CompararComparando ...

Renovado Hyundai Santa Fe já disponível desde €58 950

Artigo
Renovado Hyundai Santa Fe já disponível desde €58 950

Com o início da comercialização em Portugal do amplamente actualizado Santa Fe, a Hyundai lança no mercado a sexta das nada menos do que catorze novidades que tem previstas para 2021. Uma ofensiva de produto que lhe permitirá, igualmente, ter 75% da sua oferta europeia electrificada até meio do ano, estando já confirmada a chegada, em Maio, do Bayon (saiba mais aqui), o seu novo SUV de pequenas dimensões; e, em Junho, do totalmente eléctrico Ioniq 5 (saiba mais aqui e aqui).

Quanto ao Santa Fe agora apresentado, continua a ser a montra tecnológica do construtor sul-coreano no Velho Continente, assumindo-se a renovação agora operada como um restyling profundo da quarta geração do modelo, o qual assentou em quatro pilares fundamentais: design, motores, conforto e segurança. Ainda assim, este pode ser considerado quase como um automóvel novo, tal a extensão das melhorias introduzidas, aqui se incluindo a nova plataforma da terceira geração, em que os elementos mais pesados da mecânica foram reposicionados, para permitir a electrificação, reduzir o peso e baixar o centro de gravidade e o posto de condução – sendo outro dos benefícios pela mesma proporcionados a superior eficácia aerodinâmica (garantida, por exemplo, por um fundo quase totalmente coberto).

Num primeiro olhar, o “novo” Santa Fe impõe-se tanto pelas suas generosas dimensões (4785 mm de comprimento, 1900 mm de largura e 1710 mm de altura, ou seja, mais comprido 15 mm, mais largo 10 mm e mais alto 5 mm do que o seu antecessor, mantendo-se a distância entre eixos nos 2765 mm), como pelo seu design arrojado e mais sofisticado. Em destaque, a nova grelha frontal, os novos grupos ópticos dianteiros integralmente por LED (em forma de “T vertical, e com as luzes diurnas a assegurarem uma nova assinatura luminosa) e a traseira completamente redesenhada. As possibilidades de personalização também aumentaram, graças às nove cores exteriores e cinco cores interiores.

Em todas as versões proposto, de série, com sete lugares, distribuídos por três filas de bancos, o revisto Santa Fe regista, no habitáculo, um aumento do espaço disponível a bordo, em especial na segunda fila, por via quer do aumento das dimensões exteriores, quer da colocação das baterias da versão híbrida sob o banco do passageiro (e também sob o banco do condutor, no caso da variante híbrida plug-in). Tal também garante que a capacidade da mala não é pelas mesmas afectada, variando a mesma entre 130 litros com todos os lugares montados, 571 litros na configuração de cinco lugares e 1649 litros estando rebatidas as duas filas de bancos traseiras.

Ao mesmo tempo, o interior foi totalmente redesenhado, contando, por exemplo, com uma nova consola central, materiais e acabamentos de superior qualidade e um importante reforço do equipamento de série. A dotação tecnológica é outro dos factores a ter aqui em conta, merecendo destaque, neste particular, o painel de instrumentos totalmente digital de 12,3”; a estreia neste modelo do sistema de infoentretenimento de nova geração, com ecrã de 10,25”, comandos por voz, navegação integrada, serviços conectados BlueLink e modo de condução personalizável; ou o head-up display de grandes dimensões.

O Santa Fe oferece, ainda, o mais completo pacote de auxiliares de condução de toda a gama europeia da Hyundai, baptizado como Smart Sense, e em que a principal menção vai para a estreia no nosso país do Remote Smart Parking Assist, sistema que permite retirar, remotamente, através do comando à distância, o veículo de um lugar de estacionamento quando o acesso ao mesmo seja mais complicado para o condutor. No mesmo se incluindo, de igual modo, a travagem autónoma de emergência com uma nova função de viragem à esquerda em cruzamentos; o cruise control inteligente com recurso a dados da navegação; o alerta de tráfego pela traseira; a monitorização do ângulo morto; a saída do veículo em segurança; e o assistente activo à manutenção na faixa de rodagem.

Quanto à oferta de motores, o Santa Fe da nova geração é o primeiro Hyundai destinado à Europa a fazer uso das novas motorizações da família Smartstream. A versão mais acessível no nosso país é animada pelo quatro cilindros em linha turbodiesel de 2,2 litros, com 202 cv e 440 Nm, que anuncia uma redução do consumo de 7,5% face ao seu predecessor, por via da diminuição do peso de 19,5 kg (o bloco, anteriormente em ferro, passou a ser construído em alumínio), de um aumento da pressão de injecção (de 2000 bar para 2200 bar), da redução da fricção interna e da adopção de uma nova gestão electrónica. Conjuga-se com a caixa pilotada 8DCT de dupla embraiagem e oito velocidades, e a tracção dianteira, para garantir 205 km/h de velocidade máxima, 9,0 segundos nos 0-100 km/h e um consumo combinado de 6,3 l/100 km/h no ciclo WLTP.

