CompararComparando ...

Renault Mégane TCe 160 Bose Edition

Artigo
Renault Mégane TCe 160 Bose Edition

Visão geral
Marca:

Renault

Modelo:

Mégane

Versão:

TCe 160 Bose Edition

Ano lançamento:

2019

Segmento:

Familiares compactos

Nº Portas:

5

Tracção:

Dianteira

Motor:

1.3

Pot. máx. (cv/rpm):

160/5500

Vel. máx. (km/h):

212

0-100 km/h (s):

9,0

Consumos (l/100 km):

6,2 (Combinado WLTP)

CO2 (g/km):

139 (Combinado WLTP)

PVP (€):

29 020/32 134 (Unidade testada)

Gostámos

Motor linear e disponível, Prestações, Consumos, Comportamento eficaz, Conforto de marcha, Agrado de utilização, Equipamento

A rever

Não disponível com nível de acabamentos GT-Line, ESP não desligável, Pormenores interiores

Nosso Rating
Rating Leitor
Para avaliar, registe-se ou inicie sessão
Qualidade geral
8.0
Interior
8.0
Segurança
8.0
Motor e prestações
9.0
Desempenho dinâmico
9.0
Consumos e emissões
8.0
Conforto
8.0
Equipamento
8.0
Garantias
7.0
Preço
7.0
Se tem pressa...

O novo motor 1.3 de 160 cv é o principal elemento distintivo do Renault Mégane TCe 160 Bose Edition, versão de topo da gama do compacto francês, entre as que não ostentam a sigla R.S. Condução fácil e muito agradável, a espaços até com alguma emoção ao volante

8.0
Nosso Rating
Rating Leitor
You have rated this
Velocidade máxima anunciada (km/h) 212
Acelerações (s)
0-100 km/h 9,5
0-400 m 16,1
0-1000 m 29,4
Recuperações 60-100 km/h (s)
Em 4ª 5,6
Em 5ª 8,0
Recuperações 80-120 km/h (s)
Em 5ª 8,6
Em 6ª 11,2
Distância de travagem (m)
100-0 km/h 35,8
Consumos (l/100 km)
Estrada (80-100 km/h) 4,4
Auto-estrada (120-140 km/h) 5,7
Cidade 7,4
Média ponderada (*) 6,46
Autonomia média ponderada (km) 774
(60% cidade+20% estrada+20% AE)
Medidas interiores (mm)
Largura à frente 1445
Largura atrás 1400
Comprimento à frente 1130
Comprimento atrás 720
Altura à frente 960
Altura atrás 930

O Renault Mégane TCe 160 Bose Edition que protagoniza este ensaio é uma das mais recentes adições à gama de um modelo por demais conhecido de todos. Aqui, a grande novidade é mesmo o motor que o anima, o mais potente da oferta a gasolina “convencional” (ou seja, exceptuando os desportivos que ostentam a sigla R.S.), curiosamente apenas proposto entre nós com o nível de equipamento de topo Bose Edition, mais orientado para o conforto e o requinte.

Por isso, nada há que distinga, em termos visuais, exterior como interiormente, esta versão de qualquer outra a gasolina dotada do mesmo nível de equipamento. Que é o mesmo que dizer que as linhas exteriores, apesar do tempo decorrido sobre o aparecimento do modelo, e das muitas unidades em circulação, continuam a agradar e a manter a sua actualidade. E que o habitáculo é marcado por uma apreciável qualidade geral, pese embora o recurso a alguns materiais que mereciam ser mais nobres; por uma habitabilidade de bom nível (tal como a capacidade da bagageira); por uma correcta ergonomia; e por um posto de condução envolvente, em que pontificam o painel de instrumentos totalmente digital (cuja decoração e grafismo variam em função do modo de condução seleccionado) e o ecrã do sistema de infoentretenimento de operação fácil e intuitiva.

