CompararComparando ...

Novo Hyundai i20 já é oficial. E com tecnologia mild hybrid

Artigo
Novo Hyundai i20 já é oficial. E com tecnologia mild hybrid

A Hyundai acaba de anunciar que o i20 da nova geração, a terceira do seu historial, fará mesmo a sua estreia oficial no Salão de Genebra, ao mesmo tempo que releva o primeiro lote de fotografias do modelo, em que é possível observá-lo em toda a sua plenitude, assim como as suas principais características.

Primeiras palavras para o estilo exterior, inspirado na mais recente linguagem de design da marca sul-coerana, denominada “Sensuous Sportiness”, em que se visa combinar, de forma harmoniosa, proporções, arquitectura, estilo e tecnologia. Na prática, e no caso em concreto, tal traduzir-se-á num i20 com uma aparência mais dinâmica, em boa parte graças à redução da altura em 24 mm, e ao aumento em 5 mm do comprimento, em 30 mm da largura e em 10 mm da distância entre eixos.

Ainda neste capítulo, referência para as novas jantes em liga de 17”, para os pára-choques dianteiro e traseiro de novo desenho e para o novo design da grelha frontal. Assim como para a nova iluminação lateral, e para a possibilidade de o tejadilho ser de cor diferente da da carroçaria, o que aumenta as possibilidades de personalização.

No interior, um dos pontos a reter será a habitabilidade mais generosa, em boa parte fruto do aumento das dimensões exteriores, que também trouxe benefícios para a capacidade da mala, com 351 litros com os cinco lugares montados, ou seja, mais 25 litros do que no anterior modelo. A Hyundai garante, ainda, que o novo i20 recorre a materiais de superior qualidade, além de contar com iluminação ambiente por LED, e com um volante multifunções com novos botões, estando os acabamentos interiores disponíveis em três combinações cromáticas: preto, preto e cinzento, e preto e amarelo.

Outra das grandes apostas do fabricante coreano para o novo i20 é a conectividade. A comprová-lo estão o painel de instrumentos totalmente digital de 10,25”, combinado com o ecrã táctil do sistema de infoentretenimento, também de 10,25”. Do lote de trunfos do modelo neste particular fazem ainda parte as ligações Apple CarPlay e Android Auto; o sistema de carregamento por indução para smartphones; o sistema de som Bose com oito altifalantes e subwoofer (sendo este o primeiro Hyundai à venda na Europa a propor tal opção); ou a tecnologia Bluelink, que permite aceder a várias aplicações e serviços online, oferecidos gratuitamente durante os primeiros cinco anos.

Em termos de sistemas avançados de assistência ao condutor, o i20 promete ser, igualmente, uma referência na sua classe, contando, por exemplo, com um cruise control inteligente com base na navegação. Ou seja, fazendo uso dos dados fornecidos pelo sistema de navegação, nomeadamente os relativos a curvas que se aproximem ao longo do trajecto definido, o sistema tem a capacidade de adaptar automaticamente às mesmas a velocidade do veículo.

Já o limitador de velocidade, quando activado, não só pode ajusta automaticamente a velocidade de circulação aquela que é permitida, a cada momento, no local por onde o veículo circula, como alerta o condutor, através de avisos e acústicos, sempre que a mesma é superada por iniciativa do próprio. Ainda neste domínio, referência para o assistente à manutenção na faixa de rodagem; para a monitorização do ângulo morto; para a travagem autónoma de emergência, agora com detecção de peões e ciclistas; para o alerta de arranque do veículo dianteira; para o alerta de tráfego pela traseira com assistência anti-colisão; para o sistema semi-automático de estacionamento; para o assistente de máximos; e para o alerta de fadiga do condutor.

Quanto a motores, o novo i20 terá na base da sua oferta o motor a gasolina 1.0 MPi de quatro cilindros e 84 cv, combinado com uma caixa manual de cinco velocidades. A gama completa-se com o não menos conhecido 1.0 T-GDi, um três cilindros a gasolina turbocomprimido, proposto nas versões de 100 cv e 120 cv.

A primeira pode contar, em opção, com tecnologia mild hybrid, a cargo de um sistema eléctrico de 48 Volt, o qual está sempre presente na sua derivação mais potente. Nas versões mild hybrid desta unidade motriz, estão disponíveis as caixas de velocidades 7DCT (pilotada de dupla embraiagem e sete velocidades) ou iMT (manual de seis velocidades “inteligente”, por desacoplar o motor da transmissão sempre que o pedal de acelerador é libertado, para poupar combustível). Na sua versão “convencional”, o motor 1.0-TGDi pode ser combinado com a caixa 7DCT, ou com uma caixa manual de seis relações tradicional.

Qual é a sua reação?
Excelente
100%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

4 × 2 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.