CompararComparando ...

Jaguar E-Pace 2.0D 180 cv AWD S Auto

Artigo
Jaguar E-Pace 2.0D 180 cv AWD S Auto

Visão geral
Marca:

Jaguar

Modelo:

E-Pace

Versão:

2.0D 180 cv AWD S Auto

Ano lançamento:

2018

Segmento:

Todo-o-terreno

Nº Portas:

5

Tracção:

Integral permanente

Motor:

2.0 Diesel

Pot. máx. (cv/rpm):

180/4000

Vel. máx. (km/h):

205

0-100 km/h (s):

9,1

Consumos (l/100 km):

n.d./6,1/n.d.
(Extra-urbano/Combinado/Urbano)

CO2 (g/km):

162

PVP (€):

62 358/70 332 (Unidade testada)

Gostámos

Comportamento dinãmico, Conforto de marcha, Consumos, Qualidade geral, Imagem desportiva

A rever

Preço elevado, Caixa "hesitante" nas solicitações mais exigentes,

Nosso Rating
Rating Leitor
Para avaliar, registe-se ou inicie sessão
Qualidade geral
8.0
Interior
8.0
Segurança
8.0
Motor e prestações
8.0
Desempenho dinâmico
8.0
Aptidões TT
7.0
Desempenho TT
7.0
Consumos e emissões
8.0
Conforto
9.0
Equipamento
7.0
Garantias
7.0
Preço
6.0
Se tem pressa...

O E-Pace 2.0D de 180 cv não é a versão mais em conta do SUV mais acessível da Jaguar, mas é, seguramente, das mais interessantes para o nosso país, combinando um apuro dinâmico significativo com prestações razoáveis, óptimos consumos e as vantagens da tracção integral

7.6
Nosso Rating
Rating Leitor
You have rated this

Essencial para o seu objectivo de superar vendas de 250 mil automóveis anualmente, o E-Pace é o novo SUV da Jaguar e, também, o modelo deste género mais acessível da gama da casa de Coventry. Aqui em análise está o E-Pace 2.0D 180 cv AWD S Auto, uma versão que não prima por um preço, propriamente, muito acessível, mas que, em contrapartida, combina uma apreciável dotação mecânica, e todas as vantagens daí decorrentes, com um apreciável nível de equipamento de série.

Primeiros olhares para o novo SUV compacto da marca do felino, e aplausos para a Jaguar por não ter caído na tentação de seguir o caminho mais fácil e previsível no plano estilístico. Pese embora o êxito do F-Pace, e o facto de ter por base a plataforma do Range Rover Evoque, o E-Pace possui a sua própria personalidade neste capítulo, assumindo uma postura mais desportiva, patente, por exemplo, nos vários elementos evocativos do soberbo F-Type, como sejam as ópticas dianteiras, os farolins traseiros ou as grelhas laterais. Assim se explicando que até seja visualmente mais apelativo do que o seu irmão mais velho, embora seja aqui de salientar que as jantes de 19” instaladas na unidade ensaiada, mesmo não sendo as mais belas do mercado, são um opcional disponível por €862.

Ao invés de adoptar a solução mais fácil, e criar um F-Pace à escala, a Jaguar decidiu conferir ao E-Pace uma personalidade própria e uma imagem bem mais desportiva

Ao invés de adoptar a solução mais fácil, e criar um F-Pace à escala, a Jaguar decidiu conferir ao E-Pace uma personalidade própria e uma imagem bem mais desportiva

Já no interior, a influência do F-Pace é mais evidente, mormente em termos de decoração e ergonomia. Mas com uma vantagem: porventura sensível às críticas formuladas ao seu SUV de topo, a Jaguar foi aqui mais exigente na selecção dos materiais, e adoptou maiores cuidados nos acabamentos e no rigor construtivo, o que só é de enaltecer.

Ainda assim, há alguns elementos que facilmente poderão ser melhorados. Seja a enorme chapa metálica que serve de moldura à alavanca de comando da caixa, e que não será a solução esteticamente mais atraentes; seja o ecrã táctil do completo sistema de infoentretenimento, não pelas suas generosas dimensões (10”), mas pelas recorrentes dificuldades de visualização que apresenta com a luz do dia, tanto maiores quando mais intensa e directa esta for.

