CompararComparando ...

VW Tiguan renovado: novas versões híbrida plug-in e desportiva

Artigo
VW Tiguan renovado: novas versões híbrida plug-in e desportiva

A VW entendeu ser altura de proceder a uma actualização de meio de ciclo da segunda geração do Tiguan, lançada em 2016, com o renovado modelo a chegar ao mercado nacional lá mais para o Outono, tendo como objectivo manter o seu estatuto de SUV mais vendido da Europa, e de modelo mais vendido tanto da marca como de todo o Grupo VW (mais de 900 mil unidades vendidas em 2019). Além dos habituais retoques estéticos e da introdução de novas soluções tecnológicas, a grande novidade é as estreia de duas versões posicionadas em extremos opostos da oferta: uma de carácter mais “ecológico”, outra de pendor iminentemente desportivo.

Exteriormente, as modificações operadas são apenas de pormenor: nova grelha frontal, com o símbolo da VW ao centro; ópticas dianteiras por LED semelhantes às do Golf; pára-choques dianteiro e traseiro de novo desenho; farolins traseiros também por LED; e emblema com nome do modelo em relevo no portão traseiro, sob o logótipo da marca. No habitáculo, os destaques vão para o novo volante miltifunções com comandos sensíveis ao toque; para o sistema de infoentretenimento MIB3 com ecrã táctil de 10” e ligação Apple CarPlay sem fios; para o painel de instrumentos digital (com 8” ou 10,25”, consoante as versões e níveis de equipamento); e para o opcional sistema de som Harmon Kardon com 480 Watt de potência.

É, pois, aquilo que se não vê o que de mais relevante o renovado Tiguan tem para apresentar. Para já, a VW não revela muita informação acerca da gama de motores, sabendo-se, apenas, que existirá uma versão turbodiesel animada pelo conhecido 2.0 TDI de 150 cv e dotada de tracção integral 4Motion, assim como duas opções inéditas.

Uma delas é o Tiguan eHybrid, um híbrido plug-in que recorre à mecânica já utilizada em versões equivalentes do Passat, do Golf e do novo Arteon, e em que se combinam o motor 1.4 TSI a gasolina com um motor eléctrico e a caixa pilotada DSG de dupla embraiagem, para um rendimento combinado de 245 cv. A bateria de iões de lítio terá capacidade para permitir percorrer cerca de 50 km em modo totalmente eléctrico, o qual está disponível até aos 130 km/h.

Já o novo Tiguan R, além do visual específico, naturalmente mais agressivo, distingue-se por recorrer aos serviços do propulsor sobrealimentado 2.0 TSI de 320 cv, conjugado com a caixa DSG de sete velocidades, o sistema de tracção integral 4Motion, o sistema de vectorização de binário R-Performance Torque Vectoring (apto a gerir a repartição do binário não só entre os dois eixos, como entre as rodas traseiras) e a suspensão rebaixada com amortecimento pilotado DCC. Ainda em destaque, o sistema de travagem mais potente, e as jantes de 21” de desenho específico

 

Qual é a sua reação?
Excelente
100%
Adoro
0%
Gosto
0%
Razoavel
0%
Não gosto
0%
Sobre o autor
António de Sousa Pereira
Absolute Motors é um projecto de informação essencialmente dedicado à área dos motores, com particular foco nos sectores dos automóveis e das motos, mas sem prejuízo de cobrir qualquer outra área de interesse manifesto para os seus leitores.
Comentários
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

17 + 20 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.