CompararComparando ...

Volvo V90 T8 PHEV Inscription

Artigo
Volvo V90 T8 PHEV Inscription

Visão geral
Marca:

Volvo

Modelo:

V90

Versão:

T8 PHEV Inscription

Ano lançamento:

2018

Segmento:

Grandes familiares

Nº Portas:

5

Tracção:

Integral

Motor:

2.0 Híbrido

Pot. máx. (cv/rpm):

390/6000

Vel. máx. (km/h):

250

0-100 km/h (s):

5,3

Consumos (l/100 km):

2,4-2,9 (Ciclo combinado WLTP)

CO2 (g/km):

54-66 (Ciclo combinado WLTP)

Autonomia eléctrica (km):

47-57 (Ciclo WLTP)

PVP (€):

76 873/81 940

Gostámos

Relação rendimento/prestações/consumos, Facilidade de utilização do sistema híbrido, Agrado de condução, Comportamento, Insonorização, Habitabilidade

A rever

Apenas cabo de carregamento doméstico proposto de série, Ausência de patilhas no volante para comando da transmissão, Tacto do pedal de travão, Conforto em piso degradado

Nosso Rating
Rating Leitor
Para avaliar, registe-se ou inicie sessão
Qualidade geral
9.0
Interior
9.0
Segurança
9.0
Motor e prestações
9.0
Desempenho dinâmico
8.0
Consumos e emissões
9.0
Conforto
8.0
Equipamento
8.0
Garantias
6.0
Preço
6.0
Se tem pressa...

Estilo, qualidade, requintem eficácia, altas prestações e eficiência energética. De facto, não é fácil encontrar defeitos determinantes na nova Volvo V90 PHEV Inscription. E até o preço, ao alcance só de alguns, acaba por fazer sentido!

8.1
Nosso Rating
Rating Leitor
You have rated this

Se há marcas que foram breves e consequentes entre o anúncio da aposta na mobilidade eléctrica, e a efectiva electrificação da sua oferta, a Volvo é, inquestionavelmente, uma delas. A V90 T8 PHEV Inscription aqui em análise, derivação mais refinada e equipada da versão híbrida plug-in da carrinha de topo da casa de Gotemburgo, é mais uma prova disso mesmo, constituindo uma das várias opções do género que a mesma inclui já na sua oferta.

Justifica-se começar por salientar que, exceptuando a motorização, e aquilo que com ela mais directamente se relaciona, esta variante da V90 em pouco mais se distingue das restantes que compõem a gama, animadas por motores térmicos, mantendo inalterados a esmagadora maioria dos seus atributos. Significa isto, desde logo, que continua a ser capaz de encantar esteticamente, por dentro como por fora, graças a um estilo que, ao melhor jeito da escola nórdica nesta matéria, assente na simplicidade da forma, teimando em manter-se actual e apelativo.

Apesar dos anos, a Volvo V90 ainda não perdeu nada do seu apelo estético, que se mantém intocado na variante híbrida plug-in

Apesar dos anos, a Volvo V90 ainda não perdeu nada do seu apelo estético, que se mantém intocado na variante híbrida plug-in

A qualidade geral de nível superior, em termos de construção, como da esmagadora maioria dos materiais utilizados, assim como dos respectivos acabamentos, é outro trunfo determinante desta carrinha. A que convém juntar, ainda, uma óptima posição de condução, uma excelente ergonomia e uma habitabilidade referencial, capaz, até, em termos do sempre decisivo espaço destinado às pernas dos ocupantes do banco traseiro, de fazer inveja a algumas berlinas de luxo … de châssis longo!

Ainda assim, é aqui que, na prática, se começam a identificar alguns dos elementos que diferenciam a V90 T8 PHEV das suas irmãs de gama. No caso, o túnel central posterior bastante volumoso, consequência de a bateria de alta tensão estar montada longitudinalmente na plataforma, o qual reduz de forma notória o conforto proporcionado a um eventual terceiro passageiro traseiro.

