CompararComparando ...

Kia Proceed Shooting Brake 1.6 T-GDi 7DCT GT

Artigo
Kia Proceed Shooting Brake 1.6 T-GDi 7DCT GT

Visão geral
Marca:

Kia

Modelo:

Proceed Shooting Brake

Versão:

1.6 T-GDi 7DCT GT

Ano lançamento:

2019

Segmento:

Familiares compactos

Nº Portas:

5

Tracção:

Dianteira

Motor:

1.6 Turbo

Pot. máx. (cv/rpm):

204/5500

Vel. máx. (km/h):

225

0-100 km/h (s):

7,5

Consumos (l/100 km):

5,7/,2/7,1

CO2 (g/km):

142

PVP (€):

€40 591/€41 541 (Unidade testada)

Gostámos

Motor e prestações, Comportamento eficaz, Estética, Habitabilidade e mala, Garantia

A rever

Acesso aos lugares traseiros

Nosso Rating
Rating Leitor
Para avaliar, registe-se ou inicie sessão
Qualidade geral
8.0
Interior
7.0
Segurança
9.0
Motor e prestações
8.0
Desempenho dinâmico
8.0
Conforto
8.0
Equipamento
9.0
Garantias
9.0
Preço
7.0
Se tem pressa...

Não faltam argumentos à Kia Proceed Shooting Brake 1.6 T-GDi 7DCT GT: um motor poderoso e versátil, um comportamento de eleição e (quase) toda a versatilidade de uma carrinha familiar num automóvel de temperamento desportivo. Vale bem a pena conhecer melhor a mais dotada variante da arrojada Shooting Brake coreana!

8.1
Nosso Rating
Rating Leitor
You have rated this
Velocidade máxima anunciada (km/h) 225
Acelerações (s)
0-100 km/h 6,9
0-400 m 15,1
0-1000 m 27,5
Recuperações 60-100 km/h (s)
Em D 4,0
Recuperações 80-120 km/h (s)
Em D 4,4
Distância de travagem (m)
100-0 km/h 34,9
Consumos (l/100 km)
Estrada (80-100 km/h) 5,2
Auto-estrada (120-140 km/h) 7,8
Cidade 9,1
Média ponderada (*) 8,06
Autonomia média ponderada (km) 620
(60% cidade+20% estrada+20% AE)
Medidas interiores (mm)
Largura à frente 1430
Largura atrás 1410
Comprimento à frente 1160
Comprimento atrás 760
Altura à frente 940
Altura atrás 910

Depois do teste da versão de acesso à gama (saiba tudo aqui), é tempo de avaliar a Proceed Shooting Brake 1.6 T-GDi 7DCT GT, versão de topo, e de pendor mais desportivo, da nova carrinha da Kia. Visualmente, o modelo conta, no essencial, com os mesmos argumentos das restantes variantes da gama, nomeadamente uma aparência exterior extretamente sedutora, e a que ninguém deixa indiferente, aqui reforçada por alguns elementos específicos do nível de equipamento GT (exclusivo desta versão, e o único disponível com este motor), caso das jantes de 18” e dos pormenores a vermelho nos cubos das rodas, no lábio do spoiler dianteiro e nas saias laterais.

O visual deveras dinâmico, a fazer jus à designação Shooting Brake, acaba por não comprometer a versatilidade. Embora o acesso aos lugares traseiros e a visibilidade para trás não sejam tão bons quanto na convencional carrinha Ced SW, a mala é das mais generosas da classe, e oferece um fácil acesso

O visual deveras dinâmico, a fazer jus à designação Shooting Brake, acaba por não comprometer a versatilidade. Embora o acesso aos lugares traseiros e a visibilidade para trás não sejam tão bons quanto na convencional carrinha Ced SW, a mala é das mais generosas da classe, e oferece um fácil acesso