A habitabilidade é bastante razoável para quatro ocupantes (a largura da carroçaria tende a dificultar o transporte de um terceiro passageiro no banco posterior), alinhando por cima com a principal concorrência directa, e o posto de condução, elevado, como se espera de um automóvel deste género, é muito bom, graças à correcta posição relativa entre os principais comandos e a uma ergonomia que não merece reparos de maior. A capacidade da mala anunciada parece algo optimista, mas o volume disponível é suficiente para as exigências habituais de uma família de quatro pessoas, pese embora a elevada altura do plano de carga não facilite as operações de carga e descarga.

O interior do E-Pace segue os princípios já adoptados pelo F-Pace, mas com a Jaguar a ser mais rigorosa na selecção dos materiais e acabamentos

O interior do E-Pace segue os princípios já adoptados pelo F-Pace, mas com a Jaguar a ser mais rigorosa na selecção dos materiais e acabamentos

Ainda assim, é no plano dinâmico que o E-Pace mais aposta para se diferenciar dos seus principais rivais, assumindo uma atitude decididamente marcada pela desportividade, mas sempre com um muito apreciável nível de conforto, inclusive nos pisos mais degradados. Opção cujos méritos ficaram bem patentes no E-Pace 2.0D 180 cv AWD S Auto aqui analisado, por via de uma direcção precisa e bem mais directa do que o esperado num SUV, de um competente sistema de travagem que inspira confiança a quem o conduz, e de uma suspensão suficientemente eficaz para permitir praticar uma condução mais empenhada, nomeadamente graças à agilidade evidenciada em traçados mais sinuosos e à capacidade de tracção assegurada pelo sistema de transmissão integral.

Não obstante, nas trocas de apoio, as transferências de massa recomendam atenção redobrada, já que a suspensão não garante um controlo dos movimentos carroçaria tão preciso e eficiente quanto o desejável – a solução passará pela adopção da suspensão com amortecimento pilotado, um opcional proposto por €1184. A explicação para tal reside no centro gravidade elevado, na elevada altura solo, no curso da suspensão e, não menos importante, no peso do conjunto: o valor anunciado por este E-Pace não está longe do reclamado pelo F-Pace (320 mm mais comprido) animado pelo mesmo motor, e deve-se, em boa parte, ao recurso à plataforma em aço do Evoque, e não em alumínio do seu “irmão” mais velho, ainda que o capot, os guarda-lamas, o portão traseiro, o tejadilho e alguns elementos das suspensões em alumínio ajudem a manter o peso nos 1768 kg,

Mérito da tracção total é, ainda, permitir enfrentar incursões em todo-o-terreno com relativo à vontade, mesmo não dispondo o E-Pace de redutoras ou de modos de condução off-road, já que, aqui, o Drive Control apenas oferece as opções Chuva/Neve/Gelo, Eco, Conforto e Dinâmico. A corroborar esta apetência estão uma altura ao solo de 204 mm e os pneus Goodyear de vocação estradista, mas desenvolvidos para SUV.

Apesar do peso elevado, o E-Pace 2.0D de 180 cv comprova a atitude desportiva adoptada pela Jaguar para o seu novo SUV compacto

Apesar do peso elevado, o E-Pace 2.0D de 180 cv comprova a atitude desportiva adoptada pela Jaguar para o seu novo SUV compacto

Entre as várias opções de motorização do E-Pace, todas da família Ingenium, a que anima a versão em apreço é a “intermédia” entre as que utilizam o gasóleo como combustível. Com 2,0 litros de capacidade, 180 cv de potência e um binário máximo de 430 Nm, é suficientemente expedita para garantir uma boa capacidade de resposta na generalidade das circunstâncias, bem como prestações bastante razoáveis, mais uma vez atendendo ao peso do conjunto. O seu funcionamento é suave e silencioso q.b. numa utilização convencional, pese embora, nas solicitações mais exigentes, o aumento substantivo do ruído e das vibrações acabe por comprovar que tal se deve mais ao bom trabalho levado a cabo no domínio do isolamento do habitáculo do que a uma característica intrínseca de uma unidade motriz que nunca foi por tal conhecida.

