0
Posted Junho 17, 2017 by António de Sousa Pereira in |Notícias
 
 

OSVehicle Edit: o primeiro eléctrico autónomo de “fonte aberta”

Um dos membros do projecto do Renaut Twizy de “fonte aberta”, a OSVehicle revelou agora as primeiras imagens do Edit, anunciado como o primeiro automóvel autónomo modular de propulsão eléctrica de fonte aberta. Ou seja, um veículo destinado a ser disponibilizado a outras empresas (B2B) que, a partir desta base, queiram criar o seu próprio modelo deste género.

O preço e as principais características do Edit ainda não são conhecidas, mas a OSVehicle promete revelar em breve estes elementos. Ainda assim, é certo que se trata de um veículo altamente personalizável, tanto por fora como por dentro, dotado de uma tecnologia modular que permitirá facilmente trocar vários componentes fulcrais, como o motor elétrico, o pack de baterias e a bagageira.

Pelas imagens e informação divulgadas, sabe-se que a carroçaria divide-se em cinco componentes fundamentais, executados a partir de quatro moldes (portas dianteiras, portas traseiras, tejadilho e o duplo portão traseiro simétrico). As formas exteriores poderão ser facilmente adaptadas às necessidades e exigências dos clientes, prometendo ainda ajudar a fazer a transição rumo aos automóveis autónomos do futuro – por serem substituíveis, estes elementos são, não só, facilmente reparáveis, como podem dar lugar a outros, mais evoluídos, que contribuam para reduzir a sinistralidade.

O interior pode adoptar diferentes configurações, em função dos cinco níveis de condução automóvel que o Edit está apto a disponibilizar. Na versão mais evoluída, totalmente autónoma, não existirão volante ou pedais, e os bancos são colocados frente a frente, em redor de uma mesa que permite, por exemplo, trabalhar durante as deslocações.

Entre os seus principais clientes, a OSVehicles prevê contar com marcas que não pretendam dispender as enormes quantidades de tempos e dinheiros necessários para desenvolver um automóvel eléctrico autónomo a partir do zero, antes optando por personalizar um já existente. E também as empresas dedicadas às novas soluções de mobilidade, como a Uber e suas congéneres, que assim poderão dispor de veículos especificamente adaptados às suas necessidades e exigências a vários níveis.


António de Sousa Pereira