CompararComparando ...

Novo Kia Sorento chega no Outono. E com duas versões híbridas

Artigo
Novo Kia Sorento chega no Outono. E com duas versões híbridas

Gorada que foi a possibilidade de o estrear, como previsto, no Salão de Genebra, que acabou por se não realizar por óbvios moticos, a Kia acaba o novo Sorento de forma virtual. Esperada no mercado no próximo Outono, esta quarta geração do SUV de médio porte da marca sul-coreana é anunciada como determinante para a sua estratégia a nível global, e como representando uma extraordinária eolução face à sua antecessora.

Visualmente, a aposta da marca foi no sentido de dotar o modelo de linhas que, de imediato, o identificassem como um Sorento, e que, ao mesmo tempo, lhe garantissem uma aparência marcada pela robustez de sempre, mas com um maior grau de requinte, elegância e dinamismo. Para tal concorrem elementos como as formas mais angulosas; a grelha frontal do tipo “tiger nose”, a envolver as novas ópticas com luzes diurnas com uma assinatura visual denominada “olho de tigre”; os pilares traseiros de generosas dimensões; os farolins traseiros verticais, inspirados nos do Telluride (modelo não comercializado na Europa); o deflector integrado no topo do portão traseiro; os revestimentos em plástico dos guarda-lamas; e as protecções inferiores do châssis dianteira e traseira. As jantes podem ser de 17”, 18”, 19” e, pela primeira vez, de 20”.

Com 4810 mm de comprimento, 1900 mm de largura, 1695 mm de altura e 2815 mm de distância entre eixos, o novo Sorento cresceu, face ao seu antecessor, 10 mm em comprimento, 10 mm em largura, 10 mm em altura e 35 mm entre eixos. Na sua génese está a nova plataforma N3, destinada aos SUV de médio porte da Kia, com suspensões independentes às quatro rodas e já capaz de albergar motoriações híbridas, solução que o novo Sorento, obviamente, não dispensa, e em que a bateria está montada debaixo do piso, sob o banco do passageiro da frente, e não na zona da mala, como habitualmente.

Este aumento das dimensões exteriores permite, desde logo, oferecer maior liberdade de movimento a todos os passageiros, com o Sorento a voltar a ser proposto em versões de cinco e de sete lugares, como é da tradição, e anunciando um maior desafogo em termos, sobretudo, do espaço disponível para pernas e em altura nas segunda e terceira filas de bancos (o banco da segunda fila conta, por seu turno, com regulação longitudinal do assento numa amplitude de 45 mm). Já a capacidade da bagageira varia entre 910-2100 litros na versão de sete lugares (902-2085 litros com motorização híbrida), e entre 187-821-2011 litros na versão de sete lugares (179-813-1996 litros litros com motorização híbrida). No painel lateral da bagageira passam a estar colocados comandos que permitem rebater remotamente os bancos traseiros.

A par de um aumento da qualidade dos materiais utilizados, e de uma decoração consonante com o novo design exterior, o habitáculo fica marcado, igualmente, pelos dois ecrãs que dominam a secção frontal: um, com 12,3”, destinado a servir o painel de instrumentos totalmente digital; o outro, táctil e com 10,25”, destinado ao sistema de infoentretenimento. – sendo que os botões físicos para comando do sistema de infoentretenimento, colocados de ambos os lados do respectivo ecrã, assim como os da climatização, também são tácteis. Dignos de menção são, ainda, o carregamento por indução para smartphones, a iluminação ambiente configurável, o sistema de som Bose com doze alftifalantes e o head up display.

No capítulo das motorizações, é proposto o motor 2.2 turbodiesel com 220 cv e 440 Nm, combinado com uma caixa automática de oito velocidades, mas a grande novidade é a opção híbrida, a que se juntará, numa fase posterior de comercialização, mas ainda em 2020, a variante híbrida plug-in. No caso do Sorento Hybrid, o grupo motopropulsor conjuga o motor 1.6 T-GDi (com injecção directa de gasolina, turbocompressor, distribuição variável, 180 cv e 265 Nm) com uma caixa automática de seis velocidades, um motor eléctrico (com 60 cv e 264 Nm) e uma bateria de polímeros de iões de lítio (cm 1,49 kWh de capacidade ) – para um rendimento combinado de 230 cv e 350 Nm. Dados relativos a prestações e consumos não foram, ainda, desvendados.

Com 176 mm de altura ao solo (174 mm no caso da versão híbrida), o novo Sorento será proposto em versões de tracção dianteira ou integral, esta última dotada de um modo de condução específico. Denominado Terrain Modo, destina-se a incrementar a capacidade do veículo para lidar com outros terrenos que não o asfalto, como sejam pisos de lama, neve ou areia, actuando quer sobre o controlo electrónico de estabilidade, para garantir a distribuição ideal do binário pelas quatro rodas, quer sobre a caixa de velocidades.

O novo Sorento também beneficia de uma estrutura essencialmente construída em aço e alumínio, com parte significativa dos seus componentes a serem concebidos em aço de alta resistência ou em aço estampado a quente. Atributo que permitiu incrementar a rigidez torsional em 12,5% face à referência da classe neste particular e, simultaneamente, reduzir o peso em 54 kg, ou 5,6%: 1715 kg para a versão Diesel de cinco lugares (1777 kg com tracção integral); 1757 kg para a versão Diesel de sete lugares (1819 kg com tracção integral); 1741 kg para a versão híbrida de cinco lugares (1806 kg com tracção integral); e 1783 kg para a versão híbrida de sete lugares (1847 kg com tracção integral).

Referência final para a segurança. No que aos sistemas avançados de assistência à condução diz respeito, o novo Sorento pode contar com um amplo leque de dispositivos, como sejam a travagem autónoma de emergência com alerta de colisão frontal e detecção de peões e ciclistas; monitorização do ângulo morto com prevenção de colisões; monitorização no espaço circundante; sistema de leitura de sinais de trânsito com assistente dos limites de velocidade; cruise control adaptativo com função stop&go e actuação preditiva em função dos dados de navegação; assistente activo à manutenção na faixa de rodagem (activo até aos 180 km/h); alerta de atenção do condutor; assistente à circulação em auto-estrada; monitorização do tráfego pela traseira; e sistema remoto de estacionamento (permite mover o veículo de ou para um lugar de estacionamento perpendicular através do controlo remoto instalado na chave).

O novo Sorento pode, também, dispor de até sete airbags: frontais para condutor e passageiro, laterais dianteiros, de cortina e cenral dianteiro – este último com o objectivo de fornecer protecção adicional para as cabeças dos ocupantes dos bancos dianteiros, evitando que estas colidam entre si em caso de acidente. Bem como do primeiro sistema de travagem multicolisão da Kia, que acciona automaticamente os travões quando os airbags disparam na sequência de um primeira embate, para evitar potenciais impactos frontais ou laterais subsequentes.

Qual é a sua reação?
Excelente
0%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

14 − 5 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.