O ambiente interior também pouco difere do já conhecido, embora não deixe de incluir alguns elementos, também eles, específicos, como sejam o volante em pele e logótipo GT, ou os bancos em pele e Alcantara ainda mais desportivos, ambos dotados de costuras vermelhas, tal como os painéis interiores das portas e o fole da alavanca de comando da caixa de velocidades. De sublinhar, também, um equipamento de série extremamente completo, em que os únicos opcionais disponíveis são a pintura metalizada e o tecto de abrir panorâmico (ambos presentes na unidade ensaiada), o que significa que inclui já os bancos dianteiros com regulações eléctricas e memória e o Pack ADAS Plus, proposto como opção nas restantes variantes, e composto pela travagem autónoma de emergência com alerta de colisão e detecção de peões; pelo sistema de monitorização do ângulo morto; pelo assistente de fila de trânsito; pelo sistema de estacionamento automático; pelo alerta de tráfego pela rectaguarda; e pelo cruise control adaptativo.

Apesar da proximidade da Proceed Shooting Brake 1.6 T-GDi 7DCT GT face às suas congéneres com motor 1.0 a gasolina e 1.6 a gasóleo, vale a pena voltar a destacar que as concessões feitas ao design não comprometem a funcionalidade do modelo, como bem o prova a generosa capacidade da mala (que varia entre 594-1545 litros) e o seu bom acesso, o mesmo acontecendo com a ampla habitabilidade. Mais criticáveis, o acesso perfectível aos lugares posteriores, a reduzida visibilidade traseira e uma posição de condução correcta e envolvente, mas que podia (e devia…) ser mais baixa.

Os bancos dianteiros desportivos em pele e Alcantara, com regulações eléctricas e memória, são um dos factores distintivos da Proceed Shooting Brake 1.6 T-GDi 7DCT GT, a versão mais dotada da atraente carrinha sul-coreana

Os bancos dianteiros desportivos em pele e Alcantara, com regulações eléctricas e memória, são um dos factores distintivos da Proceed Shooting Brake 1.6 T-GDi 7DCT GT, a versão mais dotada da atraente carrinha sul-coreana

Como seria de esperar, o que realmente marca a diferença na Proceed Shooting Brake 1.6 T-GDi 7DCT GT é a sua mecânica, e aquilo que com a mesma mais directamente se relaciona. Uma vez sentado no lugar mais apetecível a bordo, o condutor deparar-se-á com o selector de modos de condução Normal e Sport – e, quando o último é seleccionado, é possível visualizar no painel de instrumentos o respectivo lettering a vermelho, assim como um indicador de pressão do turbo.

Accionada a ignição, o motor 1.6 Turbo de injecção directa, com 204 cv e 265 Nm, acorda com um roncar muito apelativo, que vai aumentado de intensidade em função do regime de funcionamento. Esta é uma unidade motriz que, sem ser por demais explosiva, ou sequer extraordinariamente potente, prima por um desempenho muito interessante, por via da sua óptima resposta em quase todos os regimes (logo a partir das 1500 rpm) e de uma evidente linearidade, que torna muito interessante a respectiva utilização numa utilização convencional, e estimulante q.b. numa toada mais desportiva. Neste último caso, é imperioso selecionar o já referido modo Sport, que não só torna mais rápida a resposta ao acelerador e da caixa automática (quando instalada, como na unidade testada), como torna mais audível e encorpada a sonoridade do escape, mas sem que esta se torne excessivamente intrusiva e incómoda para os ocupantes.

