CompararComparando ...

Novo Dacia Duster j√° chegou. Desde ‚ā¨14 900 e Classe 1 nas portagens

Artigo
Novo Dacia Duster j√° chegou. Desde ‚ā¨14 900 e Classe 1 nas portagens

 

 

Respons√°vel por cerca de um quarto das vendas da Dacia a n√≠vel global, o Duster j√° est√° √† venda em Portugal na sua nova gera√ß√£o ‚Äď um SUV em que, mesmo num primeiro e r√°pido olhar, s√£o evidentes, face ao seu antecessor, os progressos registados em termos de estilo, qualidade, ergonomia e tecnologia. A que se junta, como pudemos comprovar num primeiro contacto din√Ęmico, uma evidente maior compet√™ncia no plano din√Ęmico, em estrada como fora dela, quer ao nivel do conforto quer da efic√°cia.

Atributo determinante para o mercado portugu√™s, o facto de as suas vers√Ķes de trac√ß√£o dianteira serem classificadas como Classe 1 nas portagens nacionais. Para tal, as unidades do modelo destinada a Portugal receberam um amortecedor espec√≠fico, com um apoio da mola rebaixado em 20 mil√≠metros, que reduz em 24 mm altura ao solo, variando a taragem das molas em fun√ß√£o do peso das diferentes motoriza√ß√Ķes e n√≠veis de equipamento, para garantirem sempre o mesmo n√≠vel de conforto e de compet√™ncia din√Ęmica.

Estilisticamente, o novo Duster exibe uma apar√™ncia mais moderna e robusta, para tal concorrendo factores como a grelha de maiores dimens√Ķes; as √≥pticas dianteiras com luzes diurnas por LED, e colocadas mais nos extremos da carro√ßaria; os redesenhados farolins traseiros com posicionamento semelhante, agora com quatro elementos quadrados; o capot de novo desenho, montado em posi√ß√£o mais horizontal; a linha de cintura mais elevada; as novas prote√ß√Ķes inferiores dianteira e traseira de dimens√Ķes mais generosas; o p√°ra-brisas mais inclinado, tendo a respectiva base avan√ßado 100 mm; as novas barras de tejadilho em alum√≠nio; e as novas jantes de 17‚ÄĚ.

No interior, o Duster tamb√©m prova o seu maior distanciamento da filosofia ‚Äúlow cost‚ÄĚ por norma associada aos produtos do construtor romeno. Embora todos os pl√°sticos continuem a ser duros, √© not√≥ria a evolu√ß√£o aqui registada em termos de qualidade e agrado ao toque, enc√≥mio de que tamb√©m s√£o merecedores os acabamentos ‚Äď algo particularmente evidente no novo painel frontal, constru√≠do num material mais suave. Os instrumentos possuem um desenho mais actual e apelativo; as portas contam com novos puxadores e apoios de bra√ßo em espuma; a alavanca de comando da caixa de velocidades ¬†√© mais curta e disp√Ķe de inser√ß√Ķes cromadas acetinadas; os bancos tamb√©m por via do seu encaixe e apoio lombar mais efectivos, s√£o bastante mais confort√°veis, com o do condutor a incluir um apoio bra√ßos integrado e regul√°vel.

No que √† ergonomia diz respeito, refer√™ncia para o ecr√£ do sistema de infoentretenimento colocado numa posi√ß√£o mais elevada, para os novos comandos tipo teclas de piano, para a alavanca do trav√£o de m√£o e para o comando do sistema de trac√ß√£o integral montados em local mais acess√≠vel e para o volante agora regul√°vel em altura e profundidade. O novo Duster estreia na gama da Dacia o ar condicionado autom√°tico, oferece novos espa√ßos de arruma√ß√£o (destaque para a √ļtil gaveta colocada sob o banco do passageiro, com 2,8 litros de 2,8 litros, continua a apresentar como trunfo uma ampla habitabilidade, tendo em conta as dimens√Ķes exteriores, e a sua bagageira oferece uma capacidade de 478 litros (467 litros na vers√£o 4×4), ampli√°vel at√© um m√°ximo de 1623 litros, mediante o rebatimento assim√©trico do banco traseiro.

Dom√≠nio sempre preponderante, o da seguran√ßa, a que a Dacia tamb√©m dedicou particular aten√ß√£o no novo Duster. Este √© o primeiro modelo n√£o s√≥ da marca, como de todo o Grupo Renault, a fazer uso de um novo sistema de vis√£o panor√Ęmica, composto por quatro c√Ęmaras (uma frontal, duas laterais, colocadas sob os retrovisores exteriores, e um traseira), fazendo a sua estreia na gama Dacia tamb√©m o alerta de √Ęngulo morto (funciona entre os 30-140 km/h), a que se juntam o sensor de luz e o acesso e arranque sem chave. A isto h√° que adicionar longarinas com maior espessura; novos refor√ßos estruturais (moldura do p√°ra-brisas e longarinas sob o piso); novas estruturas dos bancos; novos apoios de cabe√ßa dianteiros (com maior superf√≠cie e espessura); novos airbags de cortina; pr√©-tensores com limitadores de esfor√ßo nos lugares dianteiros e laterais traseiros; fixa√ß√Ķes ISOFIX; e novas estruturas na carro√ßaria destinadas √† absor√ß√£o de energia em caso de embate.

