CompararComparando ...

Hyundai Tucson HEV Vanguard

Artigo
Hyundai Tucson HEV Vanguard

Visão geral
Marca:

Hyundai

Modelo:

Tucson

Versão:

HEV Vanguard

Ano lançamento:

2021

Segmento:

SUV

Nº Portas:

5

Tracção:

Dianteira

Motor:

1.6 Híbrido

Pot. máx. (cv/rpm):

230/5500

Vel. máx. (km/h):

193

0-100 km/h (s):

8,0

Consumos (l/100 km):

5,7 (Combinado WLTP)

CO2 (g/km):

130 (Combinado WLTP)

PVP (€):

€42 850/€43 369 (unidade testada)

Gostámos

Qualidade geral, Desempenho dinâmico (compromisso eficácia/conforto), Mecânica possante e económica, Prestações, Consumos, Habitabilidade e mala, Equipamento muito completo

A rever

Ruídos aerodinãmicos, Estética original mas pouco consensual

Nosso Rating
Rating Leitor
Para avaliar, registe-se ou inicie sessão
Qualidade geral
8.0
Interior
8.0
Segurança
9.0
Motor e prestações
8.0
Desempenho dinâmico
8.0
Consumos e emissões
8.0
Conforto
8.0
Equipamento
8.0
Garantias
9.0
Preço
7.0
Se tem pressa...

Com a quarta geração do SUV mais vendido da Hyundai a nível mundial chega, também, o Tucson HEV Vanguard, a nova versão híbrida do modelo combinada com o nível de equipamento mais recheado. Um modelo dotado de um apreciável leque de trunfos, que se destaca, desde logo, por uma evoluída e competente motorização, em termos de prestações como de consumos, e pela forma como acolhe os seus ocupantes, seja pela elevada qualidade geral exibida, pela generosa habitabilidade ou por um extretamente completo equipamento de série. Uma proposta em que não é fácil identificar verdadeiros defeitos, antes alguns pecadilhos, e na qual a aparência exterior, original e assumidamente disruptiva, mas longe de ser do garado de todos, tenderá a ser o seu atributo mais discutível

8.1
Nosso Rating
Rating Leitor
You have rated this
Velocidade máxima anunciada (km/h) 193
Acelerações (s)
0-100 km/h 7,1
0-400 m 15,1
0-1000 m 27,6
Recuperações 60-100 km/h (s)
Em D 3,9
Recuperações 80-120 km/h (s)
Em D 4,7
Distância de travagem (m)
100-0 km/h 34,5
Consumos (l/100 km)
Estrada (80-100 km/h) 4,7
Auto-estrada (120-140 km/h) 7,4
Cidade 6,2
Média ponderada (*) 5,94
Autonomia média ponderada (km) 875
(60% cidade+20% estrada+20% AE)
Medidas interiores (mm)
Largura à frente 1495
Largura atrás 1440
Comprimento à frente 1130
Comprimento atrás 740
Altura à frente 1000
Altura atrás 970

 

O Tucson HEV Vanguard aqui em ensaio completo destaca-se na gama da quarta geração do SUV mais popular da Hyundai por ser a versão híbrida “convencional” da família (em breve estará disponível a opção híbrida plug-in), dotada do nível de equipamento mais recheado. Uma proposta que conjuga os atributos comuns a todos os novos Tucson com uma poderosa motorização, capaz de oferecer, ao mesmo tempo, um notável agrado de condução, performances de nível superior e consumos deveras contidos, sobretudo quando utilizada da forma para que foi concebida.

Só que, independentemente dos trunfos com que possa contar nas mais variadas áreas, e não são poucos, é incontornável começar por salientar que o novo Tucson se impõe, em primeiro lugar, pelo seu estilo pouco comum, e assumidamente irreverente, inspirado no do protótipo Vision T SUV, desvendado no Salão de Los Angeles de 2019. O novo conceito de design Sensuous Sportiness confere-lhe uma aparência exterior impositiva e marcante, mesmo que de todo consensual, acabando por ser o seu atributo mais paradoxal, sendo este um automóvel que nunca passa despercebido, e que acaba por ser mais apelativo e elegante ao vivo do que em fotografia.

