CompararComparando ...

Novo Renault Clio na Primavera. Primeiras imagens da revolução interior

Artigo
Novo Renault Clio na Primavera. Primeiras imagens da revolução interior

Está prestes a chegar ao mercado o novo Clio, modelo que vendeu mais de 15 milhões de unidades desde o seu lançamento em 1990, é o best-seller do Grupo Renault a nível mundial e, desde 2013, líder na Europa entre os utilitários. Nesta sua quinta geração, que deverá ser oficialmente revelada em Março, no Salão de Genebra, e de que, para já, apenas foi revelado o interior, o desenvolvimento obedeceu ao mote “Evolução e Revolução”, com a marca do losango a recuperar do Clio I o lema “grandes para quê”, do Clio II os elevados padrões de habitabilidade e confortom, do Clio III a alteração do paradigma da perceção de qualidade, e do Clio IV o estilo marcante, que inspirou toda a sua gama.

Ainda sem qualquer imagem que permita comprová-lo, a casa de Billancourt garante que o design exterior está mais maduro, garantido por linhas mais definidas e uma secção frontal mais assertiva. Tudo em prol de um maior dinamismo e de uma superior modernidade, ainda que o Clio V, apesar de se tratar de um automóvel totalmente novo, e em que todos os painéis da carroçaria são novos, permaneça, propositadamente, reconhecível como um Clio logo num primeiro olhar.

Já o interior, em que o construtor francês assegura ter operado uma verdadeira revolução, é o grande elemento de destaque nesta primeira comunicação da Renault relativa ao novo Clio. Usufrfuindo de um design completamente repensad, foi totalmente revisto, tendo, para tal, bebido inspiração nos modelos dos segmentos superiores, e recebido tecnologias normalmente disponíveis somente em propostas de outras categorias.

A percepção de qualidade e a ergonomia do posto de condução terão sido as grandes prioridades para as equipas de design de interiores. Os materiais prometem ser de topo, os acabamentos são novos, e o chamado Smart Cockpit, mais compacto, será capaz de permitir a integração de mais tecnologias a bordo, mas sem condicionar a habitabilidade. O Clio contará, ainda, com os ecrãs de maiores dimensões da sua classe, seja o do sistema de infoentretenimento (vertical, ligeiramente curvado e com uma diagonal de 9,3”, bebeu inspiração no do Espace), seja o que serve o painel de instrumentos totalmente digital, cujas dimensões variam em 7” e 10”, consoante as versões.

Referência, também para o volante, mais pequeno do que até aqui, para aumentar a visibilidade do painel de instrumentos, e dotado de novos comandos, mais completos e retroiluminados, e de acabamentos em cromado acetinado. Ao mesmo tempo, a alavanca de comando da caixa de velocidades é mais curta, e a consola central elevada e revestida, podendo ser personalizada em função do ambiente interior e, mesmo, dispor de animação luminosa no contorno exterior – contando, na sua secção inferior, com espaços de arrumação e uma zona para carregamento por indução de smartphones.

Quanto aos bancos, também derivam dos utilizados em modelos de segmentos superiores, permitindo oferecer uma posição de condução mais correcta, graças ao maior comprimento do assento e ao seu formato forma mais envolvente. A escolha dos materiais para o respectivo revestimento também visou incrementar a percepção da qualidade do interior.

Além de contar com soluções únicas na classe, como o travão de estacionamento automático, o Clio V irá disponibilizar packs de personalização interior, que abrangem, entre outros, os elementos da consola central, do painel de bordo, os painéis de portas, o volante e os apoios de braços. Serão propostos oito ambientes interiores, passíveis de ser complementados por elementos de personalização que darão cor à linha das saídas de ventilação, ao longo do tablier, dispondo a iluminação ambiente de oito cores.

Mecanicamente, são ainda poucos os dados revelados pela Renault acerca do seu utilitário, a não ser que lhe cabe estrear a plataforma modular CMF-B, dotada de uma nova arquitectura eléctrica e electrónica, já preparada para integrar as últimas evoluções tecnológicas. Algo que não é de somenos, tendo em conta que o fabricante gaulês, até 2022, irá lançar doze modelos eletrificados e quinze modelos equipados com tecnologias de condução autónoma – e o Clio V será o primeiro a fazer uso da nova motorização híbrida E-Tech (ao que tudo indica, azendo uso de uma tecnologia do tipo mild hybrid com base em motores a gasolina), e também promete democratizar as tecnologias de assistência que conduzirão à condução autónoma. Claro que dá oferta também farão parte motorizações convencionais, como uma versão revista do conhecido 0.9 TCe, um novo 1.3 TCe e o célebre 1.5 dCi, já numa derivação apta a cumprir com as novas exigências em termos ambientais.

Por fim, da informação por ora disponibilizada pela Renault, menção para a garantia de que o novo Clio será o pioneiro de uma nova geração de modelos da macra, incluindo na sua gama uma nova linha R.S. Line, inspirada pela Renault Sport, e uma nova orientação de design para o acabamento Iinitiale Paris. É esperado, também, que o modelo venha a conhecer uma variante Clio R.S., de inspiração iminentemente desportiva, desenvolvida pela divisão desportiva da Renault.

Qual é a sua reação?
Excelente
100%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

    Deixe uma resposta

    5 × 4 =

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.