Mais progressivo do que explosivo, o motor 1.6 Turbo de 204 cv ajusta-se com competência a uma toada mais intensa, e é extremamente agradável de utilizar, e, até, económico, numa utilização mais pacata e familiar

Mais progressivo do que explosivo, o motor 1.6 Turbo de 204 cv ajusta-se com competência a uma toada mais intensa, e é extremamente agradável de utilizar, e, até, económico, numa utilização mais pacata e familiar

Relativamente à transmissão, a opcional caixa pilotada 7DCT de dupla embraiagem e sete relações pode não ser a mais rápida do género, mas é-o o suficiente para não comprometer quando se imprimem ritmos mais intensos e exigentes (especialmente se utilizadas a patilhas no volante, para comando manual em sequência), ao que se junta uma elevada suavidade de funcionamento. A alternativa é a caixa manual de seis velocidades, que permite poupar €2500, mas também torna esta carrinha ligeiramente mais gastadora e um pouco mais lenta nos 0-100 km/h.

Não sendo de tirar a respiração, as prestações são suficientemente apelativas para incentivar a adopção de uma toda mais desportiva, sendo disso prova os 0-100 km/h cumpridos em menos de sete segundos, a velocidade máxima de 225 km/h e recuperações igualmente de bom nível. Já os consumos conseguem ser excelentes em estrada e auto-estrada, a velocidades estabilizadas e moderadas, nem sequer diferindo muito dos alcançados pela versão 1.0 de 120 cv, mas não são mais do que aceitáveis em cidade – ao passo que uma condução mais dinâmica facilmente eleva as médias para a casa dos 11,0 l/100 km, uma utilização mais intensa implicará médias da ordem dos 13,0 l/100 km, e o andar nos limites facilmente se traduzirá em valores superiores a 15,0 l/100 km. Ainda assim, nada que surpreenda num automóvel com motor a gasolina com mais de 200 cv, e um peso próximo dos 1400 kg.

A versão mais poderosa da Proceed Shooting Brake é, também, a mais emocionante, por ser a que melhor lhe permite das mostras da excelência do seu comportamento, apurado através da introdução de molas mais firmes e de uma barra estabilizadora traseira de maior diâmetro. A par de uma direcção muito convincente e comunicativa, com o “peso” certo e suficientemente rápida, são dignos de encómios o eixo dianteiro deveras rápido e preciso, e uma traseira ágil, que acabam por torna o comportamento tão eficaz quanto honesto e previsível. E como é possível desligar o ESP em duas fases, quando o respectivo funcionamento está totalmente desactivado, acaba por ser deliciosa a forma como se sente a traseira a rodar de forma natural quando se alivia o acelerador em apoio, por forma a ajudar na descrição da curva e a incrementar agilidade, algo que depois se controla com enorme facilidade mediante o devido doseamento de acelerador e volante.

Suficientemente veloz, e muito eficaz, a Proceed Shooting Brake 1.6 T-GDi 7DCT GT oferece ainda a possibilidade de desligar o controlo de estabilidade, proporcionando aos mais afoitos e experimentados um acréscimo de agilidade e uma outra emoção ao volante

Suficientemente veloz, e muito eficaz, a Proceed Shooting Brake 1.6 T-GDi 7DCT GT oferece ainda a possibilidade de desligar o controlo de estabilidade, proporcionando aos mais afoitos e experimentados um acréscimo de agilidade e uma outra emoção ao volante

Este é, sem dúvida, um automóvel muito eficiente, que prova que as criações da Kia estão cada vez mais ao gosto dos padrões europeus, percebendo-se cada vez melhor que no respectivo desenvolvimento está a “mão” de quem andou muito tempo pela BMW M, a emblemática divisão desportiva do construtor bávaro. Não menos importante, apesar de toda a eficácia, o conforto é sempre elevado, apenas se ressentindo nas irregularidades mais acentuadas, ou quando é forço enfrentar pisos realmente degradados.