O espaço para ternas atrás é uma referência da classe, mas o túnel central prejudica o transporte de um terceiro passageiro no banco posterior

O espaço para ternas atrás é uma referência da classe, mas o túnel central prejudica o transporte de um terceiro passageiro no banco posterior

Bateria esta que se destina a alimentar o motor eléctrico de uma motorização híbrida plug-in já bem conhecida, e merecedora de encómios, de outras propostas da oferta da Volvo em que é aplicada. Um grupo motopropulsor que de destaca, fundamentalmente, por conjugar um excelente rendimento, e prestações a condizer, com uma autonomia eléctrica, em teoria, suficiente para permitir a boa parte dos seus utilizadores não necessitarem de recorrer ao motor a gasolina para assegurar as suas deslocações quotidianas – por outras palavras, tornando-as deveras económicas e isentas de emissões.

Em causa está um quatro cilindros de 2,0 litros a gasolina com dupla sobrealimentação (compressor mecânico a assegurar a função às 3000 rpm, turbocompressor a assumir o seu lugar a partir deste regime), capaz de oferecer 303 cv de potência e um binário máximo de 400 Nm. Combinado com uma caixa automática de oito velocidades, é auxiliado na sua tarefa por um motor eléctrico de 88 cv e 240 Nm (do que resulta um rendimento combinado de 392 cv e 640 Nm), por sua vez alimentado por uma bateria de iões de lítio com 11,6 kWh de capacidade.

Por grande que seja a tentação de fazer o oposto, mandam a lógica e o bom senso que se inicie a avaliação de uma proposta deste género pelos consumos e emissões – no fundo, a sua razão de existir. Sejam estes, pois, respeitados! Desde logo merecendo ser sublinhado que a motorização híbrida, para além de mal se fazer ouvir quando se conduz com os vidros fechados, fruto se um funcionamento suave e silencioso, e de uma boa insonorização, também garante excelentes consumos, e mais ainda quando a bateria está totalmente carregada, e se tira pleno partido da autonomia eléctrica.

Com quatro modos de funcionamento elegíveis pelo codutor, a V90 T8 PHEV prima pela elevada eficiências e pelas excelentes prestações

Com quatro modos de funcionamento elegíveis pelo codutor, a V90 T8 PHEV prima pela elevada eficiências e pelas excelentes prestações

Neste particular, refira-se que o valor anunciado pela Volvo para a V90 T8 PHEV é de 47-57 km no ciclo WLTP, embora o sistema de bordo, após uma recarga completa, nunca indique mais do que 45 km. Sendo que, na prática, em estrada, auto-estrada ou em cidade, o mais provável é que se consigam cumprir 30-35 km no modo totalmente eléctrico (em que a velocidade máxima está limitada a 125 km/h), na melhor das hipóteses cerca de 40 km em cidade – quando redobrados os cuidados dispensados ao pedal da direita, e optimizando-se ao máximo a regeneração de energia.

Seja como for, e os valores obtidos nas nossas medições confirmam-no, o gasto de combustível é sempre um trunfo da V90 T8 PHEV, graças a consumos extremamente contidos quando se dispõe da totalidade da autonomia eléctrica, mas que também não assustam quando esta se esgota, nem mesmo em cidade: uma média combinada de 7,7 l/100 km para uma carrinha com mais de duas toneladas e quase 400 cv de potência não pode deixar de ser considerado um bom valor. E até os cerca de 12,0 l/100 km registados quando se pratica uma condução permanentemente “ao ataque” estão longe ser um registo surpreendente ou despropositado, embora raros tendam a ser os clientes do modelo que alguma vez o confirmarão, tanto mais que essa está longe de ser a sua vocação.

