Random Article


 
Últimos vídeos
 

VW Golf 1.4 GTE 5P

 
VW Golf 1.4 GTE 5P
VW Golf 1.4 GTE 5P
VW Golf 1.4 GTE 5P

 
Ficha Técnica
 

Marca:
 
Modelo:
 
Versão:
 
Ano De Lançamento:
 
Segmento:
 
Número De Portas:
 
Motor:
 
Potência máxima (cv/rpm): 204/5000-6000
 
Velocidade máxima (km/h): 222
 
0-100 km/h (s): 7,6
 
Consumos Extra-urbano/combinado/urbano (l/100km): N.D./1,8/N.D.
 
Emissões de CO2 (g/km): 40
 
PVP/preço da unidade testada (€): 44 691/46 325
 
Qualidade geral
9.0


 
Interior
9.0


 
Segurança
8.0


 
Motor e prestações
9.0


 
Desempenho dinâmico
9.0


 
Consumos e emissões
9.0


 
Conforto
7.0


 
Equipamento
9.0


 
Garantias
7.0


 
Preço
7.0


 
Total Score
8.3


User Rating
no ratings yet

 

Gostámos


Versatilidade, Consumos, Prestações, Comportamento, Prazer de condução, Qualidade geral

A rever


ESP não desligável


Se tem pressa...

Combinando baixos consumos, eficiência de combustível e desportividade, o VW Golf GTE continua a ser uma das versões mais interessantes e apelativas da gama do best-seller europeu

0
PostedSetembro 18, 2017 by

 
Artigo completo
 
 

Ficha de Medições

Velocidade máxima anunciada (km/h) 222
Acelerações (s)
0-100 km/h 7,6
0-400 m 15,5
0-1000 m 28,2
Recuperações 60-100 km/h (s)
Em D3,8
Recuperações 80-120 km/h (s)
Em D4,6
Distância de travagem (m)
100-0 km/h 35,5
Consumos (l/100 km)
Estrada (80-100 km/h)5,1
Auto-estrada (120-140 km/h)7,2
Cidade6,4
Média ponderada (*)6,30
Autonomia média ponderada (km)634
(60% cidade+20% estrada+20% AE)
Medidas interiores (mm)
Largura à frente1440
Largura atrás1400
Comprimento à frente1120
Comprimento atrás755
Altura à frente1010
Altura atrás970

O VW Golf GTE é já um nosso “velho” conhecido, e, tal como os restantes membros da sua gama, recebeu diversas melhorias estilísticas e de equipamento, resultantes do restyling a que foi recentemente sujeito o best-seller europeu. Há a referir, neste domínio, os pára-choques redesenhados; a nova grelha com estrutura de favo de abelha; os novos grupos ópticos por LED com faixa azul (indicadora da vocação ambiental do modelo); os piscas dinâmicos; e, já no interior, o novo sistema de infoentretenimento com ecrã de 9,2” (mais evoluído e com alguns comandos por gestos); o painel de instrumentos totalmente digital Active Info Display; e o cruise-control adaptativo, agora incluído no equipamento de série.

Outro elemento a ter em conta é o sistema de navegação passar a contribuir para que a gestão do sistema de propulsão possa, em antecipação, adoptar (e adaptar) a melhor estratégia de funcionamento da motorização híbrida às condições do traçado, e, assim, tirar o melhor partido do modo de condução totalmente eléctrico e optimizar a respectiva eficiência energética. Sendo disso exemplos óbvios o ajuste efectuado quando da aproximação a uma subida ou a uma descida.

Visto por fora, o VW Golf GTE está (felizmente) mais aparentado com um desportivo compacto, como o seu "irmão" GTI, do que com a imagem tradicional de um automóvel de vocação ambientalista

Visto por fora, o VW Golf GTE está (felizmente) mais aparentado com um desportivo compacto, como o seu “irmão” GTI, do que com a imagem tradicional de um automóvel de vocação ambientalista

Estes são argumentos que se juntam a outros já conhecidos da derivação híbrida plug-in do Golf, caso da aparência exterior absolutamente normal, por oposição às formas tendencialmente futuristas, e não raro de gosto discutível, deste género de proposta, que não deixa (propositadamente) de evocar a do Golf GTI. Até no interior se confirma essa proximidade, seja pelos bancos desportivos revestidos pelo tecido com o tradicional padrão xadrez em tudo semelhante à do reputado desportivo, mas com a cor azul (obviamente…) a substituir o habitual vermelho, ou pelo volante de três braços com base plana.