Sendo esta a única motorização exclusivamente térmica da gama, a opção seguinte toma forma no grupo motopropulsor híbrido em que se conjugam o motor 1.6 T-GDi a gasolina (com distribuição variável CVVD e sistema de recirculação dos gases de escape de baixa pressão), capaz de oferecer 132 cv e 265 Nm, com um motor eléctrico de 60 cv e 264 Nm (alimentado por uma bateria de polímeros de iões de lítio com 1,49 kWh de capacidade) e uma caixa automática de seis velocidades, para um rendimento combinado de 230 cv e 350 Nm. Neste caso, a velocidade máxima é de 187 km/h, os 0-100 km/h cumprem-se em 8,9 segundos e o consumo combinado é de 6,7 l/100 km, voltando a tracção a ser apenas dianteira.

Em Julho chegará ao mercado a derivação híbrida plug-in, a qual, no que à motorização diz respeito, distingue-se da anterior, fundamentalmente, por recorrer a um motor eléctrico de 91 cv e 304 Nm, e a uma bateria de polímeros de iões de lítio com 13,8 kWh de capacidade, sedo o rendimento combinado, neste caso, de 265 cv e 350 Nm. Aqui, a velocidade máxima é de 206 km/h, os 0-100 km/h são cumpridos em 7,0 segundos e o consumo combinado é de 1,6 l/100 km, para uma autonomia em modo eléctrico de 58 km no ciclo combinado (69 km em cidade). Por seu turno, o carregador de bordo de 3,3 kW permite efectuar uma recarga total da bateria em cerca de 3h50m.

A variante híbrida plug-in é, ainda, a única do renovado Santa Fe a contar com o sistema de tracção integral HTRAC, sendo esta a primeira vez que o modelo dispõe de modos de condução específicos para o fora de estrada. Assim, através do botão colocado na consola central, é possível seleccionar não só as tradicionais opções Eco (tracção apenas dianteira), Comfort (repartição do binário de 65% para o eixo anterior e 35% para o eixo posterior) e Sport (repartição do binário de 50% por cada eixo), como os modos destinados a condução sobre areia, neve ou lama. Adicionalmente, o modo Smart Driving, capaz de reconhecer o estilo de condução adoptado, selecciona o modo de condução mais adequado a cada momento.

Por fim, o posicionamento comercial. No que ao equipamento diz respeito, todos os Santa Fe, independentemente da sua motorização, são proposto em Portugal com o nível Vanguard, no qual se incluem já elementos como o pacote Smart Sense; tecto de abrir eléctrico panorâmico; sistema de infoentretenimento com ecrã de 10,25” e navegação integrada; acesso e arranque sem chave; sistema de som Krell com dez altifalantes; portão traseiro eléctrico; iluminação exterior integralmente por LED; jantes em liga leve de 19” (18” no caso da variante a gasóleo); bancos em pele; bandos dianteiros com regulações eléctricas (com memória çara o condutor), aquecidos e ventilados; bancos da segunda fila aquecidos; volante aquecido; carregamento por indução para smartphones; iluminação ambiente por LED com 64 cores; airbags frontais, laterais, de cortina e para os joelhos do condutor; alarme; e câmara panorâmica de 360°. Os únicos opcionais disponíveis são a pintura metalizada (€520) e o denominado Luxury Pack, composto pelas abas dos guarda-lamas e saias laterais na cor da carroçaria; pelo revestimento do tejadilho em Alcantara; e, no caso da versão Diesel, pelas jantes de 20”.

Quanto aos preços, e não obstante o incremento do equipamento de série, são, em média, inferiores em €1750 aos praticados pela anterior geração do modelo. Deste modo, o Santa Fe 2.2d 8DCT Vanguard é disponibilizado por €58 950 (€60 450 na versão Vanguard+Luxury Pack); o Santa Fe 1.6 HEV Vanguard custa €59 475 (€60 725 na versão Vanguard+Luxury Pack); e o Santa Fe 1.6 PHEV Vanguard está orçado em €64 900 (€66 150 na versão Vanguard+Luxury Pack). Atributo de todas as variantes é, também, a garantia de 7 anos sem limite de quilómetros, na qual se incluem, ainda, 7 anos de Aassistência em viagem, 7 anos de check-ups anuais gratuitos, e actualizações gratuitas dos mapas durante a vida útil do veículo.

Qual é a sua reação?
Excelente
0%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

5 × 3 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.