CompararComparando ...

Niko Rosberg domina em Melbourne

Artigo
Niko Rosberg domina em Melbourne

Foi ao fim da tarde em Melbourne, Austrália, início da manhã em Portugal, que se realizou o primeiro grande prémio de Fórmula 1 da temporada 2014 – e da nova era de motorizações e regulamentos da FIA para esta modalidade. Após duas falsas partidas, provocadas por falhas nos sistemas de energia dos dois Marussia e de um Lotus, foi possível dar inicio à corrida que todos esperavam. Lewis Hamilton ocupava o primeiro lugar da grelha de partida, seguido pelo Red Bull-Renault de Daniel Ricciardo e pelo seu companheiro de equipa na Mercedes, Niko Rosberg, e acabou por ser este último quem levou a melhor no arranque para a primeira volta ao circuito australiano.

Melbourne 2014

Já o Williams de Filipe Massa e o Caterham de Kamui Kobayashi ficaram fora de prova logo na primeira curva, após um acidente sem consequências de maior. Outras baixas fizeram-se sentir ao longo da corrida, entre elas a desistência, devido a problemas técnicos, do monolugar do Campeão do Mundo Sebastian Vettel. A Este seguiram-se o Mercedes de Lewis Hamilton e dos dois carros da Lotus, bem como Jules Bianchi e o seu Marussia.

Quando podia parecer que a corrida seria um autêntico apocalipse de desistências e abandonos,  tal acabou por não se verificar, já que, apesar de oito desistências, catorze pilotos conseguiram cruzar a linha da meta ao fim de 57 voltas, com Nico Rosberg a dominar de princípio a fim. Já Daniel Ricciardo acabou por ser desclassificado pelo colégio de comissários, por irregularidades detectadas ao nível do fluxo do combustível do seu motor (decisão de que a Red Bull deverá recorrer), o que ditou a perca do segundo lugar do pódio. Pelo que ainda não foi desta que um piloto australiano consegue alcançar o pódio na sua terra natal, pelo menos sem que lhe seja decretada alguma penalização.

Rosberg Austrália 2014

Deste modo, na classificação final, o segundo posto acabou por ser atribuído a Kevin Magnussen (filho do veterano de 40 anos Jan Magnussen, que este fim de semana disputou as 12 Horas de Sebring aos comandos de um Corvette, e por isso não pode assistir ao vivo à excelente estreia do seu filho da F1), seguido pelo seu companheiro de equipa na McLaren, Jason Button.

Com o mesmo número de voltas do vencedor terminaram ainda, por esta ordem, Fernando Alonso (Ferrari), Valteri Bootas (Williams-Mercedes), Nico Hulkenberg (Force India-Mercedes), Kimi Raikkönen (Ferrari), Jean Eric Vergne (STR-Renault), Daniil Kvyat (STR Renault), Sergio Perez (Force India – Mercedes).

A uma volta dos dez primeiros ficaram os Sauber-Ferrari de Adrian Sutil e Esteban Gutierrez; a duas voltas ficou Max Chilton (Marussia-Ferrari), com o seu companheiro de equipa, Jules Bianchi, a cumprir menos 8 voltas que o vencedor. Entre os desistentes, que não se classificaram, contam-se Romain Grosjean e Pastor Maldonado (Loutrs-Renault), Marcus Ericsson (Caterham-Renault), SebastianVettel (Red Bull-Renulat), Lewis Hamilton (Mercedes) e os dois envolvidos no acidente da primeira volta.

Partida em Melbourne

Algumas curiosidades estatísticas foram realçadas pela organização do Mundial de F1 neste Grande Prémio da Austrália 2014. Como Kevin Magnussen ter-se tornado no primeiro piloto dinamarquês a conseguir um pódio na F1, e também no primeiro estreante, desde Lewis Hamilton, em 2007 (também na Austrália), a conseguir um lugar entre os três primeiros na sua corrida de estreia. Não menos interessante, o facto de, até aqui, a melhor classificação para um piloto dinamarquês na F1 ser o sexto lugar alcançado no Grande Prémio do Canadá, em 1998, por Jan Magnussen – pai do jovem Kevin!

Pelo seu lado, Daniil Kvyat, com o seu décimo lugar final, tornou-se no mais jovem piloto de sempre a terminar nos pontos uma corrida de F1. Contando hoje 19 anos e 322 dias de idade, o russo é 27 dias mais novo do que o era Sebastian Vettel quando disputou, terminando nos pontos, o Grande Prémios dos EUA de 2007. Já Magnusse é o 13º mais jovem de sempre a terminar nos pontos, e o segundo mais jovem (atrás de Vettel) a conseguir um pódio.

Quanto ao vencedor, Nico Rosberg, alcançou a quarta vitória da sua carreira na Austrália, e está a apenas uma do total de vitórias conseguidas pelo seu pai, o Campeão do Mundo de 1982, Keke Rosberg. Por sinal, Keke venceu a prova inaugural da temporada de 1985, o Grande Prémio da Austrália disputado em Adelaide, com o número seis no seu monolugar, o mesmo inscrito no Mercedes do seu filho este ano – sendo que a vitória desta madrugada coincide, ainda, com o 100º GP da Mercedes enquanto fornecedor de motores.

Qual é a sua reação?
Excelente
0%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
Pedro Pimenta Lopes
Comentários
Deixe uma resposta

    Deixe uma resposta

    1 × 3 =

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.