CompararComparando ...

Euro NCAP com nova ronda de testes. FCA desilude

Artigo
Euro NCAP com nova ronda de testes. FCA desilude

O consórcio europeu de segurança levou a cabo mais uma ronda de testes, que, desta feita, abrangeu nove modelos, e em que os resultados dificilmente poderiam ter sido mais dispares. De um lado, um lote de sete novos automóveis, em que todos obtiveram a classificação máxima de cinco estrelas; do outro, duas propostas, de outras tantas marcas, mas do mesmo construtor, a não irem além de zero estrelas e uma estrela.

Temos, assim, no grupo dos contemplados com cinco estrelas pelo Euro NCAP, os novos Audi Q3 (95% na proteção dos passageiros adultos; 86% na protecção das crianças; 76% na protecção dos utilizadores vulneráveis da via pública; 85% nos sistemas de assistência ao condutor); BMW X5 (89% na proteção dos passageiros adultos; 86% na protecção das crianças; 75% na protecção dos utilizadores vulneráveis da via pública; 75% nos sistemas de assistência ao condutor); Hyundai Santa Fe (94% na proteção dos passageiros adultos; 88% na protecção das crianças; 67% na protecção dos utilizadores vulneráveis da via pública; 76% nos sistemas de assistência ao condutor); Jaguar I-Pace (91% na proteção dos passageiros adultos; 81% na protecção das crianças; 73% na protecção dos utilizadores vulneráveis da via pública; 81% nos sistemas de assistência ao condutor); Peugeot 508 (96% na proteção dos passageiros adultos; 86% na protecção das crianças; 71% na protecção dos utilizadores vulneráveis da via pública; 86% nos sistemas de assistência ao condutor); e Volvo V60/S60 (96% na proteção dos passageiros adultos; 84% na protecção das crianças; 74% na protecção dos utilizadores vulneráveis da via pública; 76% nos sistemas de assistência ao condutor).

Mas não significa isto que, mesmo aqui, não tenham existido problemas. Por exemplo, nos testes realizados, o Hyundai Santa Fe registou uma anomalia nas unidades equipados com tecto panorâmico, revelando ser possível os airbags de cortina rasgarem durante a insuflação. Ainda assim, a marca coreana reagiu de imediato, alterou as fixações desses airbags nas unidades em produção, e garantiu ir proceder a um recall das unidades já entregues a clientes para corrigir a situação.

O BMW X5 sofreu, igualmente, de um problema com os airbags, neste caso o destinado aos joelhos do condutor, cuja insuflação não ocorre devidamente no embate frontal descentrado, acabando por proporcionar uma reduzida proteção adicional para as pernas do condutor. Algo que o Euro NCAP já havia detectado no Série 5 em 2017.

A este propósito, Michiel van Ratingen, Secretário-geral do Euro NCAP, referiu que, apesar do trabalho realizado pelos fabricantes no decurso do desenvolvimento dos seus veículos, o organismo que dirige ainda continua a identificar uma falta de robustez em algumas áreas básicas de segurança. Salientando que, nesta ronda de testes, para ser justo, há que reconhecer que Audi Q3, Jaguar I-Pace, Peugeot 508 e Volvo S60/V60 acabaram por definir o padrão à luz do qual os outros fabricantes foram avaliados, e que mais fabricantes fariam bem em seguir este exemplo – sublinhando, mesmo, que foi o SUV eléctrico britânico o que demonstrou que os automóveis do futuro podem ser bons para o ambiente e, ao mesmo tempo, proporcionar elevados níveis de segurança.

Mas a grande surpresa da sessão proveio mesmo do grupo FCA. Não tanto pelas zero estrelas atribuídas ao Fiat Panda, um citadino já com alguns anos no activo, que há muito perdeu a corrida pela segurança, oferecendo pouco mais do que o aviso de cinto de segurança não colocado no que aos sistema se assistência ao condutor diz respeito, igualando um resultado só obtido por outro membro da família FCA, o Punto, em 2017.

Mais inesperada será a classificação de somente uma estrela recebida pelo Jeep Wrangler, um modelo totalmente novo, mas que também se limita a oferecer o avisador de cinto não colocado e o limitador de velocidade, ficando, assim, bastante distante dos seus rivais directos nesta matéria. Como refere Michiel van Ratingen, “é verdadeiramente desapontante ver um modelo totalmente novo ser posto à venda em 2018 sem sistema de travagem autónoma e sem assistência à faixa de rodagem. Já é tempo de vermos um produto do grupo Fiat-Chrysler oferecer um nível de segurança capaz de rivalizar com os seus competidores”.

Qual é a sua reação?
Excelente
0%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
100%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

    Deixe uma resposta

    15 + 15 =

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.