Aqui, a decoração sóbria, mas elegante, a elevada qualidade geral e o espaço generoso continuam a ser atributos do modelo, e apenas a capacidade da bagageira, a variar entre 272 litros e 1162 litros, é uma das raras concessões feitas pelo Golf GTE face aos Golf “normais” (em que o volume da mala varia entre 380 litros e 1270 litros), porque foi necessário arranjar espaço sob o banco traseiro para alojar a pack de baterias do sistema híbrido. Em compensação, este é dos membros mais bem equipados de série da gama Golf, contando com tudo o que se exige a este nível, se bem que seja sempre possível “compor” a factura com mais alguns opcionais, como o demonstra a unidade ensaiada.

A qualidade geral, a habitabilidade e a decoração são semelhantes às que dqualquer outro Golf, embora esta versão híbrida plug-in conte, naturalmente, com alguns elementos específicos e um equiapmento de série mais rico

A qualidade geral, a habitabilidade e a decoração são semelhantes às que dqualquer outro Golf, embora esta versão híbrida plug-in conte, naturalmente, com alguns elementos específicos e um equiapmento de série mais rico

A animar o Golf GTE continua a estar o sistema híbrido que combinar o moto 1.4 TSI de 150 cv com um motor eléctrico de 105 cv, para um rendimento total combinado de 204 cv e 350 Nm. A VW anuncia 50 quilómetros de autonomia no modo totalmente eléctrico (utilizável até aos 130 km/h), durante este teste foi possível percorrer um máximo de 34 quilómetros praticamente ser ser necessário recorrer ao motor de combustão, o que se traduziu num consumo médio de 1,1 l/100 km. Continuando a circular em meio citadino esgotada a carga da bateria, o Golf GTE registou, ao fim de 100 quilómetros, um consumo de 6,4 l/100 km, o que também não deixa de ser notável para um modelo com este potencial dinâmico, até porque ser relativamente fácil baixar dos 6,0 l/100 km quando se adopta um estilo de condução mais focado na economia de conbustível. Já em estrada, e seguindo o mesmo raciocínio, o consumo foi de 5,1 l/100 km em estrada, e de 7,2 l/100 km em auto-estrada.

A par do modo eléctrico, e do modo hibrido, o Golf GTE presentei o utilizador também com o modo GTE, seleccionável através de um botão autónomo, e aquele que, por certo, mais fascinará os adeptos desta solução, já que é aqui que toda a mecânica dá o melhor de si para proporcionar as melhores prestações e o melhor desempenho dinâmico. Dúvidas houvesse, é atentar nos 7,6 segundos necessários para cumprir os 0-100 km/h, ou na velocidade máxima de 222 km/h, valores perfeitamente dignos de um desportivo compacto a gasolina, mas que aqui se conjugam com consumos que raros, se é que algum, serão os rivais capazes de alcançar.

Como a unidade que combina um motor eléctrico com o motor a gasolina 1.4 TSI continua a dar muito boa conta de si, a VW optou por não mexer neste elemento fulcral do Golf GTE

Como a unidade que combina um motor eléctrico com o motor a gasolina 1.4 TSI continua a dar muito boa conta de si, a VW optou por não mexer neste elemento fulcral do Golf GTE

É claro que o Golf GTE pesa quase mais 250 kg do que o seu “irmão” GTI, e isso sente-se na sua atitude dinâmica, obrigando a alguns ajustamentos. Essencialmente, implica ajustar a travagem e o momento de entrada em curva (antecipando-os um pouco), para, depois, esmagar o acelerador e tirar partido da sua enorme capacidade de aceleração na saída. Mas nada que chegue para eliminar o prazer de condução de um “ambientalista desportivo” muito fácil de domar, suficientemente ágil, com reações sempre honestas e previsíveis, que consegue ser, ao mesmo tempo, seguro e transmitir emoção ao volante – lamentando-se, apenas, ser possível desligar o controlo de estabilidade por forma a aumentar o grau de divertimento em traçados mais sinuosos, até porque o tacto da direcção e do pedal de travão são dignos de elogios, como o é a suspensão de afinação desportiva com amortecimento pilotado DCC, apta a oferecer um meritório grau de conforto de marcha mesmo nos pisos menos favoráveis, apesar das jantes de 18” oferecidas de série.

Contas feitas, o Golf GTE continua igual a si próprio: uma referência na sua classe, combinando dois mundos nem sempre de fácil conciliação- Um automóvel muito agradável e convincente de utilizar no dia-a-dia, em qualquer circunstância, como naqueles momentos em que mais apetece ao condutor dar largas às suas aptidões ao volante. Junte-se a isto a possibilidade que o sistema fiscal português confere de as empresas poderem deduzir o IVA, tanto da sua aquisição como das despesas de manutenção e reparação associadas, e, não é demais referi-lo, um look exterior e uma capacidade dinâmica e prestacional que nada têm que ver com os dos seus putativos concorrentes.

