CompararComparando ...

Novo Mercedes-AMG GT Black Series: 730 cv e prestações de excepção

Artigo
Novo Mercedes-AMG GT Black Series: 730 cv e prestações de excepção

Acaba de ser revelado pela submarca desportiva da casa da estrela o novo Mercedes-AMG GT Black Series, que desde logo se destaca por montar o mais potente motor V8 alguma vez produzido em série pela AMG. Uma proposta que, também por isso, faz honra quer à longa tradição do fabricante germânico no desporto automóvel, herdando boa parte da sua inspiração do Mercedes-AMG GT3 de competição, quer à sigla que lhe dá nome, pela primeira vez utilizada em 2006, e desde então sinónimo de desportivos exclusivos e sem compromissos, com um estilo a condizer e dotados de diversas soluções directamente provenientes do mundo das corridas –- capazes de brilhar em pista, ainda que homologados para circular na via pública .

Primeira prova deste conceito, a sofisticada aerodinâmica do novo Mercedes-AMG GT Black Series, decisiva para a eficácia dinâmica do modelo quando utilizado em circuito. Similar à adoptada pelos Mercedes-AMG GT3 e Mercedes-AMG GT4, começa por destacar-se da que caracteriza os restantes modelos de produção em série da família pela entrada de ar do radiador de dimensões bem mais generosas, oriunda do Mercedes-AMG GT3, pelo revestimento do radiador com lamelas verticais em cromado escuro e pela supressão das duas entradas de ar adicionais no pára-choques dianteiro, dado que os intercoolers montados nas cavas das rodas são, agora, alimentados através dessa tomada de ar central.

Por seu turno, o splitter dianteiro em fibra de carbono oferece duas regulações manuais, Street e Race, esta última apenas para utilização em circuito, e na qual um difusor dianteiro em forma de perfil de asa invertida é criado na frente. Em função da velocidade, este elemento é ainda mais rebaixado pela crescente pressão negativa, acelerando significativamente o fluxo de ar na secção inferior da carroçaria, criando um efeito Venturi que também incrementa a downforce sobre o eixo dianteiro, o mesmo acontecendo no eixo posterior devido ao novo conceito de aerofólio.

Também proveniente da competição é o novo capot em fibra de carbono, com duas saídas de ar de generosas dimensões, revestidas a fibra de carbono preta, as quais não só direccionam o ar quente, como aumentam a downforce e reduzem a resistência ao escoamento do ar, para que o fluxo de ar para o arrefecimento do motor aumente. Na traseira, o destaque vai para o novo pára-choques com difusor de grandes dimensões, pelos duplos revestimentos redondos das ponteiras de escape, pela ventilação lateral das cavas das rodas e pela impressionante dupla asa posterior – os seus dois perfis são construídos em fibra de carbono, e podem ser mecanicamente regulados e adaptados às várias condições de pista.

Já para reduzir o peso, o tejadilho é em fibra de carbono com centro afundado, sendo este o material utilizado para construir, igualmente, a tampa da mala; o apoio da transmissão; os painéis adicionais na frente, na traseira, na secção inferior da carroçaria e sob o motor. Por seu turno, o óculo traseiro, tal como o pára-brisas, são em vidro laminado leve e fino, ao passo que o suporte do eixo dianteiro é exclusivo do Mercedes-AMG GT Black Series e construído em alumínio ligeiro. Passando aos travões, contam com discos compósitos cerâmicos de alta performance, actuados por pinças pretas com lettering branco; com as jantes forjadas a também darem o seu contributo para a redução do peso.

Passando ao cockpit, é marcado pelos revestimentos em preto numa pele exclusiva, combinada com microfibra, dotados de costuras contrastantes laranja (em opção, de cor cinzenta). A microfibra de cor preta também reveste o painel de instrumentos e os leves painéis das portas de novo desenho, com anéis em lugar dos convencionais puxadores, merecendo ainda referência as aplicações em fibra de carbono preto, o pacote interior Night e os bancos desportivo AMG em fibra de carbono.

Mas o “coração” do Mercedes-AMG GT Black Series é mesmo o seu motor 4.0-V8 biturbo, unidade já bem conhecida de diversos modelos da marca de Affalterbach, mas aqui sujeito a algumas alterações determinantes. Desde logo, a adopção de uma cambota “plana”, muito comum em motores destinados à competição, e não “cruzada”. Este é um dos recursos que permitiu criar o mais potente V8 produzido em série pela AMG, capaz de oferecer 730 cv e um impressionante binário máximo de 800 Nm, constante entre as 2000-6000 rpm. Também novos são as árvores de cames, os colectores de escape, os rotores de maiores dimensões dos dois turbocompressores e os permutadores de calor de maiores dimensões, entre outros elementos.

Quanto à transmissão, é assegurada pela caixa pilotada AMG SPEEDSHIFT DCT 7G de dupla embraiagem e sete velocidades, modificada para poder suportar o massivo binário do motor, e para oferecer tempos de resposta e de troca de mudança ainda mais rápidos. Com tudo isto, o Mercedes-AMG GT Black Series anuncia prestações verdadeiramente excepcionais: 3,2 segundos nos 0-100 km/h; menos de 9,0 segundos nos 0-200 km/h; e velocidade máxima de 325 km/h – montando pneus Michelin Pilot Sport Cup 2 R MO especialmente desenvolvidos para este modelo, de medida 285/35ZR19 na frente, e 335/30ZR0 atrás, e disponíveis com dois compostos, um deles mais vocacionado para utilização em circuito.

Menção, ainda, para o sistema AMG Traction Control, que oferece ao condutor nove configurações possíveis de escorregamento do eixo traseiro, para melhor lidar com o extraordinário rendimento do motor, actuando exclusivamente sobre o mesmo, ou seja, sem que tal implique qualquer intervenção sobre os travões, tal como acontece com o Mercedes-AMG GT3. Para tal, existe um comando separado na consola central, ou no tablier, com o sistema, em função da configuração escolhida, a permitir um maior ou menor escorregamento das rodas traseiras – o nível 1 foi definido para uma condução em piso molhado, o nível 9 permite o máximo escorregamento do eixo traseiro.

Por fim, para aproximar ainda mais o Mercedes-AMG GT Black Series dos seus homónimos de competição, está disponível como opção o pacote AMG Track. É constituído por cintos de segurança de quatro pontos, por um extintor de incêndio de 2 kg e por um sistema de protecção em caso de capotamento (a cargo uma de estrutura tubular em titânio composta por uma barra anti-capotamento principal, uma barra para a instalação dos cintos de segurança, duas barras traseiras e barras diagonais em “X” na traseira), que ainda oferece a vantagem de aumentar ainda mais a já rigidez estrutural do veículo.

Qual é a sua reação?
Excelente
0%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

1 × 3 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.