A frente é, indubitavelmente, a secção mais marcante do novo Tucson, e aquela que será alvo de maiores discordâncias

A frente é, indubitavelmente, a secção mais marcante do novo Tucson, e aquela que será alvo de maiores discordâncias

A frente é a secção mais disruptiva, dominada pelas luzes diurnas integradas na grelha, solução de efeito muito original e capaz de garantir não só uma assinatura luminosa inconfundível, como uma presença única na estrada. Isto porque, quando as mesmas estão desligadas, não são visíveis, ao mesmo tempo parecendo fazer parte da própria grelha quando acesas. Outros factores a ter em conta, o porte imponente, com o Tucson a parecer bastante maior do que é na realidade, e as formas angulosas da carroçaria, que se traduzem num visual sofisticado e único, sublinhado pela dinâmica linha tejadilho e pelas atraentes jantes de 19”.

Assente na nova plataforma N3 do Grupo Hyundai, apta a servir modelos de tracção dianteira ou integral, com elevado grau de electrificação e digitalização, o novo Tucson mede 4500 mm de comprimento, 1865 mm de largura e 1650 mm de altura, para uma distância entre eixos de 2680 mm, ou seja: face ao seu antecessor, é maior 20 mm em comprimento, 15 mm em largura, 5 mm em altura e 10 mm entre eixos, além de contar com vias mais largas 11 mm na frente e 7 mm atrás. Este aumento generalizado das dimensões exteriores permitiu, como seria de esperar, que o modelo melhorasse numa área que era já um trunfo de peso no seu predecessor: a ampla habitabilidade oferecida aos seus ocupantes.

Sublinhe-se que, em termos de largura, a evolução registada no interior é significativamente maior do que o simples aumento da largura exterior, continuando a ser muito generoso o espaço disponibilizado para as pernas dos ocupantes do banco traseiro, que passam a beneficiar, ainda, da regulação em inclinação das respectivas costas, acabando todos os passageiros por dispor de uma apreciável liberdade de movimentos. Ao mesmo tempo, a capacidade da mala, uma das maiores da classe, aumentou 33 litros, passando a variar em 616-1795 litros, sendo o banco traseiro, agora, rebatível na proporção 40/20/40 – havendo aqui que contar, também, com o fácil acesso, garantido tanto por um plano de carga relativamente baixo, como pelo portão traseiro de operação eléctrica.

A generosa habitabilidade continua a ser um dos grandes trunfos do Tucson, que na sua mais recente geração regista uma apreciável evolução ao nível da qualidade dos materiais utilizados no interior

A generosa habitabilidade continua a ser um dos grandes trunfos do Tucson, que na sua mais recente geração regista uma apreciável evolução ao nível da qualidade dos materiais utilizados no interior

Nítido progresso registou, de igual, modo, a qualidade geral, em boa parte porque os materiais utilizados são, na sua maioria, esponjosos, macios e agradáveis ao toque. Para um refinado ambiente a bordo concorrem ainda, de modo decisivo, a decoração sóbria, mas elegante e sofisticada, e, nesta versão de topo, o revestimento em pele dos bancos e dos painéis interiores portas. A que se junta o óptimo posto de condução: dominante, mas sem ser exageradamente elevado, usufrui das várias e amplas regulações (eléctricas) oferecidas pelos bancos, já com um razoável apoio lateral, e pelo volante de novo desenho e aparência desportiva, com primorosas dimensões e pega

De somenos neste particular não é, de igual modo, a ergonomia em nítido progresso, nem o muito completo painel de instrumentos totalmente digital configurável, com três configurações distintas, dependentes do modo de condução seleccionado. Nota de destaque, ainda, para o novo sistema de infoentretenimento com ecrã de 10,25”, senhor de um grafismo sofisticado, elegante e evoluído, e também ele de muito fácil operação e interacção. Entre outros predicados, oferece ligações Apple CarPlay e Android Auto sem fios, e teclas de atalho e para comando do sistema de climatização sensíveis toque.