Um pouco menos acutilante do que o do Golf GTI, por via do aumento do peso, e diferente repartição do mesmo, o comportamento do Golf GTE não deixa de ser um dos seus melhores argumentos

Um pouco menos acutilante do que o do Golf GTI, por via do aumento do peso, e diferente repartição do mesmo, o comportamento do Golf GTE não deixa de ser um dos seus melhores argumentos

Dados Técnicos e Equipamento

Dados Técnicos

Motor
Tipo4 cil. linha, transv., diant.
Cilindrada (cc)1395
Diâmetro x curso (mm)74,5×80,0
Taxa de compressão10,1:1
Distribuição2 v.e.c./16 válvulas
Potência máxima (cv/rpm)150/5000-6000
Binário máximo (Nm/rpm)250/1500-3500
AlimentaçãoInjecção directa
Sobrealimentaçãoturbocompressor+intercooler
Motor eléctrico
TipoMotor síncrono de magneto permanente
Potência máxima (cv/rpm)105/2500
Binário máximo (Nm/rpm)n.d./0
BateriaLi-ion
Rendimento combinado
Potência máxima combinada (cv/rpm)204/5000-6000
Binário máximo combinad0 (Nm/rpm)350/n.d.
Dimensões exteriores
Comprimento/largura/altura (mm)4276/1799/1484
Distância entre eixos (mm)2630
Largura de vias fte/trás (mm)1549/1521
Jantes – pneus7 1/2Jx18″ – 225/40
Pesos e capacidades
Peso (kg)1615
Relação peso/potência (kg/cv)7,91
Capacidade da mala/depósito (l)272-1162/40
Transmissão
Tracçãodianteira com ESP+bloqueio electrónico do diferencial XDS
Caixa de velocidadespilotada de dupla embraiagem de 6+m.a.
Direcção
Tipocremalheira com assistência eléctrica
Diâmetro de viragem (m)10,9
 
Travões 
Dianteiros (ø mm)Discos ventilados (n.d.)
Traseiros (ø mm)Discos maciços (n.d.)
Suspensões
DianteiraMacPherson com amortecimento pilotado
TraseiraMultilink com amortecimento pilotado
Barra estabilizadora frente/trássim/sim
Garantias
Garantia geral5 anos ou 90 000 km (bateria: 8 anos)
Garantia de pintura3 anos
Garantia anti-corrosão12 anos
Intervalos entre manutenções15 000 km ou 12 meses

Equipamento de série

Airbag para condutor e passageiro (desligável)
Airbags laterais dianteiros
Airbag para os joelhos do condutor
Airbags de cortina
Controlo electrónico de estabilidade
Cintos dianteiros com pré-tensores e limitadores de esforço
Fixações Isofix
Assistente aos arranques em subida
Sistema de alerta de fadiga do condutor
Sistema de travagem anti-colisões múltiplas
Travão de estacionamento eléctrico
Ar condicionado automático bizona
Computador de bordo
Bancos dianteiros desportivos
Bancos dianteiros com regulação em altura+apoio lombar
Gavetas sob os bancos dianteiros
Banco rebatível 60/40
Volante em pele regulável em altura+profundidade
Volante multifunções
Direcção com assistência eléctrica variável
Rádio com leitor de CD/mp3+leitor de cartões SD+ecrã táctil de 9,2″+8 altifalantes+entradas USB/Aux
Car-Net Guide&Inform+Security&Service Plus (3 anos)
Comandos por voz
Mãos-livres Bluetooth
Sistema de navegação
Vidros eléctricos FR/TR
Retrovisores exteriores eléctricos+aquecidos+rebatíveis electricamente
Cruise-control adaptativo+limitador de velocidade+reconhecimento peões
Faróis dianteiros por LED escurecidos com “piscas” dinâmicos
Faróis de nevoeiro
Sensores de estacionamento dianteiros+traseiros
Pacote Light and Vision (inclui: retrovisor interior electrocromático, funções Leaving Home e Coming Home, sensor de luz e sensor de chuva)
Alarme
Tomada de 12 Volt na bagageira
Jantes de liga leve de 18″
Sistema de monitorização da pressão dos pneus
Kit de reparação de pneus

Extras da unidade testada

Pintura especial (€151)
Active Info Display (€461)
Sistema Dynamic Light Assist (€678)
Faróis dianteiros por LED com luzes dinâmicas (€344)

António de Sousa Pereira

 

0 Comments



Be the first to comment!


Leave a Response

(required)