CompararComparando ...

Novo BMW X7 já é oficial. Lançamento em Março de 2019

Artigo
Novo BMW X7 já é oficial. Lançamento em Março de 2019

A BMW acaba de dar a conhecer na íntegra o novo X7, o maior elemento de sempre da sua família X, e que tem chegada ao mercado aprazada para o próximo mês de Março. Com 5151 mm de comprimento, 2000 mm de largura e 1805 mm de altura, para uma distância entre eixos de 3105 mm, é um automóvel que se impõe, desde logo, pelo seu porte impressionante, patente, ainda, num peso em vazio superior a 2300 kg… para a versão mais ligeira!

No seu novo SUV (ou SAV, acrónimo de Sports Activity Vehicle, como a maca bávara prefere designar as suas propostas de cariz mais polivalente), a BMW pretende criar uma uma nova dimensão do luxo, em que se combinam a presença, a exclusividade e o desafogo do espaço de uma berlina de luxo, com a versatilidade de um veículo capaz de enfrentar outros terrenos que não apenas o asfalto. Visualmente, destacam-se a frente assumidamente proeminente, onde pontifica a maior grelha de sempre da casa de Munique, dotada de lamelas activas; a muito generosa superfície vidrada; a elevada altura ao solo; a longa linha de tejadilho; e o portão traseiro bipartido.

Já no habitáculo, referência primeira para as duas configurações disponíveis. De série, o X7 oferece sete lugares, contando todos os bancos traseiros com fixações Isofix, excepto o central da segunda fila. Ao mesmo tempo, os da segunda fila dispõem de comando eléctrico para facilitar o acesso aos lugares da terceira fila, os quais prometem oferecer um espaço igualmente generoso, e a cujos ocupantes são oferecidos mimos como os apoios de braços, os suportes para copos ou as tomadas USB.

Opcionalmente, é proposta a configuração de seis lugares, com apenas dois bancos Comfort na segunda fila, neste caso dotados de regulações eléctricas independentes. De série, o ar condicionado oferece quatro zonas independentes de regulações, sendo opcional o ar condicionado com cinco zonas, que oferece aos passageiros da terceira fila de bancos uma regulação independente da temperatura através de comandos instalados no tejadilho.

Quanto à capacidade da mala, é de 326 litros na configuração de sete lugares, contando com 750 litros mediante o rebatimento dos bancos da terceira fila, ou com uns impressionantes 2120 litros caso se rebatam, também, os bancos da segunda fila. De referir que o rebatimento dos bancos é eléctrico, comandado através de botões instalados na bagageira, e que o piso de carga pode ser reduzido em 40 mm através do rebaixamento da suspensão pneumática com amortecimento adaptativo, proposta de série em todas as versões do modelo.

O extenso equipamento de série é outros dos atributos do novo X7. Merecendo aqui destaque elementos como o Live Cockpit Professional, com dois ecrãs de 12,3” (o painel de instrumentos totalmente digital e o de comando do sistema de infoentretenimento); o head-up display de terceira geração, com ecrã de maiores dimensões e mais informação; o tecto panorâmico de três secções, que se estende até à terceira fila de bancos;,os suportes para copos dianteiros com aquecimento e refrigeração; o carregamento por indução para smartphones; a iluminação ambiente com seis cores; o pára-brisas acústico; os faróis integralmente por LED; o revestimento em pele dos bancos; a chave digital, que permite utilizar um smartphone para aceder ao veículo e ligar o motor; as actualizaçoes remotas de software; o assistente pessoal BMW; ou o pack Driving Assistant Professional (que inclui dispositivos como o assistente de tráfego, o assistente à manutenção na faixa rodagem, o assistente de direção ou o assistente de velocidade máxima permitida no local.

Obviamente, isto não significa que não exista um sem número de opções disponíveis, bem pelo contrário. Neste capítulo, referência para o tecto Sky Lounge com gráficos iluminados; para o sistema de entretenimento traseiro com dois ecrãs tácteis integrados de 10,2”; para o sistema de som Bowers & Wilkins com vinte altifalantes e amplificador de 1500 Watt; para o ambientador com oito fragrâncias; para os vidros laterais acústicos; para as ópticas dianteiras  por laser (com máximos capazes de iluminar até 600 metros, o dobro dos faróis por LED); e para os comandos interiores com aplicações em vidro.

Logo a partir do lançamento, o X7 também irá propor dois pacotes de equipamento, exterior e interior. O mais refinado Design Pure Excellence inclui jantes de 21” ou 22”; grelha com acabamento cromado exclusivo; proteções da carroçaria dianteira e traseira especificas; guarda-lamas e saias laterais na cor da carroçaria; montantes dos espelhos e pilares centrais e traseiros em preto brilhante; barras de tejadilho e molduras das janelas em alumínio acetinado; soleiras das portas BMW Individual iluminadas; e bancos confort em pele Merino. Já o pack M Sport pode montar jantes de 20” a 22”, ao mesmo tempo que inclui o pacote aerodinâmico M; suspensão, travões, sistema de escape, volante em pele multifunções, tapetes e pedaleira M Sport; soleiras das portas M Sport iluminadas; guarda-lamas e saias laterais cor carroçaria; molduras janelas preto brilhante; e chave de desenho específico.

Com suspensão por triângulos sobrepostos na frente, e do tipo multilink, com cinco braços, atrás, o X7 conta em todas as versões com tracção integral permanente e caixa automática de oito velocidades, anunciando um ângulo de ataque de 25°, um ângulo de saída de 22,2° e um ângulo ventral de 19,8°, bem como uma altura ao solo de 221 mm e uma capacidade de vau de 600 mm. As barras estabilizadoras e a direção integral são uma opção, tal como o é o pacote Offroad, composto pelos exclusivos modos de condução específicos para o fora de estrada (xSand, xGravel, xRocks e xSnow); pelo mapeamento específico do sistema de tracção integral xDrive, da caixa de velocidades Steptronic e do acelerador; pelo diferencial traseiro autoblocante de afinação especifica; e pela protecção inferior de carroçaria dianteira também especifica.

Quanto a versões, quando do lançamento, estarão disponíveis quatro motorizações, embora a mais dotada não seja comercializada na Europa: o X7 xDrive50i, animado pelo  4.4-V8 biturbo a gasolina com 462 cv e 650 Nm, capaz de cumprir os 0-100 km/h em 5,4 segundos, e de atingir uma velocidade máxima electronicamente limitada a 250 km/h. A única opção a gasolina, no Velho Continente, será, assim, o X7 xDrive40i, sob cujo capot está instalado o seis cilindros em linha sobrealimentado de 3,0 litros, capaz de disponibilizar 340 cv e 450 Nm, e de permitir ao modelo cumprir os 0-100 km/h em 6,1 segundos e atingir os 245 km/h.

A oferta Diesel tem como variante de acesso o X7 xDrive30d, equipado com o seis cilindros em linha turbodiesel de 265 cv e 620 N, que lhe garante uma aceleração 0-100 km/h em 7,0 segundos e uma velocidade máxima de 227 km/h. No topo estará o X7 M50d, que recorre à derivação com quatro turbocompressores desta mesma unidade motriz, cujo rendimento de 400 cv e 760 Nm é o garante de uma aceleração 0-100 km/h cumprida em 5,4 segundos, e de uma velocidade máxima de 250 km/h – fazendo ainda parte do seu argumentário o diferencial autoblocante M Sport, aqui oferecido de série.

Qual é a sua reação?
Excelente
0%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

    Deixe uma resposta

    2 + 5 =

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.