Posto de condução muito correcto, dominado pelos ecrãs de 10,25" do painel de instrumentos totalmente digital e do sistema de infoentretenimento

Posto de condução muito correcto, dominado pelos ecrãs de 10,25″ do painel de instrumentos totalmente digital e do sistema de infoentretenimento

A fazer a diferença no novo Tucson HEV está, é claro, o grupo motopropulsor, em que o quatro cilindros a gasolina turbocomprimido, com 1598 cc, 180 cv e 265 Nm, é coadjuvado por um motor eléctrico de 60 cv e 265 Nm integrado na caixa automática de seis velocidades (com comandos por botões na consola central, e patilhas no volante), e alimentado por uma bateria de iões de lítio com 1,49 kWh de capacidade – tudo resultando num rendimento combinado de 230 cv e 350 Nm. Com um funcionamento extremamente suave, e uma sonoridade, as mais das vezes, notavelmente discreta, ou mesmo imperceptível (referência para o excelente isolamento do compartimento do motor), até permite, com todos os cuidados, percorrer alguns quilómetros em modo exclusivamente eléctrico, se bem que esse não seja o principal objectivo desta unidade motriz.

Antes pauta-se por consumos por demais convincentes, demonstrando que a vertente híbrida funciona na perfeição, inúmeras vezes activando o modo totalmente eléctrico em condução em cidade e em circuito suburbano, e assim permitindo alcançar médias, nestas circunstâncias, pouco superiores a 6,0 l/100 km. Em estrada como em auto-estrada, a velocidades legais e estabilizadas, os registos são igualmente notáveis, e até a ritmos mais intensos os valores não superam por muito os 8,5 l/100 km.

Por outro lado, sempre que necessário, a mecânica responde com prontidão e vigor às solicitações acelerador, levando facilmente o Tucson HEV até perto dos 200 km/h velocímetro, não longe dos 193 km/h anunciados pela Hyundai como velocidade máxima electronicamente limitada para o modelo.  A resposta é ainda mais intensa no modo de condução Sport (também existe o modo Eco), tudo concorrendo para acelerações e reprises de muito bom nível, sendo somente de referir que os ruídos aerodinâmicos a velocidades mais elevados são um pouco superiores ao esperado.

Para o desempenho dinâmico também sobram elogios. Com evoluídas suspensões nas quatro rodas, do tipo MacPherson na frente, e multilink atrás, o conforto é sempre de nível superior, inclusive em piso degradado, ao passo que o comportamento prima por uma enorme estabilidade a alta velocidade, e por uma saudável atitude em curva, garantida por reacções honestas e previsíveis, que garantem uma condução segura, fácil e agradável. Na prática, o Tucson HEV executa, com brio, tudo o que pode ser exigido a um veículo com as suas características intrínsecas, até por contar com uma boa direcção, rápida e precisa q.b., e com um sistema de travagem potente e resistente à fadiga.

Consumos muito contidos, prestações de bom nível, conforto extremamente elevado em qualquer circunstância e comportamento equilibrado: a dinâmica é, sem dúvida, outro dos grandes trunfos do Tucson HEV Vanguard

Consumos muito contidos, prestações de bom nível, conforto extremamente elevado em qualquer circunstância e comportamento equilibrado: a dinâmica é, sem dúvida, outro dos grandes trunfos do Tucson HEV Vanguard

Significa isto que este é um automóvel com 4500 mm de comprimento, mais de tonelada e meia de peso e um centro de gravidade superior ao normal, e cujo châssis foi afinado para oferecer um eficiente compromisso entre eficácia e conforto, pelo que não se lhe deve exigir o impossível. Por isso, em solicitações mais intensas, como nas trocas de apoio mais exigentes, é notório algum adornar em curva, apesar de os movimentos da carroçaria serem sempre muito bem controlados, e que a electrónica controla com grande competência, e apreciável discrição, a maioria dos excessos que podem ser cometidos.

Contudo, como é possível inibir o funcionamento, tanto do controlo de tracção, como do próprio controlo de estabilidade, nestas circunstâncias, importa gerir judiciosamente o acelerador à saída das curvas, já que o eixo dianteiro pode denotar alguma dificuldade em lidar com descargas de binário mais massivas, tanto mais que os pneus Michelin Primacy estão mais vocacionados para a vertente ecológica, daqui podendo resultar uma indesejada tendência para subviragem. Nada de extraordinário, ainda assim, até porque uma condução deste género não é, de todo, a vocação do Tucson HEV. Já no fora de estrada, a evolução é a esperada de um SUV com tracção apenas dianteira, 170 mm de altura ao solo e equipado pneus de asfalto: são possíveis algumas incursões, mas sem exageros.

