquecidos+rebatíveis electricamente
Retrovisor interior electrocromático
Tecto de abrir eléctrico
Cruise-control adaptativo+limitador de velocidade
Faróis dianteiros integralmente por LED
Lava-faróis
Faróis de nevoeiro
Farolins traseiros por LED
Luzes de curva
Assistente de máximos
Sensor de luz/chuva
Sensores de estacionamentoFR/TR+câmara de estacionamento traseira
Tampa da bagageira eléctrica com abertura e fecho "mãos-livres"
Jantes de liga leve de 20"
Sistema de monitorização da pressão dos pneus

Pintura metalizada especial castanho cobre (€1400)

Qual é a sua reação?
Excelente
100%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

2 × 1 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.