Apesar dos anos com que já conta no activo, e do elevdo número de unidades em circulação, o Mégane continua a usufruir de uma imagem actual, sóbria e apelativa

Apesar dos anos com que já conta no activo, e do elevdo número de unidades em circulação, o Mégane continua a usufruir de uma imagem actual, sóbria e apelativa

Nada melhor, então, do que passar à análise daquilo que faz, efectivamente, a diferença neste Mégane TCe 160 Bose Edition: a mecânica, e tudo o que com a mesma mais directamente se relaciona. Instalado sob o capot está um quatro cilindros de 1332 c.c. totalmente novo, que de outras unidades com a mesma nomenclatura já utilizadas pela marca francesa mais não herda do que o nome, sendo ainda proposto nas variantes de 115 cv e 140 cv.

Desenvolvido em parceria com a Daimler (e já presente em vários modelos da Mercedes), tem como atributos técnicos a reter o sistema de injecção directa a 250 bar; o turbocompressor de geometria variável; uma câmara de combustão de desenho inédito; a distribuição variável; soluções que permitiram reduzir significativamente o atrito interno; e o filtro de partículas, para redução das emissões poluentes. Com tudo isto, está a apto a disponibilizar 160 cv às 5500 rpm e um binário máximo de 260 Nm logo às 1750 rpm.

Primeiro encómio para este 1.3 TCe de 160 cv: o funcionamento extremamente suave e discreto em termos de ruído. Mesmo fazendo-se ouvir aqui mais do que no Kadjar, mormente a alto regime e em situações de maior esforço, não só a sua sonoridade não é de todo desagradável, como acaba por ser uma referência na sua categoria neste particular (e não só, como adiante se comprovará).

O novo motor TCe de 1,33 litros e 160 cv garante prestações de nível superior, conjugadas com óptimos consumos

O novo motor TCe de 1,33 litros e 160 cv garante prestações de nível superior, conjugadas com óptimos consumos

Argumento decisivo é, igualmente, o seu desempenho nas mais variadas situações de utilização. Com uma resposta já muito satisfatória abaixo das 2000 rpm, que favorece uma condução calma e descontraída, típica de um familiar, sem exigir recurso excessivo à caixa manual de seis velocidades suave, rápida, precisa e não demasiado longa (em opção, é proposta a caixa pilotada EDC de dupla embraiagem e sete relações), ganha uma ainda maior vivacidade por volta das 4500 rpm, subindo rápida e decididamente de rotação até às 6000 rpm, e evidenciando uma invejável elasticidade – tudo concorrendo para óptimas prestações, tanto em termos de acelerações como de recuperações.

E não se pense, por isso, que esta tão grande disponibilidade implica um excessivo consumo de combustível. A velocidades moderadas e estabilizadas, assim como em perímetro urbano, os valores obtidos são dos melhores da classe; e mesmo quando se impõem ritmos mais acelerados, e se extrai do motor tudo o que este tem para dar, a média tende a rondar os 10,0 l/100 km, o que não deixa de ser por demais meritório.

Por aqui se adivinha que o Mégane TCe 160 Bose Edition é um automóvel que facilmente se presta a uma condução mais empenhada, momentos havendo em que até parece impelir a que se adoptem toadas mais intensas, nomeadamente quando selecionado o modo de condução Sport, que torna ainda mais rápida a resposta ao acelerador, assim como mais directa a direção (estando ainda disponíveis os modos Eco, Neutral, Comfort e Personalizado, este último permitindo ao utilizador configurar alguns parâmetros a seu gosto). Quando assim é, o veículo brinda quem segue ao volante com um comportamento muito competente, como sempre foi apanágio da actual geração do modelo, conjugado com um elevado conforto de marcha.

O comportamento eficaz, combinado com um elevado conforto de marcha, continua a ser trunfo decisivo do Mégane, embora a dinâmica pudesse, facilmente, ser ainda mais apurada

O comportamento eficaz, combinado com um elevado conforto de marcha, continua a ser trunfo decisivo do Mégane, embora a dinâmica pudesse, facilmente, ser ainda mais apurada

Ainda assim, não deixa de ser um pouco estranho que o mais potente dos Mégane “normais” não possa dispor do nível de equipamento GT Line, exclusivo da variante de 140 cv no que à oferta a gasolina diz respeito, e o qual, seguramente, tão bem “casaria” com esta unidade motriz. Por outro lado, como os pneus Michelin Primacy 3 também não são os mais adequados a uma toada mais desportiva, e o controlo de tracção e estabilidade não pode ser inibido fica sempre a sensação de que a genica do motor e a qualidade do chassis poderiam ter um melhor aproveitamento, tanto em termos de eficácia pura como de agilidade.