Referência obrigatória para a caixa automática de nove relações, elementos que onera em cerca de €4000 a factura final, mas que se recomenda, pelas vantagens evidentes que proporciona em termos de conforto de condução e, principalmente, de consumos, bastante comedidos, mesmo em ambiente urbano. Pena que nem sempre seja tão rápido e “inteligente” quanto seria ideal, em particular nas solicitações mais exigentes, handicap que o modo manual sequencial ajuda a superar, embora, infelizmente, não existindo patilhas no volante, só esteja disponível através do respectivo selector – curiosamente, a cargo, não do habitual comando redondo rotativo, mas um mais convencional joystick.

Tudo somado, não há como negar que a novel criação da Jaguar acaba por ser uma proposta bastante interessante no cada dia mais disputado segmento dos SUV compactos de prestígio, até pela diferença que marca para a concorrência em termos de imagem e desportividade. Numa extensa gama, que, em Portugal, inclui três motores Diesel, e outros tantos a gasolina, versões de tracção dianteira ou integral, e diversos níveis de equipamento, e se inicia na variante 2.0D de 150 cv e tracção à frente, o E-Pace 2.0D 180 cv AWD S Auto não é a opção mais acessível, bem pelo contrário, mas é das mais interessantes, e das que melhor faz jus às ambições do seu construtor. Ainda que, para atingir em pleno tal desiderato, o melhor seja acrescentar ao preço já superior a 62 mil euros um lote de extras que o inflaccionarão substancialmente, como o prova a unidade em análise, orçada em mais de 70 mil euros, e a qual nada perderia, antes pelo contrário, com a inclusão da referida suspensão pilotada…

Airbag para condutor e passageiro (desligável)
Airbags laterais dianteiros+traseiros
Airbags de cortina
Controlo electrónico de estabilidade
Sistema de travagem automática de emergência
Sistema de leitura de sinais de trânsito com limitador de velocidade adaptativo
Alerta de atenção do condutor
Assistente à manutenção na faixa de rodagem
Assistente aos arranques em subida
Cintos dianteiros com pré-tensores+limitadores de esforço
Fixações Isofix
Ar condicionado automático bizona
Computador de bordo
Cruise-control
Bancos em pele
Banco traseiro rebatível 60/40
Volante em pele regulável em altura+profundidade
Volante multifunções
Direcção com assistência eléctrica variável
Vidros eléctricos dianteiros+traseiros
Rádio com leitor de mp3+ecrã táctil de 8″+tomadas USB+Aux dianteiras+6 altifalantes
Mãos-livres Bluetooth (telemóvel+áudio)
Sistema de navegação
InControl Apps
Sistema Touch
Retrovisores exteriores eléctricos+aquecidos+rebatíveis electricamente+electrocromáticos
Retrovisor interior electrocromático
Faróis por LED
Sensores de luz+chuva
Sensores de estacionamento FR/TR+câmara de estacionamento traseira
Travão de estacionamento eléctrico
Jantes de liga leve de 18”
Sistema de monitorização da pressão dos pneus
Kit anti-furo
Alarme perimétrico

Pintura metalizada (€915)
Jantes em liga leve de 19" (€862)
Ponteiras de escape duplas (€405)
Alarme volumétrico (€518)
Bancos dianteiros com regulação eléctrica de 10 vias+aquecimento (€410)
Forro do tejdilho em preto (€270)
Head-up display (€1183)
Park Pack (€707 – inclui sistema de estacionamento 360°+assistente de estacionamento+monitorização de tráfego pela traseira)
Para-brisas reflector de infravermelhoa (€282)
Sistema dinâmico adaptativo de amortecimento pilotado (€1183)
Secure Tracker (€676)
Sistema de câmaras surround (€380)
Acesso sem chave (€700)

Qual é a sua reação?
Excelente
0%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

    Deixe uma resposta

    20 − 9 =

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.