Para estes, mais importante será saber, por exemplo, que a Volvo anuncia tempos de recarga da bateria de 03h00m a 16 A, de 04h00m a 10 A e de 08h00m a 6 A. E que, de série, mesmo no nível de acabamento de topo, a V90 T8 PHEV Inscription só oferece, de série, o cabo de carregamento de ligação a uma tomada doméstica de 220 Volt, algo difícil de compreender num automóvel deste género e deste nível de preço, até por significar que, quem não adquirir o opcional cabo que permite a ligação a postos de carregamento públicos ou a uma Wallbox, não poderá usufruir dos tempos de carregamento mais céleres

Ainda no que à gestão energética diz respeito, menção para os quatro modos de condução disponíveis (Constant AWD, Pure, Hybrid e Power), e para o comando da caixa de velocidades, através do qual é possível não só aumentar a resistência que garante a regeneração de energia em desaceleração, como cada uma das oito relações de caixa. Uma solução que apresenta vários pontos perfectíveis, como seja ter sempre de passar-se pela posição “B” (a tal em que aumenta a regeneração de energia) para chegar-se à selecção manual das relações de caixa, mesmo nos modos de condução mais performantes, além de que estes estão disponíveis apenas em redução, já que o movimento oposto na alavanca leva sempre a transmissão a adoptar a posição “B”.

O comportamento dinâmico é muito eficaz, tornando um prazer conduzir a V90 T8 PHEV a ritmos mais acelerados

O comportamento dinâmico é muito eficaz, tornando um prazer conduzir a V90 T8 PHEV a ritmos mais acelerados

Por outro lado, tanto o formato do manípulo de comando da caixa, como a inexistência de resistência ou impulso na respectiva operação, não fazem deste o elemento ideal para comandar manualmente a transmissão, tornando ainda mais difícil a seleccão da relação pretendida sem que se desviem os olhos da estrada. Situações que podiam ser facilmente, no todo, ou em parte, obviadas através de algo tão simples como as patilhas no volante para executar estas funções  – custando, cada vez mais, a entender a teima, quase cisma, da Volvo em não disponibilizar este elemento tão útil quanto cada dia mais vulgar, mesmo em modelos que custam menos de metade do preço deste V90 T8 PHEV Inscription…

Pelo contrário, seja em que modo de condução for, e mais ainda no mais desportivo, o grupo motopropulsor pauta-se por uma resposta excelente em qualquer circunstância, extremamente poderosa, inclusive quando já não há carga na bateria que assegure propulsão excusivamente eléctrica, e que se traduz em acelerações e, principalmente, recuperações de excelente nível, capazes de envergonhar muitos desportivos de renome que por aí andam… É, de facto, impressionante a pujança e a constância com que este motor responde à pressão sobre o acelerador, a facilidade com que se atingem velocidades proibitivas, sendo a aceleração praticamente linear até aos 250 km/h definidos como velocidade máxima limitada pela electrónica!

Já o châssis, evoluído e muito bem afinado, padece, porém, de uma direcção que nada perderia em ser um pouco menos “leve”, o que só lhe conferiria uma outra precisão, e, por consequência, maior confiança ao condutor, em especial nas solicitações mais exigentes. Melhorável é, também, um sistema de travagem que não merece reparos pela potência ou constância que oferece, mas cujo pedal conta um tacto ainda tantas vezes encontrado em automóveis eléctricos ou electrificados, algo artificial e nem sempre fácil de modular, sobretudo quando se pretende, efectivamente, travar, e não apenas abrandar…

Ainda assim, nada que seja suficiente para manchar o óptimo desempenho dinâmico da V90 T8 PHEV Inscription, desde logo marcado por uma elevada facilidade de condução, e por uma apreciável eficácia em curva, mesmo tendo em conta o extra de peso de cerca de centena e meia de quilogramas imposto pela bateria do sistema híbrido. Virtude para que também concorre um equipamento pneumático de elevada qualidade (Michelin Pilot Sport 4), que não visa favorecer apenas a eficiência energética, decisão que se saúda.