Concluindo, ao contar com um impressionante leque de trunfos, o novo Tucson HEV Vanguard é uma das variantes mais interessantes da nova geração do SUV mais popular da Hyundai, que deixa claro que não faltam ao modelo atributos que lhe permitam continuar a usufruir de uma invejável aceitação. Melhorando face ao seu antecessor em praticamente todas as áreas, não há nada que lhe possa ser especialmente criticado, acabando por ser a estética a sua característica mais discutível. Pelo contrário, o posicionamento comercial só reforçará a sua capacidade para granjear adeptos: com um preço de venda de €42 850, possível de baixar até aos €39 850 através da campanha de lançamento em vigor, conta, ao mesmo tempo, com um equipamento de série extremamente completo, sendo a única opção a pintura metalizada.

 

Motor
Tipo 4 cil. linha, transv., diant.
Cilindrada (cc) 1598
Diâmetro x curso (mm) 75,6x89,0
Taxa de compressão 10,5:1
Distribuição 2 v.e.c./16 válvulas
Potência máxima (cv/rpm) 180/5500
Binário máximo (Nm/rpm) 265/1500-4500
Alimentação injecção directa
Sobrealimentação turbocompressor+intercooler
Motor eléctrico
Motor eléctrico
Potência máxima (cv/rpm) 60/n.d.
Binário máximo (Nm/rpm) 265/n.d.
Bateria Polímeros de iões de Lítio
Rendimento combinado
Potência máxima combinada (cv/rpm) 230/5500
Binário máximo combinado (cv/rpm) 350/n.d.
Dimensões exteriores
Comprimento/largura/altura (mm) 4500/1865/1650
Distância entre eixos (mm) 2680
Largura de vias fte/trás (mm) 1615/1622
Jantes – pneus 8JX19″ – 235/50 (Michelin Primacy)
Pesos e capacidades
Peso (kg) 1564
Relação peso/potência (kg/cv) 6,8
Capacidade da mala/depósito (l) 616-1795/52
Transmissão
Tracção dianteira
Caixa de velocidades automática de 6+m.a.
Direcção
Tipo cremalheira com assistência eléctrica variável
Diâmetro de viragem (m) 10,92
Travões
Dianteiros (ø mm) Discos ventilados (305)
Traseiros (ø mm) Discos maciços (302)
Suspensões
Dianteira McPherson
Traseira Multibraços
Barra estabilizadora frente/trás sim/sim
Garantias
Garantia geral 7 anos ou 150 000 km
Garantia de pintura 5 anos
Garantia anti-corrosão 12 anos
Intervalos entre manutenções 30 000 km ou 24 meses

Airbag para condutor e passageiro (desligável)
Airbags laterais dianteiros
Airbag central dianteiro
Airbags de cortina
Controlo electrónico de estabilidade
Controlo electrónico de descidas (HDC)
Assistente aos arranques em subida
Sistema de leitura de sinais de trânsito
Sistema de travagem autónoma de emergência com alerta de colisão frontal
Sistema de assistência à manutenção na faixa de rodagem
Sistema de alerta de fadiga do condutor
Cintos dianteiros com pré-tensores+limitadores de esforço
Fixações Isofix
Alarme
Ar condicionado automático bizona
Computador de bordo
Cruise control+limitador de velocidade
Travão de estacionamento eléctrico
Bancos em pele
Banco dianteiros com regulações eléctricas+aquecidos
Banco traseiro rebatível 40/20/40
Volante em pele regulável em altura+profundidade
Volante multifunções
Painel de instrumentos digital de 10,25"
Sistema de infoentretenimento com ecrã táctil de 10,25″+leitor de mp3+sistema de som Krell 8 altifalantes+entradas USB/Aux
Mãos-livres Bluetooth
Sistema de navegação
Carregamento por indução para smartphones
Sensores de estacionamento FR/TR+câmara de estacionamento traseira
Vidros eléctricos FR/TR
Vidros traseiros escurecidos
Retrovisores exteriores eléctricos+aquecidos+rebatíveis electricamente
Retrovisor interior electrocromático
Acesso+arranque sem chave
Iluminação exterior integralmente por LED
Iluminação ambiente por LED configurável
Sensor de luz+chuva
Portão traseiro de operação eléctrica
Jantes em liga leve de 19"
Sistema de monitorização da pressão dos pneus
Barras de tejadilho

Pintura metalizada (€519)

Qual é a sua reação?
Excelente
0%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.