A gama de motores inclui uma op√ß√£o a gasolina e outra a gas√≥leo, no caso das vers√Ķes 4×2, estando as de trac√ß√£o total dispon√≠veis apenas com motor Diesel, mas sempre combinadas com uma caixa de velocidades manual de seis rela√ß√Ķes ‚Äď numa fase posterior chegar√° o motor 1.6 SCe de 115 cv, com caixa manual de cinco velocidades, apto a consumir gasolina ou GPL. Assim, na base da ofertam estar√° o motor 1.2 TCe de 125 cv, capaz de levar o Duster at√© aos 177 km/h, e de lhe permitir cumprir os 0-100 km/h em 10,4 segundos, para um consumo combinado de 6,2 l/100 km. J√° o motor 1.5 dCi de 110 cv promete 171 km/h, 11,8 segundos nos 0-100 km/h e um consumo combinado de 4,4 l/100 km.

Ao volante do novo Duster, sempre com o motor dCi 110, a primeira nota vai, obrigatoriamente, para a insonorização substancialmente melhorada, incomparavelmente mais efectiva do que na anterior geração do modelo, provando a validade das medidas aplicadas pela Dacia neste particular. Segundo a marca, o aumento, entre 20%-50%, dos materiais fonoabsorventes no habitáculo e zona do motor, e a adopção de um pára-brisas com 0,35 mm de espessura, permitiram reduzir para metade os ruídos de rolamento.

Al√©m deste rolar mais refinado, o Duster tamb√©m oferece um pisar mais maduro e confi√°vel, merc√™ da correcta afina√ß√£o da sua suspens√£o e de uma direc√ß√£o bastante melhorada, agora capaz de filtrar com outra compet√™ncia as irregularidades do piso, em todas as circunst√Ęncias. Com um comportamento em estrada seguro e previs√≠vel, o modelo conta ainda com um motor sol√≠cito e econ√≥mico, bem coadjuvado por uma caixa precisa e bem escalonada, para proporcionar presta√ß√Ķes interessantes, consumos comedidos e uma condu√ß√£o bastante f√°cil e agrad√°vel.

O primeiro contacto com o novo Duster, realizado em estradas (e terras‚Ķ) da Estremadura e Alentejo, tamb√©m serviu para avaliar o seu potencial para evoluir fora de estrada. Aqui, e ainda na vers√£o de trac√ß√£o apenas dianteira, os razo√°veis √Ęngulos caracter√≠sticos (ataque de 30¬į, sa√≠da de 34¬į e ventral de 21¬į), a altura ao solo de 186 mm, o peso na casa dos 1200 kg e a disponibilidade do motor permitem enfrentar incurs√Ķes por estrad√Ķes e caminhos de terra com grande √† vontade, assim n√£o se pe√ßa ao modelo aquilo para que n√£o foi concebido ‚Äď a supera√ß√£o de obst√°culos verdadeiramente complicados.

Algo a que a vers√£o de transmiss√£o integral se presta com outra desenvoltura, gra√ßas ao sistema 4×4 com fun√ß√£o de bloqueio e √† altura ao solo aqui de 210 mm (embora o √Ęngulo de sa√≠da baixa para 33¬į), como foi poss√≠vel comprovar sem margem para d√ļvidas tanto na pista TT do Circuito do Estoril, como numa incr√≠vel visita, a 150 metros de profundidade (!), a uma espectacular ¬†galeria de onde √© extra√≠do algum do melhor do famoso m√°rmore Alentejo ‚Äď uma experi√™ncia √ļnica, uma visita absolutamente recomend√°vel. Esta foi a oportunidade ideal tamb√©m para tirar partido do controlo electr√≥nico de descidas HDC (que, tal como o assistente aos arranques em subida, faz a sua estreia no Duster) e do ecr√£ de informa√ß√Ķes 4X4, com b√ļssola integrada e indicador, em tempo real, dos diversos √Ęngulos de inclina√ß√£o do ve√≠culo.

Sem d√ļvida senhor de todos os argumentos para conquistar os apreciadores de um SUV competente, econ√≥mico e que n√£o se nega a enfrentar praticamente nenhuma aventura, o novo Duster seguramente que ter√° no pre√ßo praticamente imbat√≠vel mais um argumento decisivo para aumentar uma legi√£o de adeptos que, em Portugal, lhe assegurou vendas de mais de 7500 unidades desde que foi lan√ßado entre n√≥s. Com uma gama que se articula entre tr√™s n√≠veis de equipamento, a vers√£o de acesso 1.2 TCe Essential custa ‚ā¨14¬†900, or√ßando o Comfort em ‚ā¨16¬†650 e o Prestige em ‚ā¨18¬†400. Para os amantes do Diesel, o dCi 110 √© proposto por ‚ā¨19¬†650 no n√≠vel de equipamento Comfort, e por ‚ā¨21¬†400 no n√≠vel Prestige, com as respectivas vers√Ķes 4×4 a custarem mais ‚ā¨2500, al√©m de obrigarem ao pagamento de Classe 2 nas portagens, o que at√© acabar√° por ser, para a maoria, o seu principal handicap‚Ķ

Qual é a sua reação?
Excelente
100%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
N√£o gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Coment√°rios
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

15 + 7 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.