Apesar da aposta no conforto, que se confirma em pisos bem conservados, a afinação firma da suspensão não deixa de condicionar a comodidade dos ocupantes em mau piso

Apesar da aposta no conforto, que se confirma em pisos bem conservados, a afinação firma da suspensão não deixa de condicionar a comodidade dos ocupantes em mau piso

Não obstante, e como não se estranhará numa proposta deste género (para mais tendo em conta o seu cliente alvo), no capítulo dinâmico, o conforto foi mesmo a prioridade no ajuste das suspensões, e há que reconhecer que o mesmo é bastante elevado na maioria das situações. Mas não soberbo em piso mal conservado, porventura devido a uma afinação mais firme dos elementos elásticos das ligações ao solo, para bem lidar com o aumento de peso, a qual acaba por se reflectir negativamente na comodidade de quem segue a bordo – nada de dramático, mas, ainda assim, efectivo.

Resta, pois, no verdadeiro sentido do termo, contabilizar quanto custa o invejável leque de atributos da V90 T8 PHEV Inscription. Que, pertencendo ao segmento dos grandes familiares de prestígio, nunca poderia ser uma proposta para todas as bolsas – o seu preço de €76 873 (€81 940 no caso da unidade testada, por via dos extras na mesma instalados, descritos em detalhes na resectiva tabela) é a prova disso mesmo.

Podendo parecer muito, esta acaba por ser uma verba que se justifica: basta ver os valores praticados pela concorrência, o quanto pode custara uma carrinha deste segmento com quase 400 cv, ou o generoso equipamento de série que à mesma está associada. Imperioso é, igualmente, recordar os benefícios de que as empresas podem usufruir na compra deste modelo, mormente em termos de dedução do IVA e de tributação autónoma. Contudo, se, ainda assim, este valor parecer exagerado, registe-se que a versão de acesso, dotado do nível de equipamento Momentum, está disponível entre nós a partir de €73 231, e sem nada perder em termos mecânicos ou de competência mecânica.

Airbag para condutor e passageiro (desligável)
Airbags laterais dianteiros
Airbags de cortina
Airbag para os joelhos do condutor
Controlo electrónico de estabilidade
Cintos dianteiros com pré-tensores e limitadores de esforço
Fixações Isofix
Sistema Pilot Assist
Assistente à manutenção na faixa de rodagem
Sistema de travagem autónoma de emergência com reconhecimento de peões e ciclistas
Assistente aos arranques em subida
Selector de modos de condução
Travão de estacionamento eléctrico
Cruise control adaptativo+limitador de velocidade
Ar condicionado automático bizona
Computador de bordo
Painel de instrumentos digital de 12,3″
Bancos em pele
Bancos dianteiros com regulação eléctrica (incluindo apoio lombar e extensão do assento)
Banco traseiro rebatível 60/40
Volante multifunções em pele, regulável em altura+profundidade
Sistema multimédia com tomada USB
Mãos-livres Bluetooth
Direcção com assistência electrohidráulica variável
Vidros eléctricos FR/TR
Retrovisor interior electrocromático
Retrovisores exteriores eléctricos+aquecidos+rebatíveis electricamente
Cortinas laterais traseiras
Sensor de luz+chuva
Sensores de estacionamento traseiros
Faróis por LED
Barras de tejadilho
Jantes de liga leve de 19″
Kit de reparação de furos
Sistema de monitorização da pressão dos pneus

Pintura exterior Branco Cristal Inscription (€15673)
Pack Business Connect Pro (€2509 – inclui: sistema de navegação; Volvo On Call; integração smartphone com ligação USB)
Pack Versatility (€566 – inclui: suporte de mercearias; portão traseiro eléctrico; acesso+arranque sem chave; fecho eléctrico das portas traseiras)
Pack Family  (€320 – inclui: bancos de criança integrados; volante aquecido)
Câmara de estacionamento traseira (€523)

Qual é a sua reação?
Excelente
0%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

5 × 5 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.