Nada que ensombre, apesar de tudo, o bom desempenho global do Mégane TCe 160 Bose Edition. Que a seu favor conta, ainda, com um preço competitivo, estrategicamente estipulado abaixo da barreira psicológica dos €30 000, a que se junta um equipamento de série deveras completo, em termos de segurança como de conforto. Tudo concorrendo para fazer desta uma das opções mais interessantes da família, e da classe, para os que prezam o prazer de condução sem abdicar de uma forte componente familiar.

Motor
Tipo 4 cil. linha, transv., diant.
Cilindrada (cc) 1332
Diâmetro x curso (mm) 72,2x81,4
Taxa de compressão 10,3:1
Distribuição 2 v.e.c./16 válvulas
Potência máxima (cv/rpm) 160/5500
Binário máximo (Nm/rpm) 260/1750
Alimentação injecção directa de gasolina
Sobrealimentação turbocompressor VGT+intercooler
Dimensões exteriores
Comprimento/largura/altura (mm) 4359/1814/1447
Distância entre eixos (mm) 2669
Largura de vias fte/trás (mm) 1591/1586
Jantes – pneus 7Jx17" – 205/50 (Michelin Primacy 3)
Pesos e capacidades
Peso (kg) 1353
Relação peso/potência (kg/cv) 8,45
Capacidade da mala/depósito (l) 384-1247/50
Transmissão
Tracção dianteira
Caixa de velocidades manual de 6+m.a.
Direcção
Tipo cremalheira, com assistência eléctrica variável
Diâmetro de viragem (m) 11,2
Travões
Dianteiros (ø mm) Discos ventilados (296)
Traseiros (ø mm) Discos ventilados (260)
Suspensões
Dianteira Pseudo MacPherson
Traseira Eixo semi-rígido
Barra estabilizadora frente/trás sim/sim
Garantias
Garantia geral 2 anos sem limite de km(5 anos ou 150 000 km com financiamento RCI Bank)
Garantia de pintura 3 anos
Garantia anti-corrosão 12 anos
Intervalos entre manutenções 30 000 km ou 12 meses

Airbag para condutor e passageiro (desligável)
Airbags laterais dianteiros
Airbags de cortina
Controlo electrónico de estabilidade
Travagem autónoma de emergência com alerta de colisão frontal e detecção de peões
Alerta de saída involuntária da faixa de rodagem
Sistema de leitura de sinais de trânsito com alerta de velocidade
Cintos dianteiros com pré-tensores e limitadores de esforço
Fixações Isofix
Assistente aos arranque em subida
Travão de estacionamento eléctrico
Cruise control+limitador de velocidade
Ar condicionado automático bizona
Computador de bordo
Head-up display
Banco dianteiros com regulação em altura+apoio lombar para o condutor
Banco do condutor com função de massagem
Banco traseiro rebatível 60/40
Volante em pele multifunções regulável em altura+profundidade
Direcção com assistência eléctrica variável
Painel de instrumentos digital
Sistema de infoentretenimento com leitor de mp3+ecrã táctil 7"+tomadas USB/Aux
Mãos-livres Bluetooth
Sistema de navegação
Sistema de som Bose
Vidros eléctricos FR+TR
Vidros traseiros escurecidos
Retrovisores exteriores eléctricos+aquecidos+rebatíveis electricamente
Retrovisor interior electrocromático
Acesso+arranque sem chave
Sensores de luz+chuva
Luzes diurnas por LED
Faróis de nevoeiro
Sensores de estacionamento traseiros
Câmara de estacionamento traseira
Jantes de liga leve de 17"
Sistema de monitorização da pressão dos pneus
Kit de reparação de furos

Pintura metalizada (€530)
Tejadilho de abrir panorâmico (€990)
Ópticas dianteiras integralmente por LED (€800)
Pack Safety (€680)
Pneu sobressalente de emergência (€100)

Qual é a sua reação?
Excelente
100%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

8 + 3 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.