Capaz de convencer os pais de família mais apressados, especialmente os mais sensíveis ao argumento de usufruir de uma carrinha com uma imagem vincadamente desportiva, a nova Proceed Shooting Brake 1.6 T-GDi 7DCT GT tem no preço outro dos seus principais trunfos – não por ser acessível a qualquer bolsa, naturalmente, mas porque está perfeitamente ajustado às valências do modelo, e ainda inclui um equipamento de série invulgarmente vasto. Contas feitas, ao preço “oficial” de €40 591 há a deduzir os €3400 de desconto directo atribuído pela Kia nesta fase de lançamento da Proceed Shooting Brake, e mais €1250 a quem optar pelo financiamento da marca, a cargo do Santander – o que significa adquirir uma Proceed Shooting Brake 1.6 T-GDi 7DCT GT por €35 941.

Motor
Tipo 4 cil. em linha, transv., diant.
Cilindrada (cc) 1591
Diâmetroxcurso (mm) 77,0x85,44
Taxa de compressão 10,0:1
Distribuição 2 v.e.c./16 válvulas
Potência máxima (cv/rpm) 204/6000
Binário máximo (Nm/rpm) 265/1500-4500
Alimentação injecção directa
Sobrealimentação turbocompressor VGT+intercooler
Dimensões exteriores
Comprimento/largura/altura (mm) 4605/1800/1425
Distância entre eixos (mm) 2650
Largura de vias fte/trás (mm) 1555/1563
Jantes – pneus 8Jx17″ – 225/45 (Michelin Pilot Sport 4)
Pesos e capacidades
Peso (kg) 1363
Relação peso/potência (kg/cv) 6,68
Capacidade da mala/depósito (l) 594-1545/50
Transmissão
Tracção dianteira
Caixa de velocidades pilotada de dupla embraiagem de 7+m.a.
Direcção
Tipo cremalheira com assistência eléctrica
Diâmetro de viragem (m) 10,6
Travões
Dianteiros (ø mm) Discos ventilados (320)
Traseiros (ø mm) Discos maciços (284)
Suspensões
Dianteira Independente, tipo MacPherson
Traseira Multi-link
Barra estabilizadora frente/trás sim/sim
Garantias
Garantia geral 7 anos ou 150 000 km
Garantia de pintura 5 anos
Garantia anti-corrosão 12 anos
Intervalos entre manutenções 30 000 km ou 24 meses

Airbag para condutor e passageiro (desligável)
Airbags laterais dianteiros
Airbags de cortina
Controlo electrónico de estabilidade
Assistente aos arranques em subida
Sistema de travagem autónoma de emergência com alerta de colisão frontal e detecção de peões
Sistema de assistência à manutenção na faixa de rodagem
Sistema de monitorização do ângulo morto
Alerta de tráfego pela rectaguarda
Assistente de fila de trânsito
Cintos dianteiros com pré-tensores+limitadores de esforço
Fixações Isofix
Alarme
Ar condicionado automático
Computador de bordo
Cruise control adaptativo+limitador de velocidade
Travão de estacionamento eléctrico
Bancos em pele+Alcantara
Bancos dianteiros desportivos com regulações eléctricas+memórias
Banco traseiro rebatível 60/40
Volante em pele regulável em altura+profundidade
Volante multifunções
Pedaleira em aumínio
Sistema de infoentretenimento com ecrã táctil de 8″+leitor de mp3+entradas USB/Aux+6 altifalantes
Mãos-livres Bluetooth
Sistema de navegação
Sensores de estacionamento traseiros+câmara de estacionamento traseira
Sistema de estacionamento automático
Vidros eléctricos FR/TR
Vidros traseiros escurecidos
Retrovisores exteriores eléctricos+aquecidos+rebatíveis electricamente
Retrovisor interior electrocromático
Acesso+arranque sem chave
Carregamento por indução para smartphones
Ópticas dianteiras integralmente por LED
Faróis de nevoeiro
Assistente de máximos
Sensor de luz+chuva
Jantes de liga leve de 18"
Sistema de monitorização da pressão dos pneus
Kit de reparação de furos

Pintura Metalizada  (€430)
Tecto panorâmico (€968)

Qual é a sua reação?
Excelente
100%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

    Deixe uma resposta

